Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Troféu Tolo do Ano 2012

Como nos anos anteriores, não faltaram candidatos ao troféu virtual que criei ainda no meu primeiro blogue. Até o início deste mês, o único candidato lançado para o concurso era Fabiano Baltasso. Mas as reações diante do julgamento do mensalão colocaram três novos candidatos, emparelhados cabeça a cabeça: Palmério Dória, a estrela global José de Abreu e seu xará José Dirceu. Os trapalhões Ricardo Lewandowski (A gente vai Lewando, a gente vai Lewando...) e Roberto Gurgel não ficaram muito longe dos mensaleiros. Nas hostes tucanas, o multiderrotado candidato José Serra também foi cogitado para o troféu, como seus xarás Dirceu e de Abreu. A última candidata a entrar na corrida foi a modelo brasileira Nana Gouvêa, que posou para fotos em meio aos destroços provocados pelo furacão Sandy, na costa leste americana, há alguns meses atrás.

Apesar da concorrência acirrada, o Troféu Tolo do Ano 2012 tem que ir mesmo para o mensaleiro-mor José Dirceu. O homem que acreditava que haveria pizza para ele, como houve para tantos outros politiqueiros na história do Brasil, desde a direita à esquerda. O homem que consagrou o termo jus sperniandi no Direito brasileiro, apesar de a condenação dele ter sido justa. O homem que motivou a melhor charge do ano, que ilustra esta postagem aqui.

O que mais valeu o Troféu para o próceres do PT foi a sua sugestão a Lula e a outros dirigentes do PT para que fizessem uma manifestação em fevereiro, colocando 200 mil pessoas na rua. Até agora, só conseguiram encher alguns auditórios em sindicatos e outros locais, em eventos do PT ou de organizações simpáticas ao partido. E sempre com bem menos de 200 mil pessoas. José Dirceu deve se imaginar o Vladimir Palmeira da parada. Os militantes lulo-dilmistas podem acreditar nas ilusões petistas, mas não são totalmente otários. Eles sabem que tem coisa mais importante para fazer.

No fundo, devo agradecer a José Dirceu, pois atitudes como as dele são o que me motivam a escrever sobre a decadente política nacional, com esses 30 e tantos partidos políticos registrados pelo TSE. Que faça bom proveito do troféu, que é virtual, portanto não existe no mundo real. Assim como a honestidade dos políticos no poder também é virtual, não real.

Aproveito para agradecer aos leitores por terem me acompanhado neste ano. Faço um convite para continuarem lendo aqui os nossos assuntos abordados: política, cultura e generalidades. Já que as cavalgaduras do Apocalipse erraram e o mundo não acabou no último dia 21, que todos tenham um proveitoso e feliz ano de 2013. Continuarei escrevendo aqui no blogue. Enquanto deixarem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário