Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Bruce Springsteen incluiu músicas de Víctor Jara e León Gieco em apresentações em Santiago e Buenos Aires

Antes de tocar Sociedade Alternativa (de Raul Seixas e Paulo Coelho) no Rock in Rio, Bruce Springsteen também tocou canções politizadas de artistas locais no Chile e na Argentina. No dia 12 passado, em Santiago, Bruce interpretou Manifiesto, do ativista Víctor Jara. Conhecido professor, diretor de teatro, poeta, cantor, compositor, músico e ativista político local, Victor foi uma das primeiras vítimas do regime do presidente Augusto Pinochet: foi preso no campo de concentração no Estádio Chile (que hoje leva o nome do artista), tendo sido torturado no local e finalmente morto em 16 de setembro de 1973, apenas cinco dias depois do golpe contra o presidente Salvador Allende.

No dia de 40 anos da morte de Víctor Jara, Bruce fez outra apresentação, desta vez em Buenos Aires, onde tocou Solo Le Pido A Dios, do cantor, compositor e músico argentino León Gieco, que assim como Raul Seixas no Brasil, se tornou conhecido por ser um músico e compositor de rock com um trabalho profundamente influenciado pela cultura do país natal.

Bruce já havia feito em 1988 outra apresentação na Argentina tendo em mente o drama de chilenos na Era Pinochet. Foi uma apresentação para a Anistia Internacional na cidade de Mendoza, ocasião em que Bruce e os integrantes da Anistia receberam visita de parentes de desaparecidos políticos do Chile. Fotos dos desaparecidos foram mostradas pelos familiares, na ocasião.

Fonte: blogue de Bruce Springsteen (postagem 1 e postagem 2).

Nenhum comentário:

Postar um comentário