Política, cultura e generalidades

terça-feira, 21 de abril de 2015

Bispos de Brasília dominam CNBB

Resposta para Fratres in Unum:

Dom Sérgio da Rocha, novo presidente da CNBB

Enquanto isso, Dom Leonardo Ulrich Steiner foi reeleito secretário-geral. O que diz muito sobre a impostura que é a existência da CNBB. Se a CNBB toma tanto tempo assim dos bispos da diretoria da CNBB que agora os bispos estão preferindo eleger DOIS bispos de Brasília (cidade-sede da CNBB) para sua diretoria (o arcebispo para presidente e um bispo auxiliar para secretário-geral), é prova de que a CNBB toma tempo demais que os bispos deveriam estar dedicando às suas próprias dioceses e na evangelização da Igreja como um todo, por fazerem parte de um colégio episcopal presente em quase todo o mundo com mais de 4 mil bispos.

Dom Murilo Krieger (aquele que Papa Francisco não quer no cardinalato) foi eleito vice-presidente da CNBB. O que mantém a rotina numa entidade historicamente dominada pelo clero "pogreçista": sempre dão a vice-presidência como prêmio de consolação para um bispo supostamente conservador ou tradicionalista. O presidente da CNBB comanda a conferência como um todo, o secretário-geral comanda as pastorais e o vice-presidente é um mero eventual substituto do presidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário