Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Os melhores filmes e as decepções de 2016

Texto publicado no Omelete.

Lista cada um faz a sua. Não vou fazer lista de 15 filmes, porque francamente, este ano de 2016 foi fraco.

O ano já começou com duas gratas surpresas: Reza a Lenda e Deadpool. Reza a Lenda foi avassalador. Merecia bilheteria melhor.

Batman vs. Superman decepcionou. Se a versão estendida tivesse ido pro cinema, seria sério candidato a melhor filme do ano.

Guerra Civil foi bom. E muito melhor que o desastrado Era de Ultron. Mas não foi nem um pouco surpreendente. Só estudou pra passar de ano.

X-Men: Apocalipse foi outra decepção. O pior filme da segunda trilogia dos mutantes da Fox. Disparado.

Esquadrão Suicida foi bom. Mas, assim como Reza a Lenda e Deadpool, não vale uma segunda ida pro cinema.

Doutor Estranho foi a melhor surpresa do ano. Merece todo o sucesso que ainda está tendo pelo mundo afora.

Elis é o grande filme dramático do ano.

Rogue One é muuuito superior ao Episódio 7 de Star Wars e à trilogia prequel inteira. E é o VERDADEIRO filme do Esquadrão Suicida. Merece faturar a maior bilheteria do ano, se der tempo.

Mas os dois filmes do ano foram, de longe, dois filmes tocantes. Necessários no meio de tanta cafajestagem no meio cinematográfico e fora dele. São duas animações da Disney.

Procurando Dory foi mais avassalador que Procurando Nemo.

Elena e o Segredo de Avalor merecia uns ajustes, pra poder ir pro cinema. Quem sabe uma apresentação melhor dos personagens de Sofia the First, lá no início, pra quem não os conhece. Aí não ficaria confinado na TV americana, canadense e europeia, e nos streamings. Não foi pro cinema por falta de visão da Disney.

Comentários no Facebook.