Política, cultura e generalidades

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Opositora cubana é consentida, mas não come Granma

Dona Yoani Sánchez pode ter sido vítima do regime cubano no passado, com a questão da desnutrição na infância (o que explicaria as manchas em sua pele) e tudo mais. Hoje, não mais. E está mais para uma oposição consentida. Uma espécie de MDB de Cuba. Um bálsamo para o Governo dizer que não há mais perseguidos políticos por lá.

Ainda por cima, dona Yoani propaga valores (neo)liberais. Mas não a critico por trabalhar para jornais liberais. Essa mulher devia estar muito desesperada pra trabalhar pra gente de tão pouca confiança. Se ela fosse esperar emprego ou trabalho no Granma (único jornal cubano), estaria comendo Granma junto com os castristas. Nem grama nem grana.

P.S: Quem deve comer Granma mesmo é aquele povaréu que fez um escarcéu nos desembarques de dona Yoani no Brasil e nos eventos em que ela esteve na Bahia. Esses patetas deram para Yoani um pretexto ideal pra posar de coitadinha. Fizeram a mesma coisa que a imprensa brasileira faz: deram importância a quem não merecia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário