Política, cultura e generalidades

domingo, 24 de maio de 2015

Manifestantes fazem protestos contra o presidente Aécio Neves

Manifestantes ligados ao PT e às centrais sindicais pararam ontem a Avenida Paulista, em São Paulo, em protesto contra o anúncio do governo federal de cortar 70 bilhões de reais do orçamento.

Também houve manifestações em Brasília, onde cerca de 400 pessoas tentaram impedir a reunião do presidente Aécio Neves com a chefe do FMI, Christine Lagarde.

O ex-presidente Lula classificou a reunião com o FMI como um ato de submissão do Brasil ao sistema financeiro internacional. “As elites conseguiram o que queriam: curvar o país ao FMI e tirar o dinheiro da saúde e da educação”, disse Lula. “Não podemos interromper a nossa luta contra o sistema neoliberal tucano.”

Paredes de sete ministérios amanheceram pichadas com as frases “Contra o ajuste neoliberal”, “Fora Aécio, Fora FMI”, “Volta, Dilma” e “Fora, tucanos”.

Em protesto contra o corte do orçamento da Educação, pelo menos quarenta universidades federais decidiram manter a greve que já completa três meses. “Se Dilma tivesse sido reeleita, não estaríamos passando esse vexame”, afirmou o presidente do sindicato dos professores.

Celebridades ligadas à esquerda também se pronunciaram. Segundo a coluna de Mônica Bergamo, o ator José de Abreu e o escritor Fernando Morais preparam uma marcha de intelectuais a Brasília. O cantor Chico Buarque publicou nas redes sociais uma foto vestindo uma camiseta com a frase “Ajuste fiscal não”.

Em Porto Alegre, a ex-presidente Dilma Rousseff classificou o corte de gastos como absurdo e inadmissível. Ao lado de Arno Augustin, ex-secretário do Tesouro Nacional, ela disse: “O que eu posso dizer a vocês, no sentido de afirmar mesmo, é que o Brasil está numa posição, ou melhor, num posicionamento de atitudes que jamais aconteceriam se a eleição tivesse outro resultado, não aquele resultado que teve efetivamente”. Pelo que a reportagem conseguiu entender da declaração, a presidente quis dizer que jamais colocaria um banqueiro no Ministério da Fazenda ou concordaria com cortes de gastos.

Este foi um mero exercício de ficção atribuído a Leandro Narloch e publicado por Luciano Pires no Facebook.

Mais comentários no Facebook.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

CNBB, uma entidade demo-revolucionária

Resposta de Gederson para Fratres in Unum:

A CNBB quer a qualquer custo um modelo de democracia revolucionária, ela mesmo é demo-revolucionária. Neste caso, parece me que um meio de frear as suas esperanças democráticas, é usar de instâncias democráticas contra ela mesma. Dada a absurda realidade em que nos encontramos, seria muito útil um “Código de defesa dos fiéis” para que pudessem cobrar das autoridades católicas uma boa liturgia e uma boa doutrina, e também contra as instrumentalizações que estamos tão acostumados a ver e são notórios nas Comissões pastorais da CNBB.

O Fratres in Unum volta e meia pública denúncias, que geralmente surtem algum efeito. Se tivéssemos um site católico (algo como um “Reclame aqui católico”) só para esta finalidade, onde as pessoas pudessem fazer denúncias, isso também poderia surtir efeitos positivos. Iniciativas como a “Filial súplica” já contam com mais de 225 mil assinaturas. Isto poderia ser feito também neste site com os problemas mais comuns. Seria um espaço, onde pessoas como o sr. Paulo Jacobina, poderiam falar da experiência das Missas “sertanejas”, “crioulas”, “rock” e de todos os gostos, e os responsáveis pelo site faria comentários dessas coisas a partir do CDC (Código de Direito Canônico, nota da redação) e cobrariam das “autoridades” um posicionamento.

Quanto a questão da “Reforma política”, outro dia estava comentando com um amigo, seu principal problema é que não existe outra proposta de reforma, não temos opção de escolher entre outras propostas de reforma. Isso não é democrático, e menos democrático ainda, será se 1,5 milhões de pessoas, promulgarem uma lei para mais de 100 milhões de pessoas, quando essa quantidade de pessoas não elegem um candidato. Esse tipo de abertura teria que ser reformado e ser exigido pelo menos 51% de todos os eleitores nacionais.

Reforma política é uma coisa séria, não é algo que pode ser feito apenas por uma parcela da população (ainda mais a pior). Dentro do atual sistema, seria justo que cada partido apresentasse sua proposta e se fizesse um “Plebiscito”. Penso ser essa a palavra chave “Plebiscito”. Na atual conjuntura em um “Plebiscito” a proposta petista sofreria uma derrota esmagadora. Só ganhariam se fraudassem a eleição.

Se querem uma reforma política, então, que seja feito um “Plebiscito” e se apresentem outras propostas. Não é democrático um partido impor sua vontade a toda nação por vias indiretas!

domingo, 17 de maio de 2015

1964: duas facções de estatólatras

Resposta para Marcos Vinicius Mesquita publicada no Facebook:

"os tiozões e tiazinhas CAPS LOCK da "intervenção militar" são exatamente a MESMA MERDA dos canalhas ensebados que pedem PASSE LIVRE.
Os dois são CHATOS PRA CARALHO e querem um milagre estatal pra resolver o problema por eles".

Precisou o Lobão ir na TV dizer o que eu já estou dizendo há tempos.

Já eu digo há tempos que a quartelada de 1964 e o regime militar que veio depois foram resultado da guerra entre duas facções de estatólatras, uma à direita e outra à esquerda, que queriam tomar o Estado para pilhar o Estado e a sociedade.

No século XXI, as duas facções resolveram se unir para pilhar o Estado e a sociedade juntas.

sábado, 16 de maio de 2015

Sindicatos de ladrões

Resposta para Marcos Vinicius Mesquita publicada no Facebook:

Os ladrões tucanos e os ladrões PMDBistas roubam porque são só ladrões. Os ladrões petistas roubam com objetivos políticos e revolucionários. E chamam de "expropriação".

terça-feira, 12 de maio de 2015

Da lista dos 10 piores filmes de super-heróis dos anos 90 da Legião dos Heróis, só vi dois

Ainda bem!

Resposta para Legião dos Heróis:

Só vi dois desses filmes.

Capitão América 1990 vi recentemente no Telecine. Ô, filme mais tosco! A transformação do Steve Rogers em supersoldado teve efeitos visuais de filmes lados B dos anos 60. O envelhecimento do Caveira Vermelha ao longo das décadas foi ridículo. O cara simplesmente DEIXOU de ter pele vermelha! E a história termina abruptamente, dando a impressão que o dinheiro da produção acabou antes de gravarem algo melhor. Pareceu final de novela da TV Manchete às vésperas da extinção. Batman & Robin deve ser o pior filme baseado em HQs entre os filmes com orçamento superior a 100 milhões de dólares (foram 125 milhões). Basta ver a relação custo-benefício, comparando com o resultado final (o filme em si) e a bilheteria (mais de 238 milhões de dólares). Se não tivéssemos o grande piloto heptacampeão Michael Schumacher na Fórmula 1, o sobrenome ficaria amaldiçoado para sempre pelo que Joel fez neste filme e no Batman Forever.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

A inutilidade dos panelaços

Eu que não perco meu tempo batendo panela como esse povo faz. São como o povo que faz passeata pela paz enquanto os traficantes e os milicianos gargalham e contam seu vil metal.

sábado, 2 de maio de 2015

A culpa intransferível do PT

Resposta de And_Terra para Antônio Augusto de Queiroz do Diap publicada no Congresso em Foco:

Até parece que o PT é "vítima" desse estado de coisas... Filho, acorda, O PT é o "establishment"! Lá se foram doze anos e vcs ainda cultivam a falsa imagem de que O PT é um "outsider"; ledo engano! O PT é o partido mais rico do Brasil, seus afilhados lotam os absurdos 38 ministérios, fundações, autarquias... Mesmo em meio a crise, os bancos não se cansam de bater recordes de lucros no governo petista, e isso p não falar nas benesses que o poder conferiu à Aristocracia Petista junto aos empreiteiros e ao alto empresariado agraciado com subsídios do BNDES, abastecido com subsídios "extra orçamentários" advindos do Tesouro Nacional, ou seja, dinheiro de todos nós!!! O PT não é vítima, O PT é um elo fundamental do sistema! O PT é o avalista do pacto conservador que governa o Brasil há mais de uma década! Por baixo distribui migalhas à população e péssimos serviços públicos, mas "por cima" arrasta p seus cofres os frutos das concessões e dos privilégios que distribuiu ao donos do grande capital !!!!

sexta-feira, 1 de maio de 2015

CBF marca Grêmio x Ponte às 11h em teste para novo horário no Brasileirão

Comentários para Globo Esporte:

Ok, o Grêmio não ganha nada há anos. Nem o Gauchão (o Inter já é tetra). Mas isso é prova de que a CBF persegue o Grêmio há anos. 11h é horário de jogo de time de juniores. Não de time da Série A do Campeonato Brasileiro.

Jogo às 11h no frio do Sul é moleza. Quero ver a dona CBF marcar jogo do Sport às 11h no calor de Pernambuco ou de time carioca no calor do Rio de Janeiro, ou marcar jogo de quarta-feira às 20:30 pra ferrar a RGT, seu JN e suas novelas.