Política, cultura e generalidades

terça-feira, 29 de julho de 2014

Boçais estatais contra a publicidade infantil e a porquinha Peppa

Comentários para TV Magazine sobre o Projeto de Lei PL 5921/2001 da Câmara dos Deputados:

Vai ver, nem os políticos tomam conta dos filhos deles, e por isso vemos aí tantas dinastias de políticos picaretas atravessando duas, três e até quatro gerações.

Mas isso tudo é muito mais que uma questão de alguns políticos achando que o Estado pode substituir os pais no monitoramento do que as crianças veem na TV, já que eles mesmo devem ser uns incapazes e veem incapacidade também nos pais de outras crianças. O fundamental nessa questão toda é a sanha autoritária de muitos políticos e agentes do Estado. Isso transcende partidos e ideologias. Abrange tanto conservadores como progressistas, direitistas como esquerdistas, governistas como oposicionistas, liberalistas econômicos como estatistas. No Brasil, a sanha autoritária de boçais estatais vem pelo menos desde o Estado Novo. Antes havia o patriarcado patrimonialista da Coroa portuguesa, do Império brasileiro e da República Velha. Lá fora a sanha autoritária de boçais estatais também transcende partidos e ideologias. O Partido Conservador reassumiu recentemente o governo da Austrália depois de anos de governo do Partido Trabalhista, e nas discussões sobre a aplicação de verbas públicas para compra de programas para a ABC (a TV estatal australiana), os caras ameaçam não renovar o contrato de exibição do seriado britânico Peppa. Membros do Partido Conservador acusam o desenho de ser feminista. Na definição deles, "a personagem Peppa estaria mais próxima dos valores do Partido Trabalhista do que das crianças da pré-escola que a assistem".

Toda essa celeuma autoritária porque um dos episódios do seriado mostra Papai Pig (o pai da protagonista, uma menina chamada Peppa Pig) fazendo sopa para o almoço, enquanto Mamãe Pig trabalha em casa. Pombas. Homens fazendo tarefas domésticas e mulheres trabalhando em casa são coisas rotineiras em diversos países, inclusive na Austrália, na Europa e no Brasil. Mesmo homens mais antiquados fazem tarefas domésticas, muitas vezes dividindo-os com as pessoas que moram na mesma casa, principalmente esposas.

Outras fontes da notícia: TPM, Vila Mamífera e Com Pauta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário