Política, cultura e generalidades

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Por que incomoda tanto o Tocha Humana negro?


Comentários para Mob Ground:

Racismo não presta. Seja lá onde, quando ou como for.

Eu já fiquei puto quando criticaram a aparição de John Boyega como stormtrooper no teaser trailer de Star Wars: O Despertar da Força. Inclusive uns imbecis que se dizem fãs de Star Wars. Se fossem fãs mesmo, não reclamariam da aparição de John. Afinal, Star Wars sempre foi plural. É a franquia onde já trabalharam James Earl Jones (a voz de Darth Vader), Billy Dee Williams, Samuel L. Jackson... E agora terá Lupita Nyong’o, que se juntará a Natalie Portman e a Alec Guinness na galeria dos atores e atrizes de Star Wars que já ganharam Oscar, ainda que fora da franquia.

Quer ver como toda essa implicância com o Tocha Humana negro é tão somente racismo? Os mesmos que implicam com Michael B. Jordan sob alegação de a Fox “ter mudado a etnia original do personagem” não reclamaram quando a mesma Fox colocou Jessica Alba com lentes de contato e peruca loura no papel da Mulher Invisível. Na verdade, ninguém deveria denegrir nem negros nem hispânicos. E a Fox deveria ter deixado a Jessica ao natural.

A propósito: há anos a Marvel acertou ao mudar a etnia do Nick Fury para negro. Muito pela pressão dos defensores dos direitos civis, mas valeu. Acertou tanto que na época Samuel L. Jackson (olha ele de novo!) imediatamente se reconheceu tão logo viu o novo visual do personagem nos quadrinhos. Esse negócio de se identificar com personagens de quadrinhos é sério. Hoje o ator exerce muito bem o papel de Nick Fury nos cinemas. Embora os puristas dos quadrinhos reclamem que o personagem no cinema não tem a cabeça tão esquentada quanto nos quadrinhos, mas isso é outra história...

Nenhum comentário:

Postar um comentário