Política, cultura e generalidades

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Troféu Tolo do Ano 2013


Pensaram que não haveria neste ano? Só porque não sou blogueiro profissional, tenho mais o que fazer e tive que deixar de fazer postagens diárias? Pois eu não deixei de procurar candidatos para o troféu virtual herdado do blogue onde eu estava antes deste aqui.

O episódio da tentativa de censurar definitivamente as biografias não autorizadas de brasileiros atropelou todas as outras lambanças acontecidas neste ano. Inclusive a autodenominação "presos políticos" feita pelos políticos presos do Mensalão, como José Dirceu, vencedor do troféu do ano passado. O vencedor deste ano tinha que vir do episódio da tentativa de censurar ainda mais as biografias. Todos os integrantes do famigerado Procure (Não) Saber foram candidatos. Os dois primeiros colocados foram Roberto Carlos e Chico Buarque. O compositor de A banda merecia ser candidato e até levar o troféu. A corja "pogreçista" que o tem como guru e desgoverna este país ficaria tiririca da vida. Ora, danem-se todos. Eles e o Chico. Mas, sejamos justos. Chico Buarque foi apenas o maior otário nessa história de censura às biografias. Entrou de gaiato numa causa que nem era dele (há controvérsias) e acabou quase sozinho, porque os verdadeiros artífices dessa boçalidade de Procure (Não) Saber tiraram o corpo fora quando a merda fedeu. Ficou só o Chico como o otário solitário. O troféu propriamente dito de Tolo do Ano tem que ficar mesmo com o grande artífice da censura às biografias. Ele mesmo! O inimitável Roberto Carlos. Inimitável em todos os sentidos. O homem que achava que suas inúmeras tentativas de censura jamais encontrariam resistência.

O projeto de censura às biografias encontra resistência no Congresso Nacional. A resistência parte dos raros parlamentares sérios deste país. Que eles recebam todo o apoio nessa brava resistência. Que a resistência vença em 2014!

Aproveito para desejar um feliz ano novo para os leitores. Agradeço pela leitura e pela paciência. Torçam para que eu não enfrente tantos contratempos para escrever, como encontrei em 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário