Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Aécio Neves não representa nem os liberalistas clássicos. Por enquanto

O pessoal fica embasbacado diante do empacamento da pré-candidatura presidencial de Aécio Neves. Lulo-dilmistas comemoram. Oposicionistas mais à direita ficam constrangidos ou arrumam mil justificativas. Quem tem um mínimo de vergonha na cara está se lixando pro destino eleitoral do senador das Alterosas.

O que não está sendo dito é que Aécio não representa os únicos que poderiam ajuda-lo a chegar à Presidência da República: os liberalistas clássicos de toda ordem. Fica aí com esse discursinho meramente higienista, "do contra", nunca a favor de algo, como o que o atual Governo combate: o liberalismo clássico. O atual Governo defende o Capitalismo de Estado. Até os Capitalistas e os Grandes Empresários ficam aí querendo se pendurar no Estado de alguma forma, seja por lobbies, empréstimos do BNDES ou contratos com governos (federal, estaduais e municipais), casas legislativas, tribunais, promotorias, procuradorias, etc. E só eles prosperam. Empresário que quer gerar emprego, trabalho e renda sem a ajuda do Estado corre diariamente o risco de quebrar. Sei disso porque já vi alguns quebrando. Isso é Capitalismo de Estado. Mas já não era assim durante a Era FHC?

Além do mais, o senador mineiro já disse que quer colocar o PSDB mais à esquerda, seja lá o que isso signifique. Vai ver, é um tucano querendo que o PSDB enfim assuma a social-democracia do nome.

A rigor, o PSDB não mudou nada em 11 anos fora do Governo. Continua sendo tão Capitalista de Estado como sempre foi. Ou Aécio Neves e seu partido defendem alternativas ao que está aí, ou a população preferirá continuar com esse atual regime de Capitalismo de Estado, que é errado, mas é um adversário conhecido a ser vencido dia a dia. Em qualquer hipótese, que o país prospere. Não com a ajuda do Governo (que não vem), mas apesar dele. E até constrangendo o Governo, se preciso for.

Nenhum comentário:

Postar um comentário