Política, cultura e generalidades

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Um breve histórico das fábricas de vinis das grandes gravadoras nos anos 70, 80 e 90

Fonte: Facebook.

Até a década de 70 quase todas as gravadoras tinham suas próprias fábricas de vinis. A da CBS (futura Sony) foi fundada em 1982 em Acari (Rio de Janeiro-RJ), a da RCA (futura BMG) era em São Paulo, a da EMI era a antiga fábrica da Odeon (gravadora que ela comprou) em São Bernardo do Campo (fábrica que fazia os vinis com mais densidade e peso entre os vinis das grandes fábricas), e a da PolyGram ficava na Estrada do Itapicuru, no Alto da Boa Vista. A Som Livre fez seus vinis na RCA até 1985, passou a fazer na CBS entre 1985 e 1987, fez vinis com o selo Globo Discos em 1987 na BMG e passou a fazer seus vinis com o selo Som Livre na BMG a partir de 1988.

Só que na primeira metade dos anos 80 a PolyGram e a EMI venderam suas fábricas. A Warner fez seus vinis de 1977 (quando passou a operar no Brasil) na EMI até que esta vendesse sua fábrica, e a partir daí a Warner fez seus vinis na RCA. Depois de vender sua própria fábrica, a PolyGram passou a encomendar seus vinis na Fonobrás, localizada na Estrada do Gabinal, em Jacarepaguá, ao lado da garagem da Viação Redentor. A EMI foi encomendar seus vinis no mesmo lugar. Só que essa Fonobrás deixou de fazer os vinis da PolyGram e da EMI no início dos anos 90. E lá foram as duas fábricas encomendar seus vinis na Sonopress (novo nome da fábrica da BMG). As fábricas de vinis da BMG e da Sony fecharam quando todas as grandes gravadoras deixaram de encomendar vinis.

Hoje, só a Sony tem fábrica própria de CDs. Na verdade, tem duas: a própria Sony (no Rio e em Manaus) e a Sonopress (em São Paulo e Manaus) que é herança da BMG. As demais gravadoras e os independentes encomendam seus discos na Sony, na Sonopress ou em alguma das outras fábricas localizadas em diversos estados, a maioria em São Paulo e Manaus.

Leonardo Ivo

E a antiga da RCA/BMG na Avenida Engenheiro Billings 2227 em Sampa, hj e a sede do TRT de São Paulo.

Antes aquele endereço na Av. Eng. Billings tivesse permanecido como fábrica de vinis ou CDs. Não teríamos aquele escândalo do juiz lalau nem daquele senador de Brasília.

5 comentários:

  1. Mas a Warner chegou no Brasil em 1974,e era prensada pela Continental...dai em 1978,fundaram uma empresa chamada Ina Nacional,que em 1979 foi rebatizada de WEA discos...situava em Diadema,na grande Sao Paulo

    ResponderExcluir
  2. Outra...a CBS foi inaugurada em 1979,o primeiro disco foi do Fagner.A Som Livre mandava discos pra ser prensados la a partir da demanda maior,assim como a propria CBS fazia com os discos do Roberto...tinha prensagens da RCA,Warner,EMI,PolyGram,Continental,Tapecar,Som e pasmem,ateh da Infoco/K-Tel

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Atualmente na Av. Eng. Billings 2227 (onde era a fábrica da RCA) fica a Pancrom Indústria Gráfica e não o TRT de São Paulo (este tribunal fica na Rua da Consolação 1272 no distrito de mesmo nome na Zona Central de São Paulo).

    ResponderExcluir