Política, cultura e generalidades

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Integração cultural nos dois lados do Rio Uruguai




É o que tenho percebido nas vezes em que compareço à Costelada Gaúcha que a colônia no Rio de Janeiro promove todo mês na Casa do Minho. A costelada do último domingo aconteceu no dia de meu aniversário. Além da costelada que os gaúchos fazem de um jeito que ninguém mais faz, curti mais uma apresentação do grupo folclórico Marca do Sul, que se apresenta todo mês naquele evento. No último domingo o grupo nem pôde se apresentar durante o tempo em que eles costumam se apresentar. Dançar com aquela vestimenta pesada sob o calor do verão carioca é um transtorno. Mais ainda para os homens, que usam túnicas em alguns números.

Mas no domingo passado o grupo Marca do Sul apresentou algo diferente. Entre os vários números, apresentaram uma dança surgida nos pampas argentinos no século XIX. A cultura do Rio Grande do Sul foi forjada da influência de vários imigrantes que se estabeleceram por lá naquele século. Imigrantes alemães, italianos, portugueses e também sofreu influência dos indígenas locais. No outro lado do Rio Uruguai, os habitantes da região argentina que faz fronteira com o Brasil tiveram uma influência maior dos indígenas que já estavam por lá antes da colonização espanhola. E é um pouco da dança e da indumentária dos pampas argentinos que foram mostrados no número do Marca do Sul, mostrando que os gaúchos do lado de cá dos pampas também se identificam com seus correspondentes do lado argentino, numa autêntica integração cultural sul-americana. O apresentador chegou a apresentar as túnicas (ou ponchos, não lembro o nome que usam) que os argentinos herdaram dos indígenas de lá, comparando com a vestimenta típica que um gaúcho brasileiro trajava: algo mais contemporâneo (de meados da primeira metade do século XX), com direito a colete por sobre a camisa do traje típico gaúcho.

Fiquem aqui meus cumprimentos à colônia gaúcha do Rio de Janeiro e seu magnífico evento mensal na Casa do Minho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário