Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Luiza Trajano: a nova "cumpanhêra"

Eu fico puto quando os caras de esquerda escolhem seus ídolos. Além de escolherem mal, escolhem errado, até sob os parâmetros de esquerda. Neste clima de "Brasil, ame-o ou deixe-o" desse regime de capitalismo de Estado que implantaram, acabaram de eleger sua nova musa: Luiza Trajano. Só porque outro dia ela passou um sabão em Diogo Mainardi. Coisa, aliás, não muito difícil de fazer. Até o blogue Mingau de Aço entrou na onda. Em função de seu desempenho semanal no programa Manhattan Connection, Diogo já é uma piada pronta.

Só que a nova musa da inteligentzia cumpanhêra comanda uma empresa condenada no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo a pagar R$ 1,5 milhão por desrespeitar direitos trabalhistas de seus funcionários. Assim é mole vir com conversinha ufanista e rechaçar os números do Mainardi! A denúncia não foi feita esta semana por nenhum coxinha, demo, tucano, viúvo do regime de 1964, direitista, liberalista econômico, conservador, reacionário ou golpista. Foi feita por Raphael Tsavkko, um militante de esquerda de quem discordo em várias coisas, mas merece respeito e é respeitado até pelos mais equilibrados dissidentes que conheço. A denúncia saiu no blogue Governismo, que fez uma imagem de matéria do UOL e publicou também um texto atribuído à internauta Niara de Oliveira:

"Ex-querdistas, antes de se empolgarem com a aliada governista (ela governista por motivos concretos, nunca lucrou tanto — junto com outros empresários e banqueiros) só porque ela bateu no Mainardi (ao qual só governistas e direita dão pelota) e provou que estão todos do mesmo lado, deem uma olhada como D. Luiza trata seus trabalhadores..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário