Política, cultura e generalidades

sábado, 19 de abril de 2014

Nada em excesso é bom. Nem o conservadorismo

Resposta para Mingau de Aço publicada no Facebook:

Nada em excesso ou a nível extremo é bom. Se o Rio de Janeiro fosse um estado só conservador, estaria bem. O problema é o excesso, como bem anota Alexandre Figueiredo, que usa termos como ultraconservador, bastante conservador e muito conservador. O cenário está tão extremamente conservador que acaba virando o outro extremo: essa mediocridade sócio-cultural, ultra "pogreçista", com C e cedilha mesmo, pra coroar a ignorância e a boçalidade reinantes.

O texto do Alexandre ainda anota sobre esses ultraconservadores: "Eles nem pensam no progresso". Não podem mesmo. Extremistas não pensam em coisas positivas. Conservadores moderados podem e pensam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário