Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Organizações Globo são globistas. Se todos os governos também são globistas, eles apoiam

Não tenho esperanças de convencer o jornalista Aristóteles Drummond de que o regime de 1964 foi um erro. Mas pelo menos dá para ter diálogo com ele sobre outros assuntos. Como esse sobre as Organizações Globo. E faço isso sem compartilhar em momento algum do saudosismo dele a respeito do regime de 1964.

Resposta para Aristóteles Drummond no Facebook sobre editorial de O Globo:

Aristóteles Drummond, aprenda uma coisa. As Organizações Globo estão ao lado de qualquer governo ou de qualquer grupo em vias de assumir o governo. Naqueles dias de 1963 e 1964, a escolha foi pelo lado que assumiria o governo: os opositores de João Goulart. Pouco mudou de lá para cá. Apoiaram Sarney, Collor e FHC. E pouparam Itamar e Lula de várias críticas.

Agora ensaiam um apoio a Dilma, ela que tem sido poupada de algumas críticas, por ter prestigiado a política de Antonio Palocci e de outros de fora da linha radical do PT. Mas, sinceramente, torço para que a turma de esquerda largue essa ideia de fechar a Rede Globo e faça uma intervenção ou desapropriação daquela emissora e botem o Paulo Henrique Amorim na cadeira de Roberto Irineu Marinho. Quem sabe esses caras da Globo aprendam a lição: empresário só faz acordo com esquerdista (e vice-versa) se for algum dos 'empresários socialistas bolivarianos' de quem Hugo Chávez falava. Não é o caso dos Marinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário