Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Lembranças de Alceu Valença, agora com Alexandre Figueiredo

O amigo Alexandre Figueiredo colaborou com este blogue, deixando comentários em postagem anterior e no Facebook. Os textos merecem postagem à parte.

No começo da carreira, Alceu Valença havia ido, com um amigo, para a casa do músico Jackson do Pandeiro, figura prestigiada da música pernambucana, mostrar sua música. Jackson os recebeu com muita desconfiança, por causa da aparência hippie dos dois jovens. No entanto, quando Alceu começou a tocar violão e cantar, Jackson ficou encantado com o profundo conhecimento da cultura local expresso por Alceu. Acabou sendo um apoio e tanto.

Outra curiosidade é que a influência roqueira da música de Alceu Valença favoreceu que sua música fosse tocada na Rádio Fluminense FM em sua fase áurea. Quem leu A Onda Maldita, sabe: a Maldita tocou muita MPB, seja Alceu, Belchior, Zé Ramalho, Caetano, Gil, Milton, Clube da Esquina, Lira Paulistana. Isso na fase áurea que infelizmente alguns detratores definem como "fase jaquetão" (alusão a roqueiros radicais que só vestiam jaquetas ou coletes de couro).

Agora, os comentários no Facebook.

Brilhante e muito informativo o texto que meu amigo Marcelo Delfino escreveu sobre o relançamento dos discos de Alceu Valença, importante nome da música brasileira, durante sua fase pelo selo Ariola. Várias músicas dessa fase são tocadas até hoje pelas rádios. Detalhe: a Rádio Fluminense FM, em sua fase áurea, também tocou Alceu Valença, mostrando que a emissora do rock de Niterói havia tocado também muita MPB alternativa no seu cardápio musical.

Nenhum comentário:

Postar um comentário