Política, cultura e generalidades

sábado, 24 de maio de 2014

A versão pessoal de Tony Ramos para Getúlio Vargas

Já faz algumas semanas que assisti o filme Getúlio. Muito bom. O maior destaque do filme é a versão pessoal que Tony Ramos deu para o protagonista do filme, aqui retratado em seus últimos dezenove dias de vida. Embora tivesse reproduzido muitos dos valores, falas e atitudes do Getúlio original, Tony Ramos não fez uma caricatura nem uma versão travada, ansiosa por ser igual, algo impossível. Tony ficou à vontade, utilizando sua própria entonação e voz, mesmo quando o personagem falava mais próximo do sotaque gaúcho. Os outros grandes destaques do elenco foram Alexandre Borges e seu Carlos Lacerda tão demolidor quanto o original, e a atriz Drica Moraes como a mais próxima e fiel aliada e filha do presidente. Alzira Vargas foi chefe do Gabinete Civil da Presidência da Rapública durante o último governo Vargas, num tempo em que quase ninguém questionava nepotismo nos governos.

O filme se destaca também na excelente escolha das locações. Anoto que, nas cenas externas, o diretor priorizou tomadas com closes bem fechados nas locações originais, provavelmente para não mostrar as alterações que os cenários originais das histórias sofreram nesses quase 60 anos após os fatos reproduzidos no filme. Notadamente na frente do Palácio do Catete.

Nenhum comentário:

Postar um comentário