Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Terceiro filme da trilogia de Nolan esculhamba movimento Ocupa


Esse filme Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge é uma bobagem medonha, mesmo sendo tecnicamente bem feito. Christopher Nolan foi profético ao dizer que temia não encontrar uma boa história para suceder a do sensacional filme Batman - O Cavaleiro das Trevas, este por sua vez sucessor de Batman Begins.

Pra começar, esse filme reproduz com os piores estereótipos possíveis os fatores que geram a paranóia do americano médio. E os tais demônios são exorcizados da pior maneira: com um filme com tantos tiros e bombas quanto qualquer filme de Stallone, Schwarzenegger ou qualquer outro ícone do cinema brutamonte oitentista. Se o Cavaleiro das Trevas tinha um vilão genial e atemporal como o Coringa, este tem o Bane, outro egresso da Liga das Sombras, tal como Ra's Al Ghul no primeiro filme. Só que este Bane é o arquétipo dos preconceitos do americano médio contra os movimentos sociais, notadamente o movimento Ocupa (Ocupa Wall Street, Ocupa Nova York, etc). Qual a melhor maneira de vilanizar um movimento social em filme? Criar uma milícia criminosa que lembre um movimento social com milhares de pessoas, no caso o Ocupa. A milícia de Bane chega a fazer um assalto à Bolsa de Valores de Gotham (clara referência a Wall Street), despoja os ricos de Gotham (quer pecado maior para o americano médio eleitor do Partido Republicano?) e destrói o campo de um estádio de futebol americano lotado (outro símbolo americano). Pra não esquecermos que Bane é um vilão, ele faz um discurso demagógico de que o poder da elite de Gotham deve ser entregue para o povo comum, mas ele mesmo passa meses da história como o déspota de Gotham, agora transformada em "sua" cidade-estado, separada do resto do mundo. Ele só não controla o tribunal da milícia, presidido pelo Espantalho.

Christopher Nolan devia ter deixado a franquia do Batman descansar em paz, e respeitar a memória do ator Heath Ledger, ganhador do Oscar póstumo de melhor ator coadjuvante com o papel de Coringa do filme anterior. Não podia encerrar sua trilogia de filmes do Batman com essa bobajada. E, se for pra falar de milícia, o pessoal do Tropa de Elite 2 fez isso bem melhor. Mesmo não sendo o Tropa 2 nenhuma obra de arte cult.

Nenhum comentário:

Postar um comentário