Política, cultura e generalidades

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Troféu Tolo do Ano 2015

Como os amigos notaram, não tenho mais paciência nem tempo para escrever no meu blogue. Não sou blogueiro profissional nem militonto em ambiente virtual. Neste ano de 2015, o blogue deixou de ter qualquer periodicidade. Agora o blogue só volta em edições extraordinárias. Geralmente trago para cá alguma coisa importante que já comentei em redes sociais, fóruns e comentários de notícias.

Mas não deixarei 2015 sem o seu contemplado do Troféu Tolo do Ano. Este ano o troféu vai, pela primeira vez, para um próceres da oposição a nível nacional: o governador Geraldo Alckmin. Com ele, o estado de São Paulo passou 2015 no volume morto. Consequência direta de um monopólio de uma empresa de economia mista no abastecimento de água. Economia mista porque antes a monopolista Sabesp era 100% estatal. Continua sendo estatal, mas como o governador lançou ações da empresa em bolsas de valores, agora a empresa prefere remunerar os acionistas minoritários, ao invés de investir no abastecimento de água e na recuperação dos rios que abastecem o estado. Deu no que deu.

Não satisfeito, o governador ressuscitou a militância "pogreçista" paulista, que do contrário teria ficado quieta, com o rabo entre as pernas, com vergonha das lambanças da presidenta incompetenta e do prefeito Suvinil. Isso porque o governador resolveu bagunçar de vez a rede estadual de escolas, jogando alunos pra lá e pra cá (alguns em escolas de áreas dominadas pelo crime) e fechando um monte de escolas. Tolice maior não houve em 2015. A militância "pogreçista" reclamou com razão. Mas botou pra quebrar. Algumas escolas, inclusive.

O Troféu Tolo do Ano 2015 ficou em boas mãos. Ou em más mãos, dependendo do ponto de vista.

Para os amigos leitores que hoje me acompanham mais em outras plataformas do que aqui, faço votos de um feliz 2016. Não vamos dar corda pros que querem que desejemos um feliz 2017, 2018 ou 2019, já dando 2016 como um ano perdido. Se a corja não faz nada por nós, façamos nós mesmos.

Este blogue voltará a qualquer momento em edição extraordinária.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Star Wars não se compara com nada

Comentários para O Globo publicados no Facebook:

Star Wars não se compara com nada. Nem com o cinema hollywoodiano, nem com o cinema independente (dos EUA ou de qualquer outra parte) nem com o cinema de qualquer país. Mas ainda tem gente tentando.

Star Wars está num outro patamar: o de uma mitologia contemporânea. Todos nós passaremos para o outro lado (será que da Força?) e Star Wars continuará aí. Por séculos ou milênios, talvez. E a Disney faturará horrores, até isso tudo cair em domínio público e a concorrência poder fazer suas releituras.

sábado, 12 de dezembro de 2015

Mais uma da Conferência Nacional dos Bispos Bolivarianos


A ex-combativa CNBB virou a Conferência Nacional dos Bispos Bolivarianos. Chapa branca total.

O bispo pode ficar tranquilo. Vai rolar pizza de "mortandela". E a corja fisiológica continuará mandando da vice-presidência para baixo. Inclusive no Congresso.

Em matéria de política, virei um descrente total.

P.S: Por quê o bispo não excomunga logo quem pensa diferente dele? Medo de perder os dízimos, as ofertas e as esmolas dos "coxinhas"?

Fonte: Jornal Metro.

Mais opiniões no Facebook.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Jean Wyllys atacando Chico Alencar?

Comentários para Congresso em Foco:

Jean Wyllys atacando Chico Alencar? Merece um pito daqueles do PSOL. Ainda que sejam todos da mesma laia.

Chico Alencar e o PSOL acolheram e alimentaram um monstrinho vindo direto do BBB. Eles que resolvam o problema.

Na verdade, partidos intransigentes e com tendência totalitária são assim mesmo. Só eles podem criticar. Criticar uns aos outros e criticar os adversários. Os adversários que aceitem quietos, que dói menos.

A propósito: até prova e condenação em contrário, Chico Alencar é um sujeito honrado. Ainda que seja equivocado em muitas questões. Como o acolhimento a algumas figuras no PSOL.

Mais comentários no Facebook aqui e aqui.

sábado, 31 de outubro de 2015

Os saudosistas da esquerda saíram da toca

Comentários para Semana On:

O Tsavkko é coerente, mas não consegue esconder ser ainda um saudosista de algo que nunca houve: a ética progressista, no sentido esquerdista dos termos. Terá que ver a futura polarização entre conservadores e liberais, que está no horizonte e destroçará a trinca PT-PMDB-PSDB.

Mais esquerdistas baixando o cacete nos tucanos e nos petistas

Comentários para Esquerda Diário:

Você encontra uma primeira página baixando o cacete simultaneamente nos petistas e nos tucanos, nessa questão do fechamento das escolas paulistas. Aí você vai ver e descobre que é mais um reduto de gente querendo ser mais esquerda que os outros.

Pros políticos petistas citados, não tem problema. Nas próximas eleições esses mesmos críticos lacrarão o 13. Como sempre fazem.

Hispânicos a caminho da presidência dos EUA

Comentários para Alexandre Borges:

Ironicamente, a presidência dos Estados Unidos pode parar nas mãos de um republicano descendente de latinos. Um filho de pais cubanos (Marco Rubio), outro filho de pai cubano (Ted Cruz).

Lembrando que o próprio país foi fundado por imigrantes e descendentes. Não demorará muito para eles terem um presidente hispânico.

Mas é claro que os democratas torcem fervorosamente pela candidatura de Donald Trump, ex-financiador de candidatos democratas. Para poderem taxa-lo de anti-imigrantes, coisa e tal.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

O novo trailer de 'O Despertar da Força'



Comentários para Omelete:

O que eu mais gostei até agora do que já foi revelado desse Despertar da Força é que trata-se de um filme de terra arrasada, mesmo. Coisas como Jar Jar Binks e os Ewoks estão fora de cogitação nessa trama, a princípio, o que agradará os fãs das antigas, que fazem o sucesso dessa saga há 38 anos. Mas nada disso surpreendente, já que nem a Disney está mais tão infantil como era (noves fora algumas cenas dos filmes da Marvel), e ainda está levando pancada de toda corja de neocons dos EUA, de caras da Fox News a supostos "krents".

Naquela galáxia muito, muito distante não há mais Império, mesmo porque não há como haver Império sem um imperador. Também não há mais República. O que há é um monte de supostos usuários do lado sombrio da Força (os Cavaleiros de Ren) pegando o espólio do Império e fazendo seu regime tirânico high tech com direito a uma Death Star III, uma Resistência talvez do tamanho da antiga Aliança Rebelde com alguns remanescentes desta, o Luke sabe-se lá porquê exilado, um desertor da Nova Ordem e uma potencial aprendiz de Luke Skywalker.

Único ponto negativo: o tal do "despertar da Força" no nome do filme. Pombas, a Força de verdade não dorme nem jamais dormiu. Em movimento sempre esteve e sempre estará, como diria Mestre Yoda.

Que venha dezembro!

Mais comentários no Facebook.

sábado, 19 de setembro de 2015

Os planos A, B, C, D e E

Fonte: José Paulo Grasso no Facebook.

O Plano A, vendido na campanha, era prover rios de mel aos brasileiros, depois de livrar o país das medidas impopulares tramadas por Aécio Neves e impedir que o Banco Central independente de Marina Silva retirasse a comida da mesa dos pobres.

O Plano B consistia em recrutar o tucano Joaquim Levy na diretoria do Bradesco para que ele fizesse um superávit primário de pelo menos 1,1% do PIB em 2015. Que teve de ser reduzido para 0,15% do PIB porque a mistura de estagnação com inflação transformou o remédio num veneno que deixou a economia paralisada.

O Plano C foi subdividido em três etapas: 1) dizer que não havia mais como cortar despesas, 2) entregar o país nas mãos de Deus, e 3) enviar para o Congresso um orçamento para 2016 com um déficit de R$ 30,5 bilhões —coisa de 0,5% do PIB.

O Plano D foi rabiscar um pacote fiscal em cima do joelho, porque os estrategistas do governo não tinham imaginado que o descompromisso com as metas fiscais irritaria a Standard & Poor’s a ponto de a agência rasgar o selo de bom pagador que concedera ao Brasil.

O Plano E será, será… Ainda não há Plano E. Mas a aversão do Congresso à ideia de ressuscitar a CPMF, coração do Plano D, já empurra os sábios do governo para a conclusão de que talvez seja conveniente elaborar um plano de contingência. Cogita-se legalizar o jogo do bicho, o bingo e os cassinos.

Na última quinta-feira, reunidos a portas fechadas com os parlamentares da Comissão de Orçamento do Congresso, os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) disseram que o governo não tem um Plano B.

Atônitos, os ministros ainda não se deram conta de que, em menos de nove meses, o governo já flerta com o Plano E. O alfabeto é extenso. Mas paira no ar uma dúvida: a paciência da plateia e a economia resistirão até o Plano Z?

Josias de Souza

Pelo fim do Fundo Partidário

Para que o quadro fique completo, deveria-se proibir não somente o financiamento empresarial de campanhas eleitorais, mas também o financiamento por parte de todas as pessoas jurídicas. Entre elas da (infelizmente) mais corruptora e corrupta pessoa jurídica: o Estado brasileiro, através de órgãos como o TSE e o Congresso Nacional que libera esses financiamentos. O Fundo Partidário (que financia com meu, seu, nossos impostos partidos tão diversos do DEM ao PCO) tem que ser extinto. Fica aí a dica ao [inserir o nome do parlamentar aqui].

Que as campanhas sejam financiadas apenas por pessoas físicas.

Texto para ser divulgado para todos os senadores e deputados federais. Já foi inserido nas fanpages de Alessandro Molon e Chico Alencar.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

STF proibiu doações de empresas para campanhas eleitorais

Avanço de verdade seria proibir doação de TODAS as pessoas jurídicas para campanhas eleitorais e partidos. Inclusive repasses de dinheiro do Estado. O que implicaria na extinção do Fundo Partidário.

Mais comentários no Facebook.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

A decadência da Igreja na Europa e na América

Comentários para Fratres in Unum:

A igreja europeia está decadente não é de hoje. Inclua-se aí a Santa Sé, infiltrada de hereges das mais variadas origens. Na verdade, a decadência vem, no mínimo, desde os episódios que suscitaram o cisma protestante. Se o católico médio europeu e suas mais altas autoridades eclesiásticas não seguem os mais elementares itens da doutrina de sempre, a Igreja fica fraca. Não pode testemunhar fé alguma. Torna-se incapaz de inspirar novos convertidos. Vira um campo de divisões no que não deveria haver divisões (a doutrina de sempre). Fica com medo da enorme leva de imigrantes de outras crenças que chegam à Europa. Se fosse uma igreja forte com um testemunho de fé autêntico, a igreja europeia não teria medinho da fé alheia. Pelo contrário: seria perfeitamente capaz de levar a fé católica a essas criaturas amadas por Deus e inspiraria suas conversões.

A igreja do continente americano não está muito diferente da europeia. Na verdade, os senhores cardeais, na tentativa fracassada de oxigenar a Santa Sé e a mais importante diocese europeia com um bispo não europeu, elegeu para o papado um bispo libertário da decadente igreja latino-americana, pródiga em coisas como Teologia da Libertação e RCC, esta inspirada pelos pentecostais protestantes dos Estados Unidos, país com uma igreja rica em dinheiro mas ética e moralmente decadente.

Tomara que os bons exemplos de fé da pujante igreja africana inspirem a igreja da Europa e da América. Além dos bons exemplos da pequena igreja fiel nas mais improváveis localidades.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Cardeal Pell relembra Margaret Thatcher

Enquanto as militâncias "pogreçistas" e as militâncias neocons entram em acordo para classificar Papa Francisco como um progressista ou comunista, um dos homens de confiança do papa portenho cita ninguém menos que Margaret Thatcher.

“A riqueza não facilita a conversão, recordemos o jovem rico... ‘é mais fácil um camelo passar por um buraco de agulha...’, e como dizia Margaret Thatcher, ‘ninguém se lembraria do Bom Samaritano se ele só tivesse boas intenções ao cuidar do homem machucado’. Ele possuía também o dinheiro necessário para pagar os cuidados e a hospedagem”.

São citações do Prefeito da Secretaria de Economia do Vaticano, Cardeal George Pell, sobre as relações entre a Igreja e o dinheiro. Basicamente, o cardeal defende que quem gere os recursos da Igreja faça isso com competência, sem cometer irregularidades e sem buscar benefícios injustos utilizando estes recursos que não lhe pertencem.

Agora, deixemos as militâncias em ambiente virtual falando só para eles mesmos.

Fonte da notícia: ACI.

Comentários no Facebook.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Esgotosfera "pogreçista" não sabe mais o que fazer. Apela até para a Disney

Acho engraçado que os mesmos internautas metidos a rebeldes, ex-supostos roqueiros que agora dizem não curtir mais rock, em virtude de deturpações como rock farofa, Rock in Rio mais pop que rock, Rádio Cidade, 89 FM e outras coisas, agora dizem curtir o pop mais comercial possível, achando discurso feminista e "pogreçista" até em cantoras e atrizes da Disney. E ainda dizem ser contra o capitalismo.

Melhor eu parar de respeitar bobagens da esgotosfera "pogreçista" e continuar curtindo não somente rock, mas também Star Wars, filmes da Marvel e até desenhos da Disney. Porque as coisas que gosto eu assumo. Em função de não ser "pogreçista" (assim mesmo, na novilíngua dos "cumpanhêro"), não cuspo no prato que como. Vejo os amigos leitores na próxima apresentação do Faith No More no Rio de Janeiro.

Comentários no Facebook.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Se tivesse sido o Constantino, a militância cairia de pau pra cima dele

Comentários para Linhaça Atômica publicados no Facebook:

O que aconteceu é que Hildegard Angel andou reclamando da farta presença de gente pobre nas praias de Copacabana, Arpoador, Ipanema e Leblon. Eu também senti isso quando passava por ônibus nesses lugares, mas, em que pese a perda do glamour, os pobres têm o direito de irem a essas praias. Só que as elites, como Hildegard, não admitem isso.

Ela fez uns comentários dizendo que as linhas da Zona Norte deveriam deixar de circular na Zona Sul e chegou a publicar uma nota pedindo para que fossem cobrados ingressos para entrar nas praias. O texto teve má repercussão e foi apagado.

A isto Rodrigo Constantino chama de "esquerda caviar". Só que, como ele é um liberal, se ele escrevesse alguma destas coisas contra Hildegard Angel a militância em ambiente virtual cairia de pau pra cima dele.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

O petista de ontem e o petista de hoje


Fonte: TV Magazine.

LucasFC

O petista de ontem: o PT era um deus, e o PSDB era o capeta.
O petista de hoje: nem o 13 e nem o 45 prestam, mas pelo menos o 13 investiga, ajudou os pobres e outros blá blá blás.

Meu querido, se cobrar e descer a lenha no governo atual já não resolve muita coisa, quem dirá fazer isso no antigo. Porque se for pra falar mal de governo anterior, vamos falar de Collor, Jânio, Getúlio. E cá pra nós, ngm merece ficar dando desculpinha esfarrapada. Esse governo é um lixo e quem votou nessa porcaria tem que dar a cara a tapa mesmo, talvez assim aprenda.

MyFabolousLife

Fato! Mas cá entre nós, o melhor argumento dos petralhas para defender o governo atual é falar mal do anterior, não que este tenha sido digno de elogios, mas isso apenas denota a total falta de substancialidade do partido dos "trabalhadores" e seu projeto de poder falido.

domingo, 19 de julho de 2015

Panelaço, buzinaço e barulhaço contra Eduardo Cunha



Que ninguém chame de golpista a indignação da população brasileira, que não é seletiva. Não é só contra o PT, a Dilma e o Lula. A indignação é contra políticos duvidosos, seja de onde forem. Sejam da base aliada (PMDB à frente), da oposição demo-tucana, do PPS, do PSB, do PSOL ou do partido político que for, do presente ou do futuro.

Na sexta-feira o panelaço, o buzinaço e o barulhaço foram contra Eduardo Cunha, presidente da Câmara, que fez um pronunciamento dito institucional na TV aberta, às 20:25 horas.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Liberais polarizarão com conservadores

"Pogreçistas" reclamam do levante conservador no Congresso. Esperem só a chegada do levante liberal, que polarizará com os conservadores e deixará "pogreçistas" chupando dedo de volta à oposição.

Reprodução do Facebook e do Twitter.

sábado, 27 de junho de 2015

A ausência de rock das 100 mais tocadas das FMs do Brasil

Resposta para Ricardo Alexandre publicada no Facebook:

A ausência de rock das 100 mais tocadas das FMs do Brasil diz muito mais sobre a indigência do rádio brasileiro que sobre a volta do rock aos redutos roqueiros. As rádios não servem mais de parâmetro para verificar o que é sucesso popular. Pra isso, as redes sociais são mais úteis. Rádio hoje em dia não serve mais pra ouvir música, já que hoje restam poucas boas rádios musicais fora do circuito das rádios estatais e universitárias. A maior parte do dial está hoje entregue ao blá blá blá tendencioso, à overdose de notícias (em 20 minutos a rádio que repete notícia), ao AM em FM e às jornadas futebolísticas com os ridículos times brasileiros e a seleção da CBF.

O rock brasileiro na esquisita década de 1990

Comentários para Linhaça Atômica e Ricardo Alexandre publicada no Facebook:

A década de 1990 foi esquisita. Poucas boas bandas chegaram ao sucesso nacional. Basicamente, Skank (esta mais MPBística que roqueira), Nação Zumbi (com e sem Chico Science) e Los Hermanos. O Mundo Livre S/A ficou mais restrito a redutos, como a MTV da Abril e, obviamente, a cena pernambucana. Cidade Negra é banda de reggae.

Pra inflar o cenário nacional do rock noventista, temos que apelar para segmentos específicos. Até mesmo o cenário gospel, que revelou excelentes bandas, como Oficina G3 e Resgate (ambas cobertas por portais de rock como o Whiplash, Fruto Sagrado, Katsbarnea e outras. Até mesmo o circuito católico revelou suas bandas, como Cristoatividade (de onde vieram integrantes da atual banda de louvor Anjos de Resgate), Eterna, Iahweh e Rosa de Saron, esta ainda com o Tchelão, futuro fundador do grupo The Flanders.

sábado, 20 de junho de 2015

Na exploração dos recursos naturais não renováveis, o egoísmo (também) dos países pobres

Resposta de Regina Ciommo para G1:

Obrigada André Trigueiro pela excelente resenha. O Papa Francisco é um verdadeiro líder, conectado com o nosso tempo, intelectualmente preparado e com sensibilidade e sabedoria, supera o mestre Francisco de Assis. Na verdade, nunca a humanidade compreendeu que dependemos todos uns dos outros, o egoísmo humano não tem limites. Não são só os países ricos que se recusam a mudar seus rumos, mas países pobres também, com o argumento de que "agora chegou a nossa vez". A exploração do pré-sal ilustra muito bem esse egoísmo.

sábado, 6 de junho de 2015

Quero distância dos fanáticos

Comentários para Governismo, a doença infantil:

Eu gosto de debater com gente de várias tendências políticas. Não importa o que sejam. Se são esquerdistas, direitistas, progressistas, conservadores, reacionários, social-democratas, liberais...

O problema são os fanáticos. Teve até gente rompendo amizade por causa desses assuntos. Não passam de fanáticos. Fizeram bem. Quero distância de fanáticos.

Altamiro Borges não era do meu círculo de amizades. Mas eu acompanhava o blogue dele, escrevia comentários lá, até trocava ideias com o Altamiro. Mas agora, com esse tipo de postagens, é mais um esquerdista de quem devo manter distância.

Eventuais comentários no Facebook.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Resposta para Instituto Liberal: "Paulo Freire e o assassinato do conhecimento"

Resposta para Instituto Liberal:

Paulo Freire participou da última grande reforma educacional brasileira, ocorrida em 1996 durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Tal reforma deu origem à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira, cujos resultados estão aí para todos nós vermos. Nossa educação continua atrasada, doutrinária e fraca.

Foi pra isso que acabaram com o Mobral, do regime militar?

Pelo menos o método paulofreirista gerou consciências críticas. A ponto de criticarem o próprio Paulo Freire e seu método.

Títulos de doutor honoris causa o malfadado FHC também tem. 29, ao todo. Mas vá dizer isso pra militância/milícia intelectual...

quinta-feira, 4 de junho de 2015

A não discussão sobre a maioridade penal

Na segunda-feira passada eu estava vendo o programa Globo News Em Pauta, e ouvi o Camarotti dizer que este momento de recrudescimento da violência não é o adequado para se discutir redução da maioridade penal.

Vem, cá, Camarotti. Desde quando este país NÃO TEM um recrudescimento da violência?

Se esperarmos um momento de paz, nunca discutiremos a redução ou não da maioridade penal. E a não discussão deste tema está longe de ser algo democrático, não é mesmo, Camarotti?

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Imagens do blogue voltaram hoje

Desde o mês passado estou enfrentando problemas com a mudança do provedor que hospeda boa parte das imagens deste blogue e de outros que edito. Parece que hoje finalmente ocorreu a migração das imagens, pois elas voltaram.

Ainda hoje à noite verificarei se os problemas terminaram ou não. Por enquanto, estou testando estes blogues remotamente, longe do equipamento onde faço toda a manutenção dos blogues.

Peço desculpas aos leitores, pela ausência. Além desses problemas técnicos estarem tomando parte do meu tempo, eu não tenho muito tempo para escrever. Não vivo disto aqui. Mas sempre estarei aqui, para escrever o que deve ser dito e não encontra espaço fácil em qualquer lugar. Agradeço pela paciência dos leitores. Continuemos juntos.

domingo, 24 de maio de 2015

Manifestantes fazem protestos contra o presidente Aécio Neves

Manifestantes ligados ao PT e às centrais sindicais pararam ontem a Avenida Paulista, em São Paulo, em protesto contra o anúncio do governo federal de cortar 70 bilhões de reais do orçamento.

Também houve manifestações em Brasília, onde cerca de 400 pessoas tentaram impedir a reunião do presidente Aécio Neves com a chefe do FMI, Christine Lagarde.

O ex-presidente Lula classificou a reunião com o FMI como um ato de submissão do Brasil ao sistema financeiro internacional. “As elites conseguiram o que queriam: curvar o país ao FMI e tirar o dinheiro da saúde e da educação”, disse Lula. “Não podemos interromper a nossa luta contra o sistema neoliberal tucano.”

Paredes de sete ministérios amanheceram pichadas com as frases “Contra o ajuste neoliberal”, “Fora Aécio, Fora FMI”, “Volta, Dilma” e “Fora, tucanos”.

Em protesto contra o corte do orçamento da Educação, pelo menos quarenta universidades federais decidiram manter a greve que já completa três meses. “Se Dilma tivesse sido reeleita, não estaríamos passando esse vexame”, afirmou o presidente do sindicato dos professores.

Celebridades ligadas à esquerda também se pronunciaram. Segundo a coluna de Mônica Bergamo, o ator José de Abreu e o escritor Fernando Morais preparam uma marcha de intelectuais a Brasília. O cantor Chico Buarque publicou nas redes sociais uma foto vestindo uma camiseta com a frase “Ajuste fiscal não”.

Em Porto Alegre, a ex-presidente Dilma Rousseff classificou o corte de gastos como absurdo e inadmissível. Ao lado de Arno Augustin, ex-secretário do Tesouro Nacional, ela disse: “O que eu posso dizer a vocês, no sentido de afirmar mesmo, é que o Brasil está numa posição, ou melhor, num posicionamento de atitudes que jamais aconteceriam se a eleição tivesse outro resultado, não aquele resultado que teve efetivamente”. Pelo que a reportagem conseguiu entender da declaração, a presidente quis dizer que jamais colocaria um banqueiro no Ministério da Fazenda ou concordaria com cortes de gastos.

Este foi um mero exercício de ficção atribuído a Leandro Narloch e publicado por Luciano Pires no Facebook.

Mais comentários no Facebook.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

CNBB, uma entidade demo-revolucionária

Resposta de Gederson para Fratres in Unum:

A CNBB quer a qualquer custo um modelo de democracia revolucionária, ela mesmo é demo-revolucionária. Neste caso, parece me que um meio de frear as suas esperanças democráticas, é usar de instâncias democráticas contra ela mesma. Dada a absurda realidade em que nos encontramos, seria muito útil um “Código de defesa dos fiéis” para que pudessem cobrar das autoridades católicas uma boa liturgia e uma boa doutrina, e também contra as instrumentalizações que estamos tão acostumados a ver e são notórios nas Comissões pastorais da CNBB.

O Fratres in Unum volta e meia pública denúncias, que geralmente surtem algum efeito. Se tivéssemos um site católico (algo como um “Reclame aqui católico”) só para esta finalidade, onde as pessoas pudessem fazer denúncias, isso também poderia surtir efeitos positivos. Iniciativas como a “Filial súplica” já contam com mais de 225 mil assinaturas. Isto poderia ser feito também neste site com os problemas mais comuns. Seria um espaço, onde pessoas como o sr. Paulo Jacobina, poderiam falar da experiência das Missas “sertanejas”, “crioulas”, “rock” e de todos os gostos, e os responsáveis pelo site faria comentários dessas coisas a partir do CDC (Código de Direito Canônico, nota da redação) e cobrariam das “autoridades” um posicionamento.

Quanto a questão da “Reforma política”, outro dia estava comentando com um amigo, seu principal problema é que não existe outra proposta de reforma, não temos opção de escolher entre outras propostas de reforma. Isso não é democrático, e menos democrático ainda, será se 1,5 milhões de pessoas, promulgarem uma lei para mais de 100 milhões de pessoas, quando essa quantidade de pessoas não elegem um candidato. Esse tipo de abertura teria que ser reformado e ser exigido pelo menos 51% de todos os eleitores nacionais.

Reforma política é uma coisa séria, não é algo que pode ser feito apenas por uma parcela da população (ainda mais a pior). Dentro do atual sistema, seria justo que cada partido apresentasse sua proposta e se fizesse um “Plebiscito”. Penso ser essa a palavra chave “Plebiscito”. Na atual conjuntura em um “Plebiscito” a proposta petista sofreria uma derrota esmagadora. Só ganhariam se fraudassem a eleição.

Se querem uma reforma política, então, que seja feito um “Plebiscito” e se apresentem outras propostas. Não é democrático um partido impor sua vontade a toda nação por vias indiretas!

domingo, 17 de maio de 2015

1964: duas facções de estatólatras

Resposta para Marcos Vinicius Mesquita publicada no Facebook:

"os tiozões e tiazinhas CAPS LOCK da "intervenção militar" são exatamente a MESMA MERDA dos canalhas ensebados que pedem PASSE LIVRE.
Os dois são CHATOS PRA CARALHO e querem um milagre estatal pra resolver o problema por eles".

Precisou o Lobão ir na TV dizer o que eu já estou dizendo há tempos.

Já eu digo há tempos que a quartelada de 1964 e o regime militar que veio depois foram resultado da guerra entre duas facções de estatólatras, uma à direita e outra à esquerda, que queriam tomar o Estado para pilhar o Estado e a sociedade.

No século XXI, as duas facções resolveram se unir para pilhar o Estado e a sociedade juntas.

sábado, 16 de maio de 2015

Sindicatos de ladrões

Resposta para Marcos Vinicius Mesquita publicada no Facebook:

Os ladrões tucanos e os ladrões PMDBistas roubam porque são só ladrões. Os ladrões petistas roubam com objetivos políticos e revolucionários. E chamam de "expropriação".

terça-feira, 12 de maio de 2015

Da lista dos 10 piores filmes de super-heróis dos anos 90 da Legião dos Heróis, só vi dois

Ainda bem!

Resposta para Legião dos Heróis:

Só vi dois desses filmes.

Capitão América 1990 vi recentemente no Telecine. Ô, filme mais tosco! A transformação do Steve Rogers em supersoldado teve efeitos visuais de filmes lados B dos anos 60. O envelhecimento do Caveira Vermelha ao longo das décadas foi ridículo. O cara simplesmente DEIXOU de ter pele vermelha! E a história termina abruptamente, dando a impressão que o dinheiro da produção acabou antes de gravarem algo melhor. Pareceu final de novela da TV Manchete às vésperas da extinção. Batman & Robin deve ser o pior filme baseado em HQs entre os filmes com orçamento superior a 100 milhões de dólares (foram 125 milhões). Basta ver a relação custo-benefício, comparando com o resultado final (o filme em si) e a bilheteria (mais de 238 milhões de dólares). Se não tivéssemos o grande piloto heptacampeão Michael Schumacher na Fórmula 1, o sobrenome ficaria amaldiçoado para sempre pelo que Joel fez neste filme e no Batman Forever.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

A inutilidade dos panelaços

Eu que não perco meu tempo batendo panela como esse povo faz. São como o povo que faz passeata pela paz enquanto os traficantes e os milicianos gargalham e contam seu vil metal.

sábado, 2 de maio de 2015

A culpa intransferível do PT

Resposta de And_Terra para Antônio Augusto de Queiroz do Diap publicada no Congresso em Foco:

Até parece que o PT é "vítima" desse estado de coisas... Filho, acorda, O PT é o "establishment"! Lá se foram doze anos e vcs ainda cultivam a falsa imagem de que O PT é um "outsider"; ledo engano! O PT é o partido mais rico do Brasil, seus afilhados lotam os absurdos 38 ministérios, fundações, autarquias... Mesmo em meio a crise, os bancos não se cansam de bater recordes de lucros no governo petista, e isso p não falar nas benesses que o poder conferiu à Aristocracia Petista junto aos empreiteiros e ao alto empresariado agraciado com subsídios do BNDES, abastecido com subsídios "extra orçamentários" advindos do Tesouro Nacional, ou seja, dinheiro de todos nós!!! O PT não é vítima, O PT é um elo fundamental do sistema! O PT é o avalista do pacto conservador que governa o Brasil há mais de uma década! Por baixo distribui migalhas à população e péssimos serviços públicos, mas "por cima" arrasta p seus cofres os frutos das concessões e dos privilégios que distribuiu ao donos do grande capital !!!!

sexta-feira, 1 de maio de 2015

CBF marca Grêmio x Ponte às 11h em teste para novo horário no Brasileirão

Comentários para Globo Esporte:

Ok, o Grêmio não ganha nada há anos. Nem o Gauchão (o Inter já é tetra). Mas isso é prova de que a CBF persegue o Grêmio há anos. 11h é horário de jogo de time de juniores. Não de time da Série A do Campeonato Brasileiro.

Jogo às 11h no frio do Sul é moleza. Quero ver a dona CBF marcar jogo do Sport às 11h no calor de Pernambuco ou de time carioca no calor do Rio de Janeiro, ou marcar jogo de quarta-feira às 20:30 pra ferrar a RGT, seu JN e suas novelas.

sábado, 25 de abril de 2015

O que é o financiamento exclusivamente estatal de campanhas eleitorais?

É o monopólio da corrupção estatal na corrupção de políticos. Hoje ainda há a corrupção estatal e a corrupção privada. Querem deixar só a estatal.

Tudo bancado com dinheiro de impostos de contribuintes que não querem bancar alguns desses partidos que estão aí, ou mesmo nenhum deles.

Curiosamente, vários desses que querem deixar só a corrupção estatal se beneficiam de financiamento de empresários corruptores que se beneficiam de negócios com o Estado. Empresas privadas que se penduram em negócios escusos com políticos encastelados no Estado acabam se tornando uma extensão do Estado.

Eventuais comentários no Facebook.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

A idolatria do PC do B pelo Estado militarizado

Resposta para Revista Fórum publicada no Facebook:

Ao invés de acabar com o serviço militar obrigatório para ambos os gêneros, tornando-o opcional para ambos, a senadora Vanessa Grazziotin bota um selo de "opcional" para o serviço militar feminino. Como o PC do B apoiava a "contribuição" chamada CPMF (que virou imposto) e não descarta impor o serviço militar obrigatório feminino lá na frente, isso só pode vir mesmo de um partido que idolatra o Estado acima de tudo, a impor coisas de cima para baixo, sem debater nada. E ainda por cima um Estado militarizado, o que iguala o PC do B aos seus companheiros de idolatria estatal na direita conservadora e no fascismo.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Pela manutenção da exibição correta dos créditos finais nos filmes!

Comentários para Legião dos Heróis publicados no Facebook:

Joss Whedon tem que parar de menosprezar os créditos finais, que ele chama de “40 minutos de letrinhas”. Os "40 minutos de letrinhas" fazem justiça às milhares de pessoas que trabalharam duro para que esse filme existisse.

Aliás, os canais pagos tem que parar com a mania de passar os créditos finais em velocidade acelerada, às vezes supersônica. Pior fazem as TVs abertas que nem exibem os créditos. Sequer as logomarcas dos produtores.

terça-feira, 21 de abril de 2015

Bispos de Brasília dominam CNBB

Resposta para Fratres in Unum:

Dom Sérgio da Rocha, novo presidente da CNBB

Enquanto isso, Dom Leonardo Ulrich Steiner foi reeleito secretário-geral. O que diz muito sobre a impostura que é a existência da CNBB. Se a CNBB toma tanto tempo assim dos bispos da diretoria da CNBB que agora os bispos estão preferindo eleger DOIS bispos de Brasília (cidade-sede da CNBB) para sua diretoria (o arcebispo para presidente e um bispo auxiliar para secretário-geral), é prova de que a CNBB toma tempo demais que os bispos deveriam estar dedicando às suas próprias dioceses e na evangelização da Igreja como um todo, por fazerem parte de um colégio episcopal presente em quase todo o mundo com mais de 4 mil bispos.

Dom Murilo Krieger (aquele que Papa Francisco não quer no cardinalato) foi eleito vice-presidente da CNBB. O que mantém a rotina numa entidade historicamente dominada pelo clero "pogreçista": sempre dão a vice-presidência como prêmio de consolação para um bispo supostamente conservador ou tradicionalista. O presidente da CNBB comanda a conferência como um todo, o secretário-geral comanda as pastorais e o vice-presidente é um mero eventual substituto do presidente.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Pelo fim da farra no cinema nacional

Comentários para Época publicados no Facebook:

Os governos das três esferas tinham é que parar de jogar dinheiro fora nessa farra de globais que é o cinema nacional. Inclusive uma famosa estatal que nem é bom ficar citando, senão as militâncias partidárias vem baixar o cacete.

Se fizerem um documentário só sobre a produção do filme do Chatô, é capaz de ser melhor que o filme do Chatô, e ter mais bilheteria.

sábado, 11 de abril de 2015

Dilma Rousseff e a aprovação do PL 4330 na Câmara dos Deputados

Comentários para O Dia publicados no Facebook:

Tentam a todo custo livrar a cara de Dilma Rousseff da culpa pela aprovação do PL 4330. Se ela fosse tão contra o projeto, teria exonerado todos os filiados dos partidos da base dos milhares de cargos de confiança de seu governo, deixando só os dos partidos cujas bancadas rejeitaram majoritariamente o projeto: PT e PC do B. Devia deixar esses outros partidos ao lado dos partidos conservadores da oposição, com quem se entendem muito bem.

Coração valente e corajoso mandou lembranças e deu adeus.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Dia 25 de setembro! Anotem aí!

Ganhei um ingresso de presente para o Rock in Rio, com data a escolher. A princípio, eu acompanharia pessoas da família no dia 20 de setembro, em que estarão Rod Stewart, Elton John (sério candidato à melhor apresentação da noite, com seu pop honesto e bem encorpado), Paralamas do Sucesso, John Legend e até a Baby do Brasil (ex-Consuelo) com convidado ainda a ser anunciado.

Mas olhei bem pra essa escalação pra esse que, ao meu ver, é o mais mal escalado Rock in Rio de todos os tempos. Só é legal pra quem curte som pop ou rock pesadão. Não tem meio termo. Nem um Neil Young ou Bruce Springsteen pra salvar o festival. E olha que esses dois eu vi tocando lá mesmo.

Mas eis que encontro um dia que terá Steve Vai com orquestra sinfônica (Camerata Florianópolis), Nightwish, Moonspell com Derrick Green, jam session com trilhas de filmes de terror, Slipknot (tá, não curto muito nu metal, mas dá pro gasto), De La Tierra, Mastodon e, sobretudo, Faith No More lançando CD de INÉDITAS (os caras NÃO vivem do passado!)...

É. Agradeço muito a quem me deu o ingresso de presente. Só lamento não poder fazer companhia no dia 20. Divirta-se. Eu irei no dia 25. Alguém irá também? Que nosso som ecoe pelos quatro cantos do planeta!

segunda-feira, 6 de abril de 2015

O gênero novela está superado

Resposta para TV Magazine:

O gênero novela está superado. Foi superado pelos seriados, que fazem a alegria da TV paga e dos serviços de streaming.

Se a RGT está tão insatisfeita com a audiência de sua Babilônia e tem culhões de verdade, deveria simplesmente tirar a novela do ar, sem gravar um final, e reprisar alguma de suas novelas anteriores. Ou então pensar seriamente em acabar com as novelas das 21h e ocupar o horário com minisséries, que a RGT faz muito bem, mas só exibe depois do famigerado BBB ou dos programas de variedades de 22h.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Política brasileira: baixa gastronomia

A política brasileira virou uma briga de baixa gastronomia, com muita caloria e colesterol: mortadelas vs. coxinhas.

Frase apresentada também no Twitter e no Facebook.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Que o PT e a direita fascista se matem

Resposta para Lula convoca PT a reagir contra cerco promovido pela direita fascista publicada no Facebook:

Ué, só o PT, o PC do B e o PDT continuarão na base de apoio governista?

Que o PT e a direita fascista igualmente estatólatra se matem. A rigor, a direita democrática nem está indo pras ruas. Prepara suas respostas fora dos holofotes. Tomara que sejam boas propostas. Porque, quando emergir, será tarde para uma reação dos lulo-dilmistas de todas as tendências e partidos.

domingo, 29 de março de 2015

Rede, Novo, Raiz, SD, DEM...

Resposta para Carta Capital publicada no Facebook:

Na Itália houve a Operação Mãos Limpas, que levou à extinção de partidos políticos envelhecidos e a criação de novos partidos combinada com a refundação e troca de nomes de antigos. Pode ser que o mesmo esteja acontecendo no Brasil. Com um detalhe: os partidos novos não põem mais o P de partido na sigla. Aqui é um tal de surgir Rede, Novo, Raiz... Até o Solidariedade (SD), herdeiro de algumas práticas de partidos conservadores. Isso sem falar do conservador DEM, que nada mais é que o PFL renunciando ao liberalismo e virando só conservador.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Petição pelo retorno ao ar da Kiss FM do Rio de Janeiro

O TRIBUTO apoia a petição aberta hoje pelo retorno ao ar da Kiss FM do Rio de Janeiro. Eis o texto da petição:

Depois de 9 anos sem uma rádio de Rock no Rio de Janeiro, em fevereiro de 2014 entrou no ar a Kiss FM, dando grande esperança ao público roqueiro da cidade fluminense. Porém, devido a problemas técnicos, burocráticos e judiciais, a rádio se encontra fora do ar à exatos 117 dias, deixando o público do gênero Rock sem nenhuma alternativa além de rádio na web.

Essa petição pede o retorno da rádio Kiss FM aos 91,9 FM do dial carioca!!

Agora, um texto do internauta Raimundo Vieira:

Liberdade musical e opção no dial, para uma nação de pessoas poder voltar a ouvir a boa e velha FM. De que adianta a ABERT fazer campanha para ouvirmos rádio se há muito tempo não temos opção de rádio alternativa, de tudo que temos hoje no ar 80% é descartável e boa parte é fruto do desgoverno.

Endereço da petição: https://secure.avaaz.org/po/petition/Kiss_FM_Retorno_da_radio_ao_dial_do_Rio_de_Janeiro

Texto publicado originalmente no Blogue do Tributo.

sábado, 21 de março de 2015

Você diz que é nerd, mas quer a ditadura de volta? Babaca

Poderiam aproveitar e mostrar este vídeo para o babaca que apareceu recentemente num dos comentários do Omelete fazendo campanha antissemita contra Marcelo Hessel e o Omelete e dizendo que portais nerds como o Omelete foram criados pela indústria cultural gringa para alienar a população, como a TV fazia anos atrás.

Viva a liberdade e a democracia! Sempre.

quinta-feira, 19 de março de 2015

sábado, 14 de março de 2015

O rádio musical está um saco

Resposta para A onda da MPBebum: Música para Pinguços e Bêbados:

Nem a MPB FM ouço mais. Nesta semana flagrei a rádio tocando Sullivan & Massadas (Deslizes, na gravação de estúdio do Fagner). Parece que até a Rádio Senado (que dizem que está chegando ao Rio de Janeiro) tem uma programação musical (quando não tem senadores falando) infinitamente melhor, sem música de cabresto e sem MPBebum.

Se for pra ouvir a MPB FM, prefiro a MP3 FM.

domingo, 8 de março de 2015

É zona! Vambora fazer propaganda política paga no feicibúqui!


Sou favorável à liberdade de expressão. Sempre. Mesmo de figuras como Jandira Feghali, que eu não sigo no Facebook. Não importa o que digam.

Mas é muita sacanagem o Facebook botar propaganda política paga e mostrar pros não seguidores dos que pagam a propaganda.

Mesmo assim, ainda tem político querendo o monopólio do Estado no financiamento de campanhas eleitorais. Hoje tanto a direita como a esquerda fisiológicas tem campanhas bancadas por empresas corruptoras, além das pessoas físicas e do Estado (via fundo partidário). Com o monopólio do Estado (corrupto e corruptor, em função dos políticos que mandam nele), só os partidos estatólatras teriam receita para suas campanhas. Ou seja: partidos fisiológicos da direita e da esquerda. Que são exatamente os que mais recebem dinheiro atualmente do fundo partidário.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Rafael Correa: Um conservador de esquerda no arraial bolivariano se rendendo ao óbvio?

Comentários para ACI Digital publicados no Facebook:

Presidente do Equador propõe a abstinência para evitar gravidez na adolescência

Um conservador de esquerda no arraial bolivariano se rendendo ao óbvio?

Quero ver até quando o presidente aguentará a pancada que levará de liberais comportamentais da esquerda à direita e de hedonistas em geral.

terça-feira, 3 de março de 2015

Rock in Rio, ou simplesmente RiR é pra rir, mesmo

Resposta para Whiplash publicada no Facebook:

Eu só vou porque, além de ter excelente companhia, tem sempre a possibilidade de aparecer algum nome do classic rock encerrando algum dia, como Neil Young e Bruce Springsteen em anos anteriores, que vi tocando in loco.

Se não anunciarem mais nada que preste, é provável que vá conferir o pop honesto do A-ha e saia mais cedo. Não fico pra ouvir Katy Perry nem se me pagarem.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Sempre ponha a culpa no FHC

Comentários para Governo planeja pacote para socorrer empreiteiras suspeitas publicados no Facebook:

Engula o choro e aguente tudo calado. Se reclamar, te taxarão de elitista, coxinha, egoísta, capitalista, puxa-saco dos Grandes Empresários, golpista, PiG, essas frescuras.

Faça como uma imbecila fez: ponha a culpa no FHC. Mais fácil. E ainda ficará de bem com a intelectualidade dominante.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

The Economist faz matéria sobre os liberais brasileiros

Enquanto a imprensa podre e patrimonialista daqui do Brasil faz vista grossa, a revista The Economist fez matéria precisa sobre a ascensão dos liberais brasileiros, seja na versão clássica ou na versão mais libertária. Chegam a citar o "espectro político estreito do Brasil". Citam nominalmente o PT e o PSDB, que polarizam o quadro. Informam também que o Partido Novo está chegando para representar os liberais. Vale a pena conferir.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Aparelharam até a Arquidiocese do Rio de Janeiro

Resposta para Carlos Dias:

Na capela Jesus Eucaristia no Engenho de Dentro estão coletando assinaturas para o projeto de deforma política da CNBB. Aquilo não é reforma. É deforma, mesmo. Praticamente uma cópia do projeto de deforma política do PT. Duvido que essas coisas acontecessem na Arquidiocese no tempo dos saudosos São João Paulo II e Dom Eugenio de Araújo Cardeal Sales.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Segundo Ulderico, a classe média tradicional quer mudanças positivas

Se a Marilena ver isto aqui no GGN, terá um chilique daqueles!

Resposta de Ulderico para Jornal GGN:

A classe média tradicional, pela melhor formação e pela ética cristã, sempre teve ojeriza da corrupção. Já os pobres, até por falta de opção, aceitavam a dentadura, o trocadinho, o pé de chinelo antes e outro depois da votação, O pobre sempre se conformou com a corrupção.

Quando os rendimentos da parte melhor esclarecida da população foram atacados por todos os lados, para favorecer os menos esclarecidos, a partir de políticas quase sempre demagógicas, criou-se o ressentimento. Até porque muitos dos integrantes da classe média tradicional, em grande parte descendentes de imigrantes, criaram a ascensão a partir do esforço próprio. Nunca precisaram de esmola governamental.

Perderam muitos de seus direitos, viram as universidades frequentadas por seus filhos, antes acessíveis apenas pela meritocracia, caírem muito de padrão, com a avalanche de gente despreparada que nelas agora estuda.

E pagam cada vez mais impostos.

Antes identificavam políticos corruptos de direita, sabiam de quem se tratava, e não votavam neles, Quem isso fazia eram os pobres, que votavam na turma do rouba mas faz.

Hoje surgiu um tipo diferente de político: o político de esquerda corrupto, que acha não sê-lo.

A hipocrisia é a pior das deficiências de caráter. E o pior dos pecados. A classe média tradicional, de sólida formação religiosa, abomina a hipocrisia.

Quando a atual classe média ascendeu pelo consumo, não teve a educação e a renovação de valores necessários, até porque isso não interessava ao governo, que se apegou ao voto dos rincões. Mas essa classe C, agora, começa a copiar os valores de quem mais admirava e invejava: seus antigos empregadores de classe média.

Ou seja, a corrupção passou a ser execrável também na classe C, o que vai acabar derrubando os governos esquerdistas.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

UFRJ FM recebeu autorização para entrar no ar




2015 está sendo movimentado nas frequências de FM do Rio de Janeiro abaixo dos 90 MHz. Além da chegada hoje da Feliz FM 89,5 (ver resenha do Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro aqui), no último dia 11 a UFRJ FM 88,9 (a ser operada pela EBC) recebeu autorização para entrar no ar. Vale lembrar que essa autorização saiu mais de um ano depois da concessão da outorga em 22 de janeiro de 2014, conforme informado no Blogue do Tributo. Aguardemos as próximas movimentações da UFRJ FM, que há de ser uma boa rádio universitária. Assim queremos. Assim esperamos. Por isso cobremos.

Texto adaptado do Blogue do Tributo.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Chega de jogar dinheiro público fora na indústria do entretenimento

Eu fico puto com fatos citados em trechos como este, do blogue Linhaça Atômica de Alexandre Figueiredo:

Nem a intervenção da intelectualidade "bacaninha" que surgiu sob as bênçãos da Folha de São Paulo e da Rede Globo, mas que fingiu ser esquerdista para abocanhar verbas do Ministério da Cultura, de pedir o "reconhecimento artístico" a Luiz Caldas e os primeiros axézeiros, conseguiu resolver a situação (a decadência da axé music, assunto do texto do Linhaça Atômica).

Sabem qual é a solução para isso, Alexandre e demais amigos? O Governo Federal tem que parar de jogar dinheiro público fora na indústria do entretenimento. Se alguns segmentos da arte, da cultura ou do entretenimento (levando em conta que nem todo entretenimento é cultura e arte e nem toda cultura ou arte é entretenimento) viraram indústria, então se comportem como tal. Sejam autossuficientes. Sejam bancados pelos próprios recursos (o chamado capital de giro) ou pelos patrocínios da iniciativa privada da qual fazem parte. Deixem que os recursos públicos sejam utilizados para fomentar expressões ainda sem economia de escala, sejam expressões eruditas ou populares. Quem sabe um dia não vejamos mais governos e estatais enfiando suas logomarcas em tudo quanto é produto de entretenimento, de filmes do cinema nacional (até mesmo da endinheirada Globo Filmes) a CDs e DVDs da Plebe Rude.

Tem mais: sou favorável à fusão do Ministério da Cultura com o Ministério da Educação. Um ministro e um gabinete a menos também é menos dinheiro jogado fora. Tem um monte de países por aí onde a cultura é assunto do Ministério da Educação... No Brasil não é assim porque vários governos usam o cargo de ministro da Cultura (e outros cargos) nas barganhas fisiológicas.

Mais comentários aqui.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Os 50 Tons de Vermelho da Carta Capital

Comentários para Carta Capital publicados no Facebook:

É o filme achincalhado do ano, sexo para quem não o faz, coisa de mulher, todos dizem. Doe 50 dólares a quem combate o abuso sexual, não veja o abusivo 50 Tons de Cinza de uma indústria milionária, pregam as redes sociais. Grave sua transa e dispense o filme inglês, proclama Samuel L. Jackson, o ator americano que não abre mão do porte de armas.

Não faço sexo, mas nem por isso saio de casa pra ir pro cinema ver um troço desses.

Agora, se a senhora Pavam quis desqualificar o Samuel por ele ter porte de armas, perdeu feio. Podia ter sido mais irônica dizendo que Samuel disse o que disse porque o filme é da Universal, não do conglomerado Disney, que faz os filmes dos Vingadores. Mas pedir conhecimento de coisas sutis como essas é demais pro pessoal da Carta Capital.

Ao invés de me preocupar com os 50 Tons de Cinza, prefiro acompanhar apreensivo os 50 Tons de Vermelho dessa baixa política brasileira.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Blog do Coronel republica reportagem d'O Globo com imprecisões sobre Lindberg Farias

Resposta para Blog do Coronel:

Que droga de reportagem, essa d'O Globo. Lindberg Farias não é crítico ao Governo. Outro dia mesmo ele apelava para que ninguém confundisse os pedidos de impeachment de Collor nos anos 90 com os atuais pedidos de impeachment de Dilma. Lindberg fala isso toda vez que alguém lembra que ele se lançou na política como cara-pintada, na linha de frente do Fora Collor.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Protestantismo tupi neocon brazuca querendo dominar geral

Resposta para Paulo Le Chevalier publicada no Facebook:

Paulo Le Chevalier

Se o
Protestantismo tomar conta do Brasil, eis alguns dos seus efeitos imediatos: 1) supressão de toda simbologia católica pública; 2 ) guerra entre as igrejas protestantes; 3) tomada de poder pelos socialistas.

Sobre o segundo tópico, gostaria de fazer uma consideração: os protestantes brasileiros não possuem uma cultura cívico-histórica aos moldes dos protestantes americanos, que moldaram as instituições do seu país à sua imagem e semelhança ( contando com apoio maçônico ). O Protestantismo no poder no Brasil poderá trazer problemas graves de ordem institucional e uma galopante anarquia.

No caso da supressão da simbologia católica pública, os protestantes se aliam aos ateus e atoas.

No caso da cultura política do protestantismo neocon brasileiro, ele é tão estatólatra quanto a Teologia da Libertação e a Teologia da Missão Integral.

A guerra entre as igrejas protestantes já começou. Toda hora tem um arranca-rabo pra ver quem fala mais alto, pra quem ocupa determinados horários e canais de rádio e de TV. É um pastor tirando outro do ar.