Política, cultura e generalidades

sábado, 28 de dezembro de 2013

Vários grupos conservadores ou liberalistas econômicos também me rejeitariam

Gostaria de tranquilizar a todos os que se interessam pelo bem deste desimportante internauta. Eu já disse e repito que continuo sendo politicamente solitário. Não há nenhum grupo que me atraia, onde eu fique à vontade para dar meus pitacos e eventualmente influir de alguma maneira.

Eu gosto de debater com gente de qualquer tendência ou pensamento. Pode ser num bate-papo informal com amigos ou com conhecidos. Seja na rua, nos restaurantes, nas visitas e passeios que faço, nos fóruns virtuais, nos espaços para comentários na blogosfera e nas redes sociais. Só não me peçam para assumir compromissos com qualquer grupo que seja. Porque eu não seria aceito e até poderia ser rechaçado por vários deles.

Já que eu tenho escrito com alguma frequência que não me engajo em grupos ou causas de esquerda, me atenho aqui a anotar que estou evitando endossar vários grupos conservadores ou liberalistas econômicos.

Os grupos conservadores são muito diversos. Embora eu tenha inaugurado um marcador conservadorismo aqui no blogue pra facilitar a consulta, é incorreto dizer que há um único conservadorismo. Há vários. E não dá pára dizer que todos estejam unidos. Alguns até combatem uns aos outros. Vide o caso, por exemplo, do conservadorismo protestante tradicional, do conservadorismo pentecostal e do conservadorismo católico. E ainda há o conservadorismo laico se opondo aos três, bem como o nacionalismo, que procura conservar valores materiais e imateriais da nação brasileira e não entra nessa questão de laicismo ou conservadorismo influenciado por credos seja lá quais forem. De algum grupo nacionalista eu até gostaria de participar, mas os bons que já conheci foram praticamente extintos e muitos dos supostos grupos nacionalistas que existem hoje estão impregnados de uma corja que pode ser classificada de tudo, menos nacionalista.

Os liberalistas econômicos tem tantas ideias problemáticas que me impedem de aderir a qualquer grupo que montem. Eu até sou favorável que as pessoas com talento e recursos tenham liberdade para montar seus negócios. Isso é liberalismo econômico. Já vi gente montando empresa e ficando atolada com taxas e impostos, tendo que fecha-la para evitar falência. É algo triste, mesmo. Neste capitalismo de Estado em vigor no Brasil só prosperam os negócios privados que estiverem nos planos de algum governo de plantão. O Estado que alguns chamam de Máximo (com seu sistema tributário absolutamente voraz e intrincado) deveria ser árbitro e servidor, não algo para dominar e planificar tudo. Só que liberalismo econômico também tem que ter limites, como tudo na vida. Liberalismo econômico não pode ser só o que querem. As empresas não podem maltratar a clientela, como fazem várias empresas de telecomunicações, de energia elétrica, dos transportes e do comércio varejista, que depois ainda acionam seus cães de guarda a reclamar quando "a mão pesada do Estado" (na figura da Defesa do Consumidor, da Justiça, etc.) vem em cima. Aliás, vários deles também clamam por socorro estatal quando veem seus negócios à beira da falência. Isso não é mais liberalismo econômico, senhores. Também não é mais capitalismo, pois capitalismo sem riscos não é capitalismo. Os neoliberais (rótulo que os senhores rejeitam para si mesmos) é que gostam de privatizar os lucros e estatizar os prejuízos. Eu também fico puto com a turminha que clama por uma espécie de minarquismo ou Estado Mínimo, quando eles mesmos são os primeiros a pedir socorro às estruturas de Estado quando veem a si mesmos, aos próximos ou ao seu patrimônio ameaçados. Não recomendo a ninguém adorar o Deus Mamon nem o Deus Leviatã.

Eu tenho uma vida bastante reservada. Não conto quase nada da minha vida pessoal em público. Se eu fosse uma criatura narcisista dessas que expõem na Internet toda a sua intimidade, com certeza já teria ganho de vários liberalistas econômicos e dos que querem conservar o atual status quo político as mais desclassificantes adjetivações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário