Política, cultura e generalidades

sábado, 28 de junho de 2014

Quando a vaidade suplanta o atleta

O atleta-galã do Real Madrid e da Seleção da FPF (a CBF de Portugal) não poderia voltar para Madrid sem sua indicação para concorrer ao Troféu Tolo do Ano. Além de acreditar que poderia levar sozinho o escrete lusitano para algum lugar da Copa 2014 além da fase de grupos, o homem não deixa de ser marrento e de aparecer mais como modelo (fisicamente falando) do que como futebolista que é.

Comentam que o escrete lusitano teria ido mais longe nesta Copa 2014 se tivessem retirado os telões dos três estádios onde a Seleção da FPF jogou. Como não tiraram, Cristiano Ronaldo ajeitava o cabelo toda vez que aparecia nos telões. Deu no que deu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário