Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Pastoral da Juventude Revolucionária

Comentários para Fratres in Unum:

Nos anos 90 eu fiz parte de um grupo jovem, que não era chamado de Pastoral da Juventude, embora fosse de fato, e sim Jovens Amigos em Cristo. Só que não tinha nada a ver com a PJ nacional. Pudera. Era uma pastoral de uma paróquia da Arquidiocese do Rio de Janeiro, no tempo dos saudosos São João Paulo II e Dom Eugenio Sales.

Hoje não faria parte de uma PJ. Nem no Rio de Janeiro. Ainda mais depois que o bispo latino-americano que assumiu a cátedra de São Pedro convidou os voluntários da JMJ no Riocentro a serem revolucionários. Arrumaram a desculpa perfeita para serem de fato revolucionários. Muito convenientemente acham que a infalibilidade papal se estende além da fé, da doutrina e da moral católica.

Nos dias da JMJ, muitos jovens revolucionários vindos de fora do Rio desfilaram pela cidade com a famigerada bandeira vermelha da PJ nacional.

Cristão de verdade é contrarrevolucionário, não revolucionário. Deve rejeitar o ocupante do trono deste mundo, que usurpou o lugar de Nosso Senhor Jesus Cristo nos corações de bilhões de seres humanos. Deve colocar o Senhor no trono do seu coração, no lugar do usurpador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário