Política, cultura e generalidades

sábado, 11 de outubro de 2014

PSOListas surgiram com os termos "apoio crítico" e "voto crítico"

Foi em 2006, durante as eleições presidenciais daquele ano, quando Lula venceu Geraldo Alckmin. Com sua candidata Heloísa Helena fora do segundo turno, vários militantes do PSOL disseram que dariam "apoio crítico" e "voto crítico" para Lula, continuando a lhe fazer oposição. Continuaram a dar "apoio crítico" e "voto crítico" em segundos turnos para candidatos de esquerda pelo país afora, nos anos seguintes.

Agora várias figuras do PSOL retomam o "voto crítico", desta vez para Dilma Rousseff. Entre elas Marcelo Freixo. Só que "apoio crítico" e "voto crítico" viraram lugar comum, ainda mais nesta democracia de voto obrigatório, inclusive no segundo turno, onde só há dois candidatos para cada cargo eletivo. Não raramente, ambos candidatos com consideráveis índices de rejeição. O que tem de gente por aí dando apoio crítico e voto crítico para Aécio Neves, Pezão e Marcelo Crivella é uma grandeza. Só que os caras do PSOL não podem reclamar. Foram eles que surgiram com os termos na atual Nova República. A população aprendeu. Agora tomem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário