Política, cultura e generalidades

sábado, 29 de junho de 2013

Marcha para Jesus sem manifestação política? Faça de conta que acredito


Hoje às 10h começará a maior procissão evangélica do protestantismo no Brasil: a Marcha para Jesus de São Paulo. Os organizadores dizem que o evento é de "todas as igrejas", mas normalmente só destacam as igrejas neopentecostais. A começar pela organizadora da Marcha paulistana: a Renascer em Cristo. Num cenário de passeatas, manifestações públicas e dezenas de polêmicas simultâneas (várias delas envolvendo lideranças evangélicas), é praticamente impossível que esse evento chegue ao fim sem alguma manifestação de cunho político. Por mais que o apóstolo Estevam Hernandes tenha dito ontem que a Marcha será única e exclusivamente um clamor ao Senhor (faça de conta que acredito).

Se derem o microfone principal da Marcha para figuras políticas de dentro ou de fora do meio pentecostal, o que o apóstolo disse ontem será letra morta. Principalmente se aparecer o mais midiático deles: o deputado Marco Feliciano. Mesmo não políticos (pessoas sem mandato ou sem pretensão de terem mandato) poderão fazer manifestações políticas no evento.

Só uma informação a mais: Marina Silva confirmou presença no evento, onde diz que recolherá assinaturas para o registro de seu novo partido no TSE: a Rede Sustentabilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário