Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Novo apresentou pedido de registro no TSE

Resposta para Brasil 247:

A cúpula do Novo já apresentou no TSE o requerimento de registro do partido. Veremos o que fará aquele membro do STF indicado por José Dirceu. De qualquer forma, a esquerda pode ficar aliviada. Porque, na melhor das hipóteses para o partido, o Novo só poderá disputar as eleições de 2016.

O perfil Socialismo da Depressão no Facebook crava: "Os leite-com-peras se consolidaram em mais um partido: O Partido Novo...". Do jeito que vai a política no Brasil, talvez os leite-com-peras prestem um bom serviço para o país, quando chegarem ao poder. Porque a geração Coca-Cola e a geração tubaína estão aí no poder e fazem uma lambança atrás da outra. Nem dá para a população respirar.

Ah, esqueci da geração mais velha que está dividindo o poder com as gerações Coca-Cola e tubaína: a geração Cuba Libre dos anos 60 e 70. As três fazem uma lambança atrás da outra.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Boçais estatais contra a publicidade infantil e a porquinha Peppa

Comentários para TV Magazine sobre o Projeto de Lei PL 5921/2001 da Câmara dos Deputados:

Vai ver, nem os políticos tomam conta dos filhos deles, e por isso vemos aí tantas dinastias de políticos picaretas atravessando duas, três e até quatro gerações.

Mas isso tudo é muito mais que uma questão de alguns políticos achando que o Estado pode substituir os pais no monitoramento do que as crianças veem na TV, já que eles mesmo devem ser uns incapazes e veem incapacidade também nos pais de outras crianças. O fundamental nessa questão toda é a sanha autoritária de muitos políticos e agentes do Estado. Isso transcende partidos e ideologias. Abrange tanto conservadores como progressistas, direitistas como esquerdistas, governistas como oposicionistas, liberalistas econômicos como estatistas. No Brasil, a sanha autoritária de boçais estatais vem pelo menos desde o Estado Novo. Antes havia o patriarcado patrimonialista da Coroa portuguesa, do Império brasileiro e da República Velha. Lá fora a sanha autoritária de boçais estatais também transcende partidos e ideologias. O Partido Conservador reassumiu recentemente o governo da Austrália depois de anos de governo do Partido Trabalhista, e nas discussões sobre a aplicação de verbas públicas para compra de programas para a ABC (a TV estatal australiana), os caras ameaçam não renovar o contrato de exibição do seriado britânico Peppa. Membros do Partido Conservador acusam o desenho de ser feminista. Na definição deles, "a personagem Peppa estaria mais próxima dos valores do Partido Trabalhista do que das crianças da pré-escola que a assistem".

Toda essa celeuma autoritária porque um dos episódios do seriado mostra Papai Pig (o pai da protagonista, uma menina chamada Peppa Pig) fazendo sopa para o almoço, enquanto Mamãe Pig trabalha em casa. Pombas. Homens fazendo tarefas domésticas e mulheres trabalhando em casa são coisas rotineiras em diversos países, inclusive na Austrália, na Europa e no Brasil. Mesmo homens mais antiquados fazem tarefas domésticas, muitas vezes dividindo-os com as pessoas que moram na mesma casa, principalmente esposas.

Outras fontes da notícia: TPM, Vila Mamífera e Com Pauta.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Ouvinte revoltado com transmissão futebolística da Rádio Globo

Ontem à noite, num hipermercado da zona norte do Rio de Janeiro, um lojista sintonizou diversas rádios numa grande e potente caixa de som amplificada, com receptor FM embutido. Por alguns minutos, deixou na Rádio Globo, que na hora transmitia uma partida entre Flamengo e Botafogo pelo Campeonato Brasileiro de Futebol. Um cliente da loja parou junto ao aparelho apenas para ouvir o placar, que na hora estava em 1 a 0 (mais tarde o placar final da partida) favorável ao Flamengo. Só que o locutor Luiz Penido narrava vários lances e falava muita coisa, sem dizer o placar. Daí que o cliente da loja ficou revoltado. Esbravejou, falando algo como "Essa rádio é uma m*%#@! O cara fala pra c@*%#% e não dá a p*##@ do placar!". Demorou vários minutos até que dessem o placar do jogo. Isso lá pros 20 minutos de segundo tempo.

De fato, as transmissões futebolísticas da Rádio Globo são uma lástima. Desde que instalaram o maldado projeto da rede, e mesmo agora, que tentam restaurar a programação local da Rádio Globo. Muito entretenimento, muita gracinha, comentaristas ruins, pouca informação. Mal dão o placar dos jogos, a informação mais importante numa partida de futebol!

sábado, 26 de julho de 2014

Fórmula 1 está virando uma categoria de nicho e de TV paga

Resposta para Esporte Fino publicada no Facebook:

Lembro agora do meu amigo e xará Marcelo Pereira, que não gosta de futebol (se gosta, só gosta do futebol europeu e do futebol argentino) e continua acompanhando fielmente a F1. Ele até deve gostar de não haver nenhum piloto brasileiro disputando campeonatos e as vitórias nas provas. Mas gostava de F1 também nos tempos de Piquet e Senna. Pelo menos ninguém chamava os pilotos de “Brasil”, como fazem por aí com a $eleção da CBF, que meu amigo simplesmente detesta.

Eu costumava dizer que o brasileiro médio não gosta de futebol nem de esporte em geral. Gosta no máximo da $eleção da CBF e do seu time regional de futebol. Só os acompanha, e mais nada. Não vejo a $eleção nem em amistoso. Nem na Copa América, nem na Copa das Confederações nem nas eliminatórias sul-americanas da Copa da FIFA. Na última eliminatória nem jogaram, porque eram o “time da casa”. E com essa história de guerra na Rússia e na Ucrânia, arrumaram um excelente pretexto para o caso de não conseguirem se classificar para a Copa 2018 e um pretexto para o brasileiro médio não gostar nem acompanhar mais a $eleção.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

João Grilo e Chicó serão para sempre João Grilo e Chicó. E ponto final

De todas as coisas ditas (agora relembradas) pelo saudoso escritor Ariano Suassuna, uma das melhores foi a resposta dele a quem perguntou a ele, na época do lançamento de O Auto da Compadecida, como as editoras de livros estrangeiras traduziriam no exterior os nomes de personagens como os protagonistas João Grilo e Chicó. Ele simplesmente disse que os estrangeiros não deveriam traduzir os nomes dos personagens e que eles deveriam se virar com esses nomes tal como foram concebidos. Não lembro os termos exatos, mas o que ele disse foi fundamentalmente isso.

Concordo com o Ariano. Além do mais, na nossa língua portuguesa, não se traduz nomes de pessoas, a não ser em algumas exceções, como nomes de papas e alguns dos principais integrantes da realeza. Até por uma questão de enriquecimento cultural: em todos os países do mundo, deve ser dada a cada povo a oportunidade de aprender outros idiomas, sem deixar de valorizar o idioma local. Cada um deve defender o seu sem desprezar os dos outros. João Grilo e Chicó devem ser e serão, para sempre, João Grilo e Chicó. Seja aqui ou em qualquer um dos mais de 200 países pelo mundo afora.

Se aqui nós não traduzimos Peter Parker para Pedro, Tony Stark para Antonio ou Steve Rogers para Estêvão, os gringos tem que falar e escrever João Grilo e Chicó. Se não conseguirem, então que se lasquem.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Se colocarem as crianças da propaganda da Sadia no horário eleitoral

Elas dirão coisas como: "Eu nunca vi o PT na oposição" e "vota pra mim!".

O otário eleitoral não tem limites e os partidos políticos também não. Vai que...

quarta-feira, 23 de julho de 2014

O argumento de um eleitor de Dilma Rousseff

Fonte: Facebook.

Luis Felipe Mattos

As vezes eu tenho vontade de votar na Dilma.
Porque o Brasil vai quebrar em 2015!!!
É uma brutal injustiça quebrar na mão de outro!
O problema é que qualquer outro pode nos dar a esperança de consertar depois. Com o PT, o buraco é sempre mais embaixo...

Ontem mesmo teve manchetes de jornal anunciando que técnicos do governo anunciaram que o país está em recessão. Trocando em miúdos: o país já quebrou. Nem precisamos esperar 2015.

O PT sempre foi um excelente partido para ser oposição. Foi para isso que o PT nasceu. Mas só serve pra isso. Pra governar é uma merda.

O PMDB e o PSDB não prestam pra governar nem pra fazer oposição.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Onde se segurar nos trens da SuperVia?


A pergunta surge diante da falta de educação e de pudor de alguns passageiros e da falta de limpeza nos vagões da SuperVia. O trem da foto (editada, com os rostos dos passageiros propositalmente apagados) circulava ontem de manhã no ramal de Deodoro. É um daqueles trens velhos, pintados de verde e azul por fora, sem ar condicionado e com quatro vagões. É um daqueles modelos com barras de segurança individuais, para cada passageiro se segurar enquanto viaja em pé.

Sabem o que é isso pendurado em uma barra de segurança, no close da foto? Um preservativo usado. Não me perguntem que líquido claro é esse que está contido no fundo do preservativo, que não sou besta de descobrir. Os amigos leitores podem imaginar o que pode ser. Já fiz demais em tirar esta foto para mostrar a quantas andam os trens da SuperVia...

domingo, 20 de julho de 2014

Fuzzcas fazem parte de algo maior que nem eles perceberam


Ontem foi dia de mais uma apresentação ao vivo dos Fuzzcas, desta vez no evento Alô Alô Atitude, no Teatro Municipal do Jockey (municipal porque é um teatro administrado pela Secretaria Municipal de Cultura em espaço cedido pelo Jockey Club Brasileiro). Foi uma das primeiras apresentações do grupo depois da participação deles no concurso (classificado como um riélite) Superstar da Globo. A apresentação em si foi memorável. O grupo está cada vez mais afiado no palco. Seja em postura de palco, seja na execução instrumental das músicas, seja no canto de Carol Lima, autora de todas as letras da banda.

O ano de 2014 está marcando uma virada na carreira do Fuzzcas. O grupo começou sua carreira no final da década passada, e sempre foi um dos mais promissores grupos da cena indie carioca. O Fuzzcas tem um CD independente lançado no início deste ano, Feliz dia de ontem, além de um CD demo (um EP, na verdade) lançado nos anos anteriores e uma faixa num tributo a Michael Jackson: uma versão roqueira para The Way You Make Me Feel que a banda costuma tocar ao vivo. Tocou inclusive ontem. Só que neste ano a banda teve uma exposição nacional inédita, por conta da participação naquele festival Superstar. Tá, a banda milita na Internet desde o início, tendo contatos em vários lugares. Mas a TV ainda é a grande vitrine de exposição musical do país e dita a pauta inclusive da Internet. Bom pra banda, que quase chegou na fase final do Superstar e acabou conquistando fãs em vários cantos do país e até no exterior.

O dia de ontem merece uma menção especial na trajetória do Fuzzcas. No cada vez mais efervescente circuito musical carioca, uma conjunção cósmica fez com que houvesse três apresentações de primeira classe ao mesmo tempo no Grande Rio. Enquanto os Fuzzcas tocavam no Teatro do Jockey, Alceu Valença tocava na Fundição Progresso e a Plebe Rude tocava no Bar do Meio, em Niterói. Alceu está na estrada desde 1971. A Plebe está na estrada desde 1981, com um hiato de 1994 a 1999. Os Fuzzcas estão na estrada desde 2006, mas ao tocarem no Rio de Janeiro num dos mais prestigiados teatros da cidade na mesma data em que nomes consagrados da música brasileira tocavam em outros lugares, passaram a fazer parte de algo maior que nem eles perceberam. O cenário nacional da música brasileira está com as portas abertas para o Fuzzcas. Participar do Superstar foi uma prévia. O Fuzzcas tem bagagem musical e cultural para transcender a cena indie carioca e conquistar espaço no cenário nacional. Tem aquela garra típica das melhores bandas de rock, tal como a Plebe. Até com aquela postura de "vamos salvar o rock", bem ao estilo "faça você mesmo", ao invés de esperar que outros façam. Estão inseridos na forma carioca de ver o mundo e abordar assuntos que vão do amor à vida urbana. Não dá para dissociar as letras e o canto de Carol Lima e o instrumental da banda da cidade do Rio de Janeiro, assim como não dá para dissociar os Los Hermanos (hoje em recesso) da mesma cidade e o Alceu do estado de Pernambuco. O grupo Fuzzcas só poderia ter sido criado no Rio de Janeiro, não em outra cidade. Além disso tudo, os Fuzzcas conseguiram uma combinação única de letras espertas e desencanadas, rock clássico dos anos 1960 e 1970 e referências emepebísticas (incluindo versões de músicas de Belchior).

Tomara que os Fuzzcas tenham uma vitoriosa carreira e que ouçamos muito mais deles e sobre eles.

Aqui, a lista de músicas que a banda tocou ontem:

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Clubes de futebol cariocas pendurados no Estado

Eu tenho uma tese interessante. Os clubes cariocas são acomodados. Vivem pendurados no Estado, sem dar contrapartidas à sociedade que não sejam suas efêmeras vitórias e títulos. Seus cartolas vivem utilizando sua influência no meio político para arrancar do Estado algo que os mantenha funcionando: perdão de dívidas tributárias, trabalhistas e previdenciárias, Timemania, etc. A questão do Maracanã é exemplar. Tirando o Vasco, os outros clubes ditos grandes não tem estádios próprios prontos para receber o atual público que frequenta os estádios. Passaram a vida toda pendurados no Maracanã, que oficialmente continua sendo do Estado do Rio de Janeiro. Flamengo e Fluminense tem contrato com os atuais gestores do Maracanã. O Botafogo arrendou (eu disse arrendou) o Engenhão, que pertence à Prefeitura.

domingo, 13 de julho de 2014

Peregrinos da JMJ dariam um banho nos torcedores da "Seleção" da AFA

Numa hora dessas, no apagar das luzes da Copa 2014, dá até saudade dos peregrinos que vieram de vários cantos do planeta para a Jornada Mundial da Juventude 2013 no Rio de Janeiro. Eram visitantes animados (não debochados) e bem educados. Chegaram ao requinte de produzir bem menos lixo em Copacabana que o povo que vai nas festas de virada de ano no mesmo local.

É impressionante a falta de civilidade de boa parte desses torcedores da "Seleção" da AFA, que vieram para a cidade acompanhar a final da Copa. Foi possível encontrar até torcedora argentina defecando atrás de uma banca de jornal em Copacabana. Somos até obrigados a relevar os argentinos que urinaram em tudo quanto é canto, porque isso muitos maus brasileiros também fazem.

E ainda tem gente que diz que fanático e incivilizado é só o torcedor da "Seleção" da CBF e dos times brasileiros. Sabem de nada...

Pelo menos a seleção da DFB acabou com a marra dessa argentinha. Espero que não tenham se unido aos black blocs para quebrar a cidade.

sábado, 12 de julho de 2014

Pacotes de TV paga com canais HD deveriam ter mesmo valor dos pacotes sem canais HD

Resposta para TV Magazine:

Eu não tenho essas frescurites de dizer que a audiência das classes mais pobres piora a TV paga. Falta é politização de todas as classes. Não no sentido partidário, nas no sentido de reivindicarem seus direitos enquanto cidadãos e clientes. Este TV Magazine e outros lugares podem ser pontos de encontro para mobilização, no mercado da TV paga.

Devemos cobrar, por exemplo, dual audio e legendas eletrônicas em português em todos os canais que exibem programas produzidos em idiomas estrangeiros.

Já que o assunto aqui é a busca de clientes das classes D e E, as operadoras deveriam parar com a sacanagem de cobrar valores distintos para pacotes com canais HD e pacotes sem canais HD. Botem os pacotes com canais HD com o mesmo preço dos pacotes sem canais HD e não se fale mais nisso.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Lembranças boas e más do Shoptime

Comentários para TV Magazine:

O canal Shoptime sempre foi bom. Acompanho o canal desde 1996, pelo mesmo antigo canal analógico do satélite Starone C2. Hoje em dia sintonizo mais pela NET, mesmo. No passado, Ciro Bottini chegou a apresentar um excelente programa de vendas de CDs, com lançamentos e relançamentos. O cara mostrava o CD (às vezes abria a capa e mostrava os rótulos dos discos e os encartes), falava das músicas, tocava trechos de algumas, comentava sobre os artistas. Hoje em dia é difícil achar algum CD que preste até na Americanas física...

Falando em Americanas, ela e o Shoptime são do mesmo grupo: o B2W. Ambos frequentadores assíduos do portal Reclame Aqui. Eu mesmo reclamei uma vez quando comprei um blu-ray player pelo Shoptime (promoção instantânea), o cartão de crédito foi debitado mas não me entregaram o aparelho. Reclamei no Reclame Aqui e o Shoptime cancelou a venda prontamente. O dinheiro foi devolvido depois. Comprei o mesmo aparelho depois numa loja física. Não na Americanas, obviamente.

Mas o Shoptime é excelente para você ver os produtos sendo anunciados, com detalhes e tudo mais. Pra depois você procurar nas lojas online ou físicas, mesmo.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Thiaguinho no CQC é sintoma da mediocridade do humor da atual TV brasileira

Comentários para TV Magazine:

A TV brasileira anda muito pobre de humor. Ficaram no passado programas como Família Trapo, Bronco, Agildo no País das Maravilhas, Planeta dos Homens, Balança Mas Não Cai, Viva o Gordo, Chico City, Chico Anysio Show, Escolinha do Professor Raimundo, Os Trapalhões, TV Pirata...

O que tem hoje no ar é quase tudo mau humor. Resistem bravamente A Praça é Nossa e o Zorra Total, que mesmo assim já tiveram dias melhores.

O CQC em si não presta. Ainda mais botando Thiaguinho na bancada. A dona Globosat ainda se arrependerá de te-lo colocado para apresentar o programa Música Boa Ao Vivo no Multishow e no Bis. É uma piada de mau gosto coloca-lo num programa que faz um especial ao vivo com Alceu Valença, Geraldo Azevedo e Elba Ramalho. Por questão de educação, os três encararam o Thiaguinho na boa.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Como será a final daquilo que a corja chamava de #CopaDasCopas?

Duas hipóteses para a final da Copa 2014:

Se der Alemanha x Holanda, será uma final Flamengo x Flamengo: o time rubro-negro contra o time que treina na Gávea. Vale lembrar que a federação alemã declarou que o uniforme rubro-negro deles foi inspirado no do Flamengo.

Aliás, o Flamengo original deveria se inspirar em quem veste suas cores e em quem treina em sua sede, para sair da zona de rebaixamento do Brasileirão, onde está há uns 41 dias.

Se der Alemanha x Argentina, haverá uma batalha de intercessão no Vaticano: Papa x Papa Emérito!

terça-feira, 8 de julho de 2014

Quando apenas a ultra e a extrema esquerda tem partidos programáticos

Resposta para Raphael Tsavkko:

Se este país tivesse uma política partidária séria, a disputa política seria programática. Basicamente, de partidos programáticos, temos apenas a esquerda propriamente dita, que não faz alianças com a direita fisiológica. Até o PSOL está fora desta lista, por algumas alianças feitas em vários municípios em 2012. Não há partidos de direita assumida (os que tem são fisiológicos, envergonhados e se aliam a Deus e o mundo nas eleições federais, estaduais e municipais), não há partidos que defendam o liberalismo econômico (o DEM é envergonhado e tirou o liberalismo até do nome) e os conservadores só não tem um partido assumido porque ainda não se juntaram num só, estando espalhados em quase todo o espectro partidário, do DEM ao PSOL. Na verdade, os conservadores mais poderosos são os que querem manter Dilma Rousseff no poder.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Copa 2014 além da alienação: PiG com G de governista na veia!

Comentários para Liberzone:

"Ai gente, como tá boa a Copa do Mundo, gente do céu! A gente não vê mais aqueles programas da tarde, que morre gente toda hora e que cai... Puta merda, como era bom ter jogo à uma, ter jogo às quatro. O povo tá mais bem humorado, olha a cara de vocês, como é que tá! Mais feliz! Puta merda! Porque tem programa que a gente assiste, dá vontade da gente nem sair de casa, se trancar embaixo do cobertor e ficar lá..."



Gostei de Lula ter dito isso. Isso prova que a mídia promove uma alienação com essa Copa 2014. E alienação, como sabemos, favorece quem já está no poder, não quem está fora. É PiG com G de governista na veia!

domingo, 6 de julho de 2014

Copa 2014 é mais cara que as três anteriores somadas

Autor: Jorge Roriz. Texto publicado no Facebook.

O governo canta vitória afirmando que a Copa foi um sucesso e que jornalistas brasileiros pregaram o terror de que as obras estavam atrasadas e que passaríamos vergonha. Esquece o governo que as críticas com os atrasos das obras foram feitas pela própria FIFA e as obras realmente estavam atrasadas. Com obras superfaturadas e sem licitação (justificadas pela urgência), milhões foram gastos. A conta o povo vai pagar, após as eleições. Uma das obras de mobilidade da Copa (o viaduto que desabou), é apenas um exemplo da irresponsabilidade. Será que vai ocorrer outros desabamentos? Com muita grana sobrando (até para isentar a FIFA de impostos legais) fica fácil fazer a maquiagem. Foi gasto mais dinheiro do que a soma dos gastos das últimas três Copas. Ocorreu invasão em estádios e turistas foram assaltados na porta dos estádios perdendo os ingressos. Claro que os fatos negativos não foram divulgados. As seleções foram obrigadas a treinar em outros locais para não prejudicar o gramado, que inclusive foi criticado por jogadores e técnicos, conforme link abaixo.

http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,jogadores-e-tecnicos-criticam-gramado-e-fifa-suspende-treinos,1516494

sábado, 5 de julho de 2014

Fox lança blu-ray e DVD do RoboCop do Padilha depois das críticas dele ao Fox News

É comum que as megacorporações midiáticas abriguem discordantes nos seus próprios quadros, para fingir que todos podem ter a palavra final lá dentro, quando na verdade a última palavra sempre cabe aos patrões ou a pessoas de confiança. Lembro agora dos comunistas que O Globo abrigava em sua redação. Não era uma benevolência do jornal permitir que aqueles trabalhadores exercessem seu direito ao trabalho naquela empresa. Era apenas uma relação profissional, que também geraria dividendos políticos futuros ao jornal, pois aquele regime não duraria para sempre. Quando o regime militar importunava os comunistas da redação do Globo, o próprio Roberto Marinho reclamava com os generais. Dr. Roberto não admitia que ninguém além dele controlasse os "seus" comunistas.

Hoje em dia, o poderoso grupo internacional News Corp também abriga discordantes nos seus quadros. Vários canais abertos e fechados de TV do grupo abrigam o seriado dos Simpsons, notoriamente um seriado simpático aos democratas dentro de uma corporação republicana. Agora é a Fox Home (outra empresa da News Corp) que abriga uma obra dissidente, lucrando com as críticas. A Fox Home está lançando o blu-ray e o DVD de RoboCop, aquele filme em que o diretor brasileiro José Padilha faz uma paródia detonando o canal Fox News (já escrevi sobre isso aqui no blogue). Os direitos do filme no mercado de vídeo doméstico pertencem à Fox Home, apesar de o filme ser uma produção da MGM e da Sony Pictures.

Numa coisa me enganei. Ao contrário do que disse antes, José Padilha não está com portas fechadas na Fox.

Encontramos um elo entre a plutocracia corporativa e a esquerda caviar.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Podem comemorar, coxinhas

Comentários para Neymar sofre fratura na vértebra e está fora da Copa do Mundo publicados no Facebook:

Neymar está fora da Copa do Mundo, devido a uma fratura cometida por um adversário. Coxinhas antiCopa e antifutebol em geral: podem comemorar, corja.

A notícia é triste e pra se lamentar. Até pra quem não queria essa Copa no Brasil (em virtude da cartolagem e da politicagem que tira proveito dela) e pra quem não gosta de futebol.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Segurança pública sem mudança de mentes


Há anos a população do Rio de Janeiro vê os locais públicos da cidade tomados por pichações com siglas de facções do crime organizado. Mais recentemente, a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) em algumas favelas diminuiu a influência dessas facções, mas sem acabar com a influência de todo. E sem mudar a mentalidade de parte da população, de dentro ou de fora das favelas. Tanto que agora tem pichador deixando de pichar nomes de facções do crime organizado pra exaltar a própria sigla UPP, como pode ser visto nesta caixa de descarga num banheiro público da zona norte carioca.