Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

PiG com G de governista, golpista, globista...

Essa sigla PiG criada pela lulosfera fisiológica e/ou fanática parece aquela lã de aço: tem 1001 utilidades. Dependendo da ocasião e dos interesses dos patrões dos meios de comunicação, pode significar Partido da Imprensa Golpista ou Partido da Imprensa Governista. No caso das Organizações Globo (TV aberta, TV paga, rádios, jornais, revistas e Internet), sempre significou, prioritariamente, Partido da Imprensa Globista. Se o G também significa governista ou golpista, depende de muitos fatores.

Os mesmos órgãos de imprensa que foram golpistas durante a Era Jango foram governistas durante o regime militar. Até aceitaram de bom grado a censura governamental, criando uma censura interna que frequentemente foi mais rigorosa que a censura do regime militar. Enquanto os jornais governistas botavam receitas de bolo no lugar das matérias censuradas por eles ou pelo governo, as revistas e os jornais combativos colocavam espaços em branco, davam um jeito de mencionar nominalmente a censura governamental sofrida ou, quando não havia censura governamental prévia, mandavam para as bancas matérias potencialmente censuráveis, submetendo-se ao risco de terem as edições apreendidas ou de sofrerem empastelamento dos grupos radicais governistas.

A blogosfera progressista anda revoltada com a âncora do SBT Rachel Sheherazade. Ela era apresentadora de um jornal local da TV Tambaú, afiliada do SBT em João Pessoa. Ninguém da blogosfera progressista se incomodava com o que ela falava enquanto ela estava no ar apenas na Paraíba. Mas ela chamou a atenção nacionalmente quando caiu na Internet um vídeo extraído de seu telejornal local criticando a baixaria no carnaval paraibano. Daí para um convite para se mudar para a geradora do SBT em São Paulo foi um pulo. Antes da chegada dela na geradora do SBT, a rede era acusada de beneficiar editorialmente o Governo Federal, devido a uma suposta ajuda do governo para a venda do quase falido Banco Panamericano, de Silvio Santos. Agora parece que o SBT inverteu a mão editorial, atraindo a atenção de blogueiros governistas como Altamiro Borges.

As Organizações Globo também parecem ter invertido a mão editorial. Só que na direção contrária ao SBT. Tanto que ouvi, ontem, a CBN citar o mensalão tucano pelo nome que lhe cabe: mensalão tucano. Antes, todos os órgãos de imprensa das Organizações Globo só se referiam a aquele mensalão como o "mensalão mineiro". Como se fosse só um mero problema de mineiros, não algo que o partido no poder naquele estado não tivesse que esclarecer.

Esses foram apenas dois exemplos das 1001 utilidades da sigla PiG. A letra G continua e continuará mudando de significado, dependendo dos interesses em jogo e da ocasião. Até o fim dos tempos? Só o tempo dirá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário