Política, cultura e generalidades

sábado, 22 de setembro de 2012

Marcelo Freixo será eleito prefeito do Rio de Janeiro ou sofrerá a Síndrome dos Marcelos

Em 2008, o prefeito Cesar Maia foi reeleito nem tanto devido ao seu próprio nome, mas porque recebeu muitos votos daqueles eleitores que depois puderam dizer: "Não votei no Cesar Maia. VETEI o Crivella". Numa referência ao bispo da IURD, senador e cantor evangélico Marcelo Crivella.

No ano de 2006, teve muita gente dizendo: "Não votei no Lula. VETEI o Alckmin". E o presidente-candidato foi reeleito.

Neste ano, os papéis da eleição municipal são os mesmos. Só mudaram os atores. O papel de prefeito-candidato a ser desafiado deixou de ser de Cesar Maia e passou a ser de seu apadrinhado e hoje desafeto Eduardo Paes. Já o papel de desafiante a sonhar com a vitória num hipotético 2º turno deixou de ser do bispo Crivella e passou a ser de nosso xará Marcelo Freixo, o combatente antimilícias.

Marcelo Freixo será eleito prefeito do Rio de Janeiro ou sofrerá a Síndrome dos Marcelos, caindo ainda no 1º turno, mesmo com formidável votação.

Aviso aos amigos da cidade do Rio de Janeiro: ao contrário desses xarás todos, não pretendo me candidatar a prefeito jamais. Dessa Síndrome dos Marcelos não sofrerei. Se algum dia for candidato a alguma coisa, não será para prefeito. E, com certeza, não será por nenhum desses 30 partidos registrados pelo TSE.

2 comentários:

  1. Marcello Alencar foi eleito prefeito (1988) e governador (1994). Já o Crivella...

    ResponderExcluir