Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Frase de um dilmista: "Agora é a vez de falarmos para nós mesmos: aceita que dói menos"

"Aceita que dói menos" era uma frase de lulo-dilmistas dirigida aos chorões eleitores do Aécio Neves no final do ano passado depois da eleição presidencial. Aniquilada a oposição de punhos de renda e na falta de adversários competitivos, agora o chororô é dentro do eleitorado de Dilma Rousseff, como pode ser visto em alguns comentários deixados no Viomundo. Até parece que o PT está preocupado com reclamações de seus eleitores com coisas como Kátia Abreu Ministra da Agricultura. Os petistas só se interessam em duas coisas: garantir a perpetuação do governo petista e praticar a velha zoofilia figurada de 4 em 4 anos. Ou seja: meter um créu em tucanos. E na velocidade 13. Coisa que os petistas fazem com bastante comPTncia desde 2002.

Eis alguns comentários deixados no Viomundo (dá até para dar risadas com as merdas que esses caras escrevem):

Gerson Carneiro

Agora é a vez de falarmos para nós mesmos: aceita que dói

Andre

Pelo andar da carruagem, a grande herança política que o perído do governo do PT vai deixar é o crescimento da ultradireita (em todas as suas variantes), inclusive com a possibilidade desta chegar ao poder. Emfim, parece que chegamos ao ‘primeiro mundo’ na política. Na Europa os governos social-democratas, desde a década de 80 – a começar com o ‘colabo’ Mitterand – enterram qualquer política à esquerda, por mais ‘rósea’ que fosse a esquerda. “Tory” Blair fez o mesmo na Inglaterra e o Partido Social democrata na Alemanha. Clinton foi mais realista que o rei(gan) e enterrou a esquerda do partido democrata.

Quem ganhou com tudo isso? quando políticas cada vez mais de direita são feitas em nome da “esquerda” – e o PT tomou o ‘monopólio’ da esquerda no senso comum – a alternativa para os descontentes com causa acaba sendo a ultradireita. Foi assim que aconteceu na Europa, foi assim que aconteceu nos EUA, foi assim que aconteceu na Alemanha na década de 1920 – guardadas todas as diferença históricas. Só falta uma profunda crise econômica para chegarmos lá. O PT ajudou a chocar o ovo da serpente.

Edgar Rocha

Eu já não votava em parlamentar nenhum por falta de uma boa opção. Somente um petista de carteirinha continua sendo base de gente oportunista, mentirosa como os parlamentares em que votei (excluo apenas o Eduardo Jorge que, apesar de não mais ser do PT, temos de reconhecer, foi um dos melhores quadros nacionais. Só o PT não aceita isto hoje). Tenho vergonha mesmo de ter feito boca de urna por anos seguidos e descobrir que as conquistas adiadas já naquele período tinham muito mais a ver com projetos indizíveis do que com dificuldades contextuais, como sempre afirmam os petistas. votei no Haddad pra prefeito, mesmo sabendo que ele é só um poste elitista, filho da USP e cheio de visões distorcidas sobre periferia ou lutas sociais, por puro desconhecimento mesmo. Eu não queria o Serra de jeito nenhum na Prefeitura. Não adiantou muito, não. A começar pela distância do eleitorado e a facilidade de compactuação com o lado oposto (vide movimento por 20 centavos) digna de um Lindberg Farias. Agora, votei na Dilma, pedi voto em defesa de uma série de coisas boas (mesmo imaginando não serem estas duráveis), via diante da nação a possibilidade de tudo ir por água abaixo com a vitória dos setores ultra-conservadores. Achei que Dilma, mesmo que não avançasse, defenderia a manutenção do que se conseguiu. Nem isto, infelizmente. A Presidenta compôs um Ministério que nem o Aécio se atreveria a compor. ela acena com a inevitabilidade do retrocesso depois de firmar o compromisso de não dar um passo atrás. Pra mim chega. que venha o PSDB. Não faz diferença, mesmo. Não voto em tucano nunca. Mas, infelizmente, não adianta fazer o discurso – como bem colocou um colega daqui – de que o PT faz com nojinho o que o PSDB faz com prazer. Não cola mais. Depois de Kátia Abreu, dane-se o PT.

Juca

Pra fazer esse arremedo de governo trabalhista melhor seria ter anulado o voto. Lamento ter que dizer isso mas essa Dilma é uma canalha e esse PT uma camarilha. Eu votei nessa corja por 4 vezes, inclusive em outubro passado, mas indicar Katia Abreu na cota pessoal e na base da amizade é coisa de gente muito safada. obs.: por favor publique meu comentário, eu assumo de forma pessoal e integral o que disse, não vou alegar jamais que não sabia e que fui induzido pelo blog, etc Não sou cúmplice dessa canalhice só porque acreditei nessa corja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário