Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Papa Francisco já desagradou Emir Sader

Resposta para Blog do Emir:

O que o Papa vem fazer no Brasil? Uma coisa já fez. Fez muitos colunistas brasileiros escreverem as maiores bobagens possíveis, leigos que são em assuntos eclesiásticos. Esclarecerei alguns pontos. O que a Igreja mais tem perdido nas últimas décadas na América Latina são infiéis. Podem ter certeza que infiéis não fazem falta. Já dizia o velho ditado: a porta da rua é serventia da casa. A tão festejada Teologia da Libertação foi basicamente a opção preferencial da Igreja pelos pobres, que fizeram sua opção preferencial pelas igrejas pós-pentecostais. Sobre a atração ou não dos jovens pelo discurso do Papa, cabe a cada um decidir. Creio que nós (os mais velhos) não podemos mais falar em nome deles ou tentar adivinhar o que eles pensam. Temos que deixa-los falar. E ninguém pode decidir por eles. Eles mesmos devem decidir se ouvem ou não o discurso conservador do Papa, que nesse ponto cumpre com sua obrigação. Desconfio seriamente de qualquer católico que não seja conservador ao menos em questões de fé. Sobre o Papa Francisco, só dois grupos não o consideram conservador: a ultradireita e os sedevacantistas. O Papa não está nem aí pro que eles pensam. Ele continuará falando com propriedade sobre paz e pobreza (já que passou a maior parte da vida ajudando pessoalmente habitantes de favelas de Buenos Aires), ao contrário dos demagogos da política que virão ao Rio de Janeiro cumprimenta-lo, a começar pelas presidentas incompetentas (a daqui e a conterrânea do Papa). Quanto à direita, está desinteressada em projetar o Papa ou sua imagem. Está mais preocupada em manter seus cargos de ministros, governadores e prefeitos, e em apoiar governos ditos de esquerda, como fazem os tais "empresários bolivarianos" dos quais falava o finado presidente Hugo Chávez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário