Política, cultura e generalidades

quarta-feira, 28 de maio de 2014

A raiva pode vencer a traição

Depois que a esperança venceu o medo na eleição de 2002, agora a raiva pode vencer a traição dessa corja que está aí. A possibilidade de a esquerda perder o poder e voltar toda ela (a autêntica, a falsa, a lulista, a fisiológica, a ultra esquerda, a extrema esquerda, etc) para a oposição já foi detectada. E não é um blogue nacionalista, conservador ou de direita que constata isso. São três redutos evidentemente de esquerda: o jornal Correio do Brasil e os blogues do Tsavkko e o Mingau de Aço. Cada um com abordagens diferentes. Há outros endereços com abordagens semelhantes a estas. Alguns deles apontam que as alternativas que se apresentam ao esquerdismo seja-lá-de-que-natureza-for no poder também são variadas como a própria esquerda. As alternativas variam desde a propostas racionais alternativas à cultura nascida nos aparelhados redutos estudantis (como os DCEs) a propostas histéricas de redes sociais, algumas da extrema direita. Em comum entre os redutos esquerdistas: todos eles (inclusive o Correio, o Tsavkko e o Mingau) erram enormemente (ou malandramente?) ao dizerem que o programa estilo "foda-se" do presidenciável Aécio Neves (com propostas cretinas se lixando para a concordância da população, como se fosse um Fernando de la Rúa tupiniquim) seja algo conservador. Quando a única presidenciável conservadora de fato (quer conservar o lulo-petismo no poder) é exatamente a candidata do poder governamental: Dilma Rousseff. Outros presidenciáveis já apresentados são meras dissidências de um desses dois já colocados.

Quem sabe a esquerda inteira volte a se unir um dia na oposição. Bem longe do poder, ao contrário de hoje. Será uma honra poder dar a todos eles as boas vindas de volta à oposição. Por enquanto, é confortante ver o pânico dessa corja. No entanto, deixem o poder ou não, nada indica que acabe nos próximos anos este regime de capitalismo de Estado em vigor no país. Onde socialistas estatistas e capitalistas lobistas com negócios pendurados em governantes amigos convivem harmoniosamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário