Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Quando Frejat foi vaiado ao cantar 'É o amor'


Segundo o Yahoo, foi no mês passado, quando Frejat se apresentou no festival Divino Rock em Minas Gerais e tocou ao vivo É o amor, do repertório de Zezé di Camargo e Luciano.

Não é a primeira vez que Frejat flerta com o repertório da música populista brasileira. Ele já cantou Fogo e Paixão, do repertório do Wando, numa edição recente do Altas Horas. Depois que Frejat fez uma apresentação memorável no Rock in Rio de 2011 (até adquiri o DVD), ele tem feito na carreira solo esses flertes com o que há de mais desclassificante no cancioneiro nacional.

Está previsto para o próximo dia 20 mais uma apresentação do Frejat no Rock in Rio. Isso tudo me lembra uma apresentação do Kid Abelha no Rock in Rio de 2001, no mesmo dia da apresentação de Neil Young. Eu estava lá. Vi a hora em que Paula Toller conseguiu cantar apenas o início de um fanquinho brabo que era moda na época: o tal do "tapinha não dói". Foi impiedosamente vaiada. Inclusive por esta viva criatura que escreve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário