Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Uma excelente definição para o PT

"O PT é um partido orientado por intelectuais que estudam e não trabalham, formado por militantes que trabalham e não estudam, comandado por sindicalistas que não estudam nem trabalham e apoiados por eleitores idiotas que trabalham pra burro e não têm dinheiro pra estudar."

Texto publicado por Marcos Fiszer no grupo de discussão Servidores da Prefeitura do Rio de Janeiro.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

STF condenou primeiro integrante do núcleo político do Mensalão

E foi exatamente um dos mais poderosos na época do Mensalão: o então presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), atual candidato a prefeito de Osasco e ainda deputado federal. Oito de dez ministros do STF que votaram até agora a respeito de duas acusações (de corrupção passiva e peculato) condenaram o parlamentar. Cunha foi acusado de receber R$ 50 mil no ano de 2003, quando era presidente da Câmara, para beneficiar agência de Marcos Valério.

Serão uns estrupícios aqueles que disserem a partir de agora que nunca houve mensalão. Outro dia mesmo o Filho Bastardo do Brasil falou essa merda em entrevista ao New York Times. É improvável que sejam revertidas essas duas condenações de João Paulo. Resta agora aguardar o fim do julgamento do Mensalão (vulgo Ação Penal 470) para saber qual pena o deputado terá que cumprir. E é possível (embora seja mais difícil) que outros mensaleiros (corruptos ou corruptores) também sejam condenados até o fim do julgamento. Alguns corruptores (Marcos Valério e outros vários) já foram condenados.

Não é pra ficar fazendo festinha pela condenação de João Paulo Cunha, porque chegamos a uma situação tal que foi necessário a suprema corte do país condenar um ex-presidente da Câmara e ex-presidente interino da República por crime de corrupção. Um dos caras mais poderosos do país. Um homem que deveria ser digno de confiança do eleitorado e da população em geral. Não que não tenha havido outros corruptos antes desse. É que antes os outros corruptos tinham mais influência e esconderam bem seus atos, e hoje talvez haja ministros no STF dispostos a fechar a pizzaria daquela corte.

Deve-se lamentar que ainda haja partidos dispostos a dar legenda para um corrupto concorrer aos cargos de deputado e prefeito. E deve-se lamentar mais ainda que haja iludidos dispostos a elegerem um sujeito desses. A população devia prestar atenção na índole daqueles em quem vota. E os partidos deviam parar de dar legenda para maus políticos e para criminosos. Se não há hoje partido que barre todos esses estrupícios das eleições, que se façam novos partidos que barrem.

Mais detalhes no G1.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Possíveis implicações da futura repetidora da TV Aparecida nas rádios Senado e Kiss FM

No último sábado, houve a peregrinação oficial da Arquidiocese do Rio de Janeiro na basílica de Aparecida do Norte. Antes do início da missa transmitida pela TV Aparecida, um padre redentorista do santuário anunciou que a emissora terá uma repetidora no Rio de Janeiro em breve, "se Deus quiser".

O padre não anunciou se a TV Aparecida terá uma repetidora própria no Rio de Janeiro ou se arrendará uma emissora já existente na cidade. Se a TV Aparecida inaugurar uma repetidora própria no Morro do Sumaré, estará confirmada a perseguição que alguns órgãos públicos federais estão fazendo às rádios Senado e Kiss FM. As duas rádios e a emissora de TV precisam de licenciamento dos órgãos públicos responsáveis pela radiodifusão e pelo meio ambiente, já que o parque de transmissão do Morro do Sumaré fica no Parque Nacional da Tijuca. Nenhuma das duas rádios teve atendidos seus pedidos de licenciamento ambiental para inauguração de seus equipamentos no Sumaré, apesar de ambas já terem outorgas e autorização para emitirem seus sinais a partir daquele morro.

E ainda falam que o Estado brasileiro é laico.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Enquanto isso, na pizzaria do STF... (3)

Conforme eu previa, todos os primeiros condenados no julgamento do Mensalão (vulgo Ação Penal 470) foram corruptores que fizeram negociatas com otoridades de órgãos do Governo Federal e da Câmara dos Deputados, e também do PT. Nenhum governista foi condenado, por enquanto. A pizza continua assando.

Há um fiapo de esperança. A ministra Rosa Weber disse que não é necessário provas físicas ou documentais para condenar um réu. Dependendo do caso e do crime, bastam as provas testemunhais. Ela citou, por exemplo, o crime de estupro.

Obras da Copa não decolam, segundo dados da Controladoria-Geral da União


Resposta para Coturno Noturno:

Fico imaginando a reação popular na ressaca pós-Copa. A eleição de 2014 é logo depois. A corja no poder não perde nada por esperar. Terá a perder depois da espera.

domingo, 26 de agosto de 2012

Plebe Rude - Circo Voador - 24 de agosto de 2012

Costumam chamar agosto de o mês do desgosto, mas também pode ser chamado de um mês em que acontecem apresentações musicais de bom gosto. Sexta-feira houve a apresentação da Plebe Rude no Circo Voador, local de shows memoráveis da banda, especialmente nos anos de 1984 e 1986, shows esses lembrados pelo vocalista e guitarrista Philippe neste show de anteontem. Esta apresentação foi escorada nas músicas gravadas no CD/DVD Rachando Concreto, gravado ao vivo em Brasília, e também na totalidade do disco O concreto já rachou, o maior clássico da banda.

O show de anteontem foi antológico. A banda continua afiadíssima. Philippe Seabra e Clemente nos vocais e guitarras, Fred Ribeiro no baixo e um xará meu, Marcelo, como o novo baterista. Fred está provisoriamente no lugar de André X. Philippe disse que André X passará uns quatro meses fora do Brasil fazendo cursos, mas que deixou gravados os baixos do novo CD que a banda está preparando.

Mas em se tratando de Plebe Rude, não há roteiro certinho. A banda nunca foi certinha. Pois é uma das precursoras do punk rock de Brasília e do Brasil. A banda fez uma apresentação que me pareceu até maior que a duração do show de Brasília gravado em DVD em 2009. Não me arrisco a escrever aqui o set list do show, mesmo porque eu estava entusiasmado demais pra ficar anotando ou decorando, nem mesmo para contar as músicas. E eu não estava gravando o show. Já me esforçava pra caramba pra ver a banda, cantar e tirar fotos no meio da multidão que lotava o Circo... Do que eu lembro agora, posso dizer que a banda aproveitou o tempo pra resgatar músicas de todos os sete discos da banda. Inclusive a música Mentiras por enquanto, que sempre foi a que mais gostei e que, segundo Philippe, eles só tocaram no Rio (pelo menos na turnê do DVD) a pedido dos amigos da banda no Rio. Três deles estavam na frente do palco e enfartariam ao ouvir a música, segundo Philippe. A banda também enxertou músicas próprias e de outras bandas em várias das músicas do set list. Como Nunca fomos tão brasileiros, Pátria Amada (dos Inocentes, a outra banda do guitarrista Clemente), Geração Coca-Cola (enxertada não lembro em qual música), Selvagem (música dos Paralamas do Sucesso enxertada em Proteção) e até mesmo Aumenta que isso aí é rock'n'roll (enxertada em Até quando esperar pra homenagear o saudoso Celso Blues Boy). A banda também incluiu na íntegra (não enxertada em outras) a clássica Pânico em SP, outra dos Inocentes. Além de Celso Blues Boy, outro finado músico homenageado foi Redson, do Cólera, através da música Medo, incluída na íntegra, mesmo porque já está presente no repertório da Plebe há muitos anos.

A apresentação da música Minha Renda foi antológica. Além de samplearem o Chacrinha apresentando a própria Plebe em seu Cassino do Chacrinha, eles interromperam a música no meio para parodiar com corrosivo sarcasmo vários clichês da música pop descartável e da Música de Cabresto Brasileira, dos iô iô iôs, coros e gestos de mãos de vários gêneros até a pobreza da letra de um tecnobrega que a banda ameaçou tocar, mas ficou só no começo. Tudo isso só para ilustrar o discurso de Philippe contra os esquemões da música descartável de fácil rentabilidade e a favor de um caminho musical mais difícil, mas que é o caminho correto. Philippe também disse que a Plebe nunca mais tocará em rádio. Se o rádio continuar assim, é bom mesmo a Plebe ficar fora do dial.

Philippe também disse que a vantagem de morar em Brasília (onde os integrantes da banda moram, exceto Clemente, de São Paulo) é que Brasília não tem prefeito nem vereador, e por isso não está sendo bombardeada por essa palhaçada da campanha eleitoral que, como bem observou Philippe, está massacrando a nós, cariocas. Disse isso para introduzir a música Vote em branco, que ele lembrou que foi responsável pela prisão da banda toda em 1984, quando eles a tocaram em Patos de Minas, em seu primeiro show fora de Brasília e em plena campanha eleitoral naquele ano. Philippe reforçou toda a mensagem explícita da música, o que de sobremaneira desagradou a militância da candidatura do prefeitável Marcelo Freixo, militância que tinha alguns representantes na plateia. Mesmo assim, Philippe deu votos de boa sorte ao amigo Marcelo Yuka, ex-Rappa e atual candidato a vice-prefeito de Freixo.

É muito Marcelo pra um dia só. Marcelo na bateria, Marcelo Yuka sendo citado (e sendo ele vice de outro Marcelo) e eu na platéia curtindo tudo.

A banda anunciou estar feliz em participar de vários projetos. Além do novo CD/DVD, citou a participação na trilha sonora do filme Federal e a participação no documentário Rock Brasília. Também anunciou novos projetos feitos pela banda ou em que a banda é citada: o filme Somos tão jovens (em que a banda é representada por atores) e o futuro disco de inéditas, que a banda ainda não disse se será lançado apenas no iTunes ou se terá também versão em CD.

Destaco aqui que nunca vi um show com tantas dezenas de pessoas subindo ao palco para cumprimentar os músicos e pular lá de cima em cima da plateia, que fez várias rodas de pogo. Muitas dessas pessoas eram mulheres, e algumas beijavam os integrantes. Clemente até brincou, dizendo que antes a banda apanhava da polícia e hoje é beijada pelas mulheres, e que essa é uma das vantagens de ter ficado velho.

Philippe também anunciou que seu filho nasceu há alguns dias. O garoto ganhou de Clemente o codinome "Seabrinha".

Por fim, a banda disse estar muito feliz em encontrar ainda tantos plebeus (a plateia) no Rio de Janeiro. Plateia que, segundo Philippe, prefere o rock'n'roll à "essa MPB chata dessas novas casas noturnas da Lapa" (palavras dele).

A Plebe Rude pode voltar quantas vezes quiser ao Rio de Janeiro, que sempre encontrará uma platéia grande e entusiasmada. A plebe carioca agradece. Como bem disse Philippe, o rock'n'roll vive, no Rio.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

A falta de professores de ciências exatas

O Bom Dia Brasil de 13 de agosto mostrou uma boa reportagem sobre a falta de professores de ciências exatas nas escolas de ensino médio (física, química, biologia, etc). Isso me fez lembrar que eu mesmo enfrentei esse problema, no Colégio Estadual Visconde de Cairu, no Méier, cidade do Rio de Janeiro. E olha que já faz bastante tempo: foi no ano de 1989, quando cursei o primeiro ano do então 2º grau. O colégio não tinha professor de química para a minha turma, por mais que a diretora pedisse na Secretaria Estadual de Educação o envio de um professor. A então diretora da escola resolveu se desdobrar e, sendo ela licenciada em química, resolveu ela mesma ser a nossa professora naquele ano. Minha turma não enfrentou problema semelhante nos anos seguintes.

É bem provável que várias turmas que chegaram depois no colégio tenham enfrentado a falta de professores em algumas matérias.

Nenhum país pode ser decentemente desenvolvido se não estimula a carreira docente, inclusive nessas matérias de ciências exatas. A falta de professores nessas matérias está na raiz do atraso tecnológico do Brasil.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Eduardo Paes só trata bem flamenguista em época de campanha pra arrumar voto



"Se alguém que tá se manifestando é flamenguista, saiba que eu só trato bem flamenguista na época de campanha pra arrumar voto. Cabou eleição eu quero... se danem. E ainda tem um tricolor ali no meio, coitado. Tá todo feliz... Nunca tinha ganho um título na vida".
Eduardo Paes - prefeito do Rio de Janeiro e candidato à reeleição pelo PMDB.

Rede Globo é anarcocapitalista

Resposta para Tribuna da Imprensa:

A Rede Globo é plutocrática. Mas, se dependesse dela, não haveria nem plutocracia. O regime vigente no Brasil seria o anarcocapitalismo. Ou seja: as corporações superariam o Estado e qualquer tipo de controle, impostos ou regulamentos e fariam tudo sem regulamentação alguma da sociedade, inclusive os serviços de segurança, justiça, educação e saúde.

Pra chegarmos nesse estágio, falta só oficializar o que já existe.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Salvem a Aldeia Maracanã!

Petição de Apoio ao Centro Cultural Indígena da Aldeia Maracanã

Iniciativa Popular que visa o recolhimento de assinaturas em apoio ao Centro Cultural Indigena da Aldeia Maracanã, no Antigo Museu do Indio, à Rua Mata Machado 126 - Maracanã - RJ . O motivo é: o Governo do Estado não reconhecer a posse do território, local sagrado dos povos indígenas. O Governo do RJ tem como intenção nefasta em demolir o edifício histórico. O antigo casarão reconhecido UNESCO encontra-se em total abandono pelo Governo Federal. Notícias que vêm sendo vinculadas na imprensa o Governo do Estado está em negociação com a União para a utilização desse espaço para um atalho ao estádio. SERÁ QUE ISTO É JUSTO?!!! Neste local, indígenas de várias etnias vêm difundindo sua cultura há seis anos e em escolas particulares e públicas,exercendo direito garantido pela lei. Defendemos a criação de um centro de referência da cultura indígena. Pedimos o apoio e Todos.. site : centroculturalindigena.jimdo.com e facebook: centrocultural

Por que isto é importante

O Antigo Museu do Índio está com os dias contados. O prédio arquitetônico de 147 anos, onde foi criado por Darcy Ribeiro o SPI, que hoje é a FUNAI e também fundado por ele e o Marechal Rondon o primeiro museu indígena da América do Sul. O Governo Federal junto ao Governo Estadual pretendem demolir o prédio para futuros projetos. Além disso o prédio representa todos os povos indígenas que ocupam diariamente o espaço a mais de 6 anos divulgando a sua cultura e querem desta forma tornar o espaço um centro cultural indígena. Nós, Povos Indígenas do Centro Cultural sonhamos com esse espaço preservando a memória de nossos ancestrais.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Faltava uma banda "universitária". Não falta mais


Com tanta gente da Música de Cabresto Brasileira dando um verniz intelectual em sua música com o rótulo de universitário (sertanejo universitário, fânqui universitário, pagode universitário, axé universitário, arrocha universitário, tecnobrega universitário, quem sabe já exista o gospel universitário?), faltava uma banda utilizar a palavra universitário (ou alguma contração) no próprio nome.

Não falta mais. Já existe desde 2009 a Banda Universitária. Segundo o portal oficial, a banda é radicada em Chapecó, Santa Catarina. E pelo som que apresentam no tocador do portal oficial, o forró diluído é a base do som da banda. Parece que os caras não adotaram a tchê music, a diluição da música gauchesca, prática comum de grupos de música de cabresto do estado vizinho: o Rio Grande do Sul. Mas não devem demorar a faze-lo. Se já não o fizeram. A temática brega é a tônica das letras da Banda Universitária.

Dou esporro em quem me convidar pra curtir essas bandas universiotárias.

domingo, 19 de agosto de 2012

Movimentos sociais criticam governantes. Na Rússia


Resposta para Lola:

Os movimentos sociais não são tão ousados no Brasil como são as feministas russas, que ousam protestar contra o presidente Putin. Aqui os movimentos sociais não participam mais de protestos contra a corrupção e o governo federal como faziam há anos. Falo do Governo Lula-Dilma, que tem sido acusado por ativistas dos movimentos GLBTT de te-los abandonado e de estar abrigando toda sorte de inimigos dos GLBTT, tal como diriam que o presidente José Serra faria se tivesse sido eleito. Aqui no Brasil movimentos sociais só fazem movimentos classistas. GLBTT reivindicam casamento civil gay ou igualitário, feministas reivindicam parto do jeito que bem entendem (com ou sem parteira, com ou sem médico, dentro ou fora de hospitais), trabalhadores reivindicam melhores salários, motoristas de vans reivindicam licenças individuais e melhores condições de atuação, e assim por diante. Nenhum deles faz mais manifestações cívicas. O Fora FHC foi talvez o único movimento do qual participaram.

Tenho três coisas a acrescentar sobre o manifesto das moças do Pussy Riot contra o presidente Putin. Uma é que pode se discutir se foi errada ou não a escolha do local (o templo ortodoxo), mas não há de se questionar a escolha do alvo do manifesto (o presidente Putin). Os responsáveis pelo templo ortodoxo já defenderam o perdão das musicistas do Pussy Riot, talvez porque o alvo do protesto nem foi a fé ortodoxa nem a igreja ortodoxa, e sim o presidente Putin. Por fim, acredito que seria interessante trazer essa banda para tocar no Brasil, depois de saírem da prisão. Seria interessante lançar os CDs delas por aqui e traze-las para tocar ao vivo. Já que as bandas dos machos daqui resolveram colocar roupas coloridas e cantar músicas acéfalas e "emotivas", quem sabe uma banda de mulheres punks russas provoque uma reação positiva no cérebro dos roqueiros brasileiros e na cena rock local.

Rodrigo Souza disse...

Chutaria que elas vão ser libertadas em breve, ou pelo menos ter uma redução de pena significativa aos olhos do mundo para mostrar clemência, misericórdia, benignidade etc.

São prisioneiras muito complicadas de se manter. Nada incendeia mais as bases de um movimento que um bom martírio público.

Mesmo as igrejas se expandem com a propaganda de seus mártires. Desde o primeiro deles: o diácono Estêvão. Aqui mesmo no Brasil houve gente contrária à prisão do padre Luiz Carlos Lodi da Cruz, de Anápolis, pois não queriam dar um mártir para a Igreja Católica. Se não me engano, até mesmo Jandira Feghali era contra a prisão do padre.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Ascensão e queda da MTV Brasil


Escrevo este texto diante da notícia das possíveis venda e extinção da MTV Brasil, anunciada ontem na coluna Outro Canal, da Folha de São Paulo.

A MTV Brasil é, na verdade, a TV Abril, rede de TV do grupo homônimo, que tem uma geradora em São Paulo no canal 32 UHF, além de repetidoras em diversas cidades brasileiras, e usa a franquia MTV, licenciada junto à proprietária da marca: a americana Viacom. A MTV Brasil foi fundada em 20 de outubro de 1990, entrando no ar no canal 32 paulistano (a geradora própria da TV Abril) e no canal 9 do Rio de Janeiro, arrendando junto à TV Corcovado. A MTV era uma emissora bacana. Era escorada essencialmente em programas de clipes musicais, cada um com um estilo, mas todos eles voltados à audiência juvenil. Era uma emissora evidentemente pop. Mas tinha informação musical, que eram passadas pelos apresentadores nos programas de clipes e também pelos programas jornalísticos e nos especiais. Quando a emissora transmitia pelo canal 9, o pessoal assistia direto. O impacto era tão avassalador que influenciou (conceitualmente e negativamente) até a mídia roqueira, como a Fluminense FM, rádio que ficou no ar até setembro de 1994. Até o Frejat era telespectador assíduo, segundo o que ele disse quando a emissora deixou o canal 9. Sim, porque em 1992 a TV Corcovado foi comprada pela Rede OM (atual CNT), substituindo a bem azeitada programação musical por programas grossos como o ultrarreaça Cadeia, que despejava no ar noticiário policial de Curitiba. O jornalista Sérgio Cabral (ele mesmo, o pai do atual desgovernador) é que devia gostar dessas coisas, pois deixou claro estar aliviado com a substituição da programação da MTV pela da Rede OM. A partir da saída do canal 9, os telespectadores sofreram para acompanhar a programação, através da repetidora no canal 24 UHF, atualmente ocupando o canal 48. Aliás, continuam sofrendo, até hoje. Quem não assina a NET assiste a emissora com chuviscos e chiados em vários pontos da cidade.

Um clipe marcante desta fase áurea da MTV (mesmo no canal 24 UHF) foi o da música Pérola, do CD Paulo Ricardo & RPM, lançado pelo RPM em 1993.



A MTV era legal quando a letra M de seu nome era M de Music, ou música. Ou seja: na década de 1990, quando seu carro chefe eram os clipes e programas musicais. Na segunda metade da década de 1990, a coisa degringolou. Passaram a exibir clipes de música popularesca, deformando o formato originalmente pop. O formato foi extinto de vez em meados da década seguinte (a do ano 2000), quando a emissora deixou de ser propriamente musical e encheu a grade quase toda com programas de auditório e humorísticos acéfalos, deixando os melhores clipes apenas para a madrugada e o início da manhã. O M da MTV passou a significar outra coisa. Não música. Imaginem que M é essa.

Na segunda metade dos anos 90 e na década de 2000, só prestavam poucas coisas, como os especiais Acústico MTV e MTV Ao Vivo. Eu mesmo comprei alguns CDs e DVDs desses especiais. A série Acústico MTV começou na verdade lá em 1992, com o CD Acústico MTV de João Bosco. Mas a série se tornou célebre na segunda metade dos anos 90, ao literalmente ressuscitar a carreira de muita gente boa do pop e do rock brasileiro. Titãs (1997) e Capital Inicial (2000) devem muito do sucesso posterior deles aos programas, discos e DVDs acústicos lançados com a MTV, nesses respectivos anos. Hoje, nem esses projetos arrojados temos na MTV.

Segundo a coluna Outro Canal, a TV Abril poderá ser vendida, e o grupo Abril poderá renegociar a franquia MTV (licenciada até 2018) de volta para a Viacom, que poderá criar a sua própria MTV Brasil agora como canal pago, sem aproveitar nenhum dos atuais programas ridículos da MTV Brasil. Melhor assim.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Fogueira de vaidades no rádio esportivo carioca

O rádio esportivo carioca está uma boa bosta, isso sim. Muitas AMs nem tem mais sinal decente pra ouvir, mesmo as maiores (Tupi, Globo, CBN, Manchete, Tamoio, Brasil e Nacional). Muito disse me disse, muita boataria, muita vaidade, muito medalhão se achando, muita arrogância, muita panela. Nem as transmissões da equipe CBN tenho ouvido mais. Ultimamente, só tenho ouvido as transmissões da TV, mesmo. Premiere FC, SporTV, Fox Sports, às vezes (e bem pouco) Globo e Band. E mesmo assim, às vezes aciono o mute. Fico só com a imagem.

Texto a ser reproduzido no Blogue do Tributo.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Lula e Dilma não perdem por esperar

Essa greve dos servidores públicos federais pode ter alguns excessos cometidos por uns e por outros. Como servidores sabotando serviços essenciais (até mesmo liberação de medicamentos e insumos de laboratório na Alfândega e na Vigilância Sanitária) e servidores reclamando de salários altos e fazendo greve, enquanto servidores abnegados dos escalões inferiores da federação (estados e municípios) ganham muito menos e mesmo assim se recusam a participar de movimentos grevistas.

No entanto, há de se reconhecer que são justas as reivindicações de boa parte dos grevistas federais. Lembrando que vários deles são eleitores históricos dos presidentes petistas que elegeram, quando é que os servidores se unirão e deixarão esses presidentes traidores se lascarem? Os presidentes não perdem por esperar. A corja governista dirá: "Vocês querem a volta deles (dos tucanos)?" Não dá vontade de sacanear, respondendo "sim"?

Quero realçar que não confio em partido registrado algum. Do DEM ao PCO. Senão virão as cavalgaduras traidoras me encher o saco.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Por quê o orçamento da Olim Piada 2016 não foi fechado


Um dos motivos é porque o projeto nem está todo concluído. Boa parte das instalações a serem construídas estavam previstas para serem construídas sobre os escombros do Autódromo de Jacarepaguá, um dos melhores do país, que inclusive já foi fechado pela Prefeitura. Prometia-se que a construção das futuras instalações olímpicas no local ocorreria paralelamente à construção de um novo autódromo em Deodoro, mas este tem uma série de pendengas ambientais. A própria remoção do Autódromo de Jacarepaguá tem pendengas, que vão desde a destruição de uma das melhores pistas do Brasil (como bem atesta o blogue SOS Autódromo do Rio de Janeiro), a remoção de uma população humilde (a Vila do Autódromo) até a especulação imobiliária em torno da área, que nem se sabe ainda seu verdadeiro tamanho. Já cogitam a transferência da construção de alguns locais de provas olímpicas para fora de Jacarepaguá.

Essas coisas não saem no PiG governista tido como golpista.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

A política brasileira é algo admirável e canhota: todos dizendo serem mais esquerda que os outros

Resposta para Raphael Tsavkko:

Continuo curtindo seu blogue, Tsavkko. Embora eu tenha a estranha sensação de que é muito fácil ser de esquerda no Brasil. Seja dentro do governo ou fora do governo. Mesmo sendo esquerda autêntica, como é o seu caso. Afinal, todo mundo diz que é de esquerda, todo mundo diz que é progressista (até o Bolsonaro, do PP!), todo mundo diz que é politicamente correto. Se alguém da esquerda acerta, é porque é de esquerda. Que maravilha! Se alguém erra, é porque é de direita ou era alguém da esquerda que virou direita. Facinho, facinho de se desvencilhar. A esquerda é pura, santa, imaculada, Não erra nunca. Nem o Papa falando de fé e doutrina católica com a assistência do Espírito Santo é tão infalível quanto a esquerda. Se meterem um exame de DNA no Governo Lula-Dilma, encontraremos o querido DNA da esquerda, ali. Por mais que a direita esteja ali presente no Governo, como o amigo Tsavkko bem apontou. Se foi a esquerda que pariu politicamente o Lula e a Dilma durante o regime militar (ele como líder sindical, ela como guerrilheira), que assumam a paternidade ou a maternidade. Mas eu sinceramente não espero que a esquerda assuma coisa alguma. Eu sou um descrente absoluto, como o amigo Tsavkko. Se Lula é Deus (como os fanáticos fazem crer que seja), eu prefiro ser ateu. Um dia veremos a esquerda e a direita caírem juntas, e se juntarem ao demo-tucanato no raio que o parta. Aí ascenderá algo superior.

sábado, 11 de agosto de 2012

Até a Veja é PiG com G de Governista quando convém

E não venha a cambada de esquerda desmentir esta capa.

Bobagens olímpicas na Rádio Catedral


Alguns debatedores do programa Vox Populi da Rádio Catedral são uns pândegos. Na terça-feira passada, disseram que a Olimpíada 2012 não está tendo grande audiência porque está sendo transmitida pela Rede Record, que segundo eles só tem importância em São Paulo, não tendo repercussão no Rio de Janeiro.

Não é o que eu tenho visto aqui no Rio de Janeiro e nos índices do Ibope. A Record atinge a liderança de audiência, quando os atletas brasileiros estão competindo ao vivo. E essa semana eu estava almoçando num restaurante, assistindo uma partida de hóquei feminino ao vivo. A TV do restaurante não estava no Globo Esporte. E a partida nem era com a seleção brasileira. Era com as seleções da Holanda e da Nova Zelândia. Perguntem se a dona Globo estaria transmitindo partida de hóquei.

Se a linha editorial da Record é francamente anticatólica, isso não dá direito aos senhores debatedores do Vox Populi de distorcerem informações. Houve, sim, um tempo em que a Record não tinha grande audiência no Rio de Janeiro. Mas foi no tempo dos donos da Jovem Pan. Não agora, sob o domínio dos bispos. Que não são os católicos, que fique claro.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Delegação olímpica brasileira: mais do mesmo

Entre surpresas individuais (notadamente no judô e na ginástica), decepções e quedas quase diárias no quadro de medalhas, a delegação brasileira chega a mais um final de olimpíada dependendo do de sempre: de conquistas "choradas" nos esportes coletivos, que dão apenas uma medalha (de ouro, de prata e de bronze) pra cada categoria: masculina e feminina. No caso, a delegação concorrerá às medalhas de ouro no vôlei masculino e feminino, e no futebol masculino.

Capaz de a medalha de ouro vir apenas de quem jamais ganhou medalha de ouro: os jogadores do futebol masculino. Pelo menos será bom ve-los ganhando o ouro sem que ninguém ouça a besta do Galvão Bueno berrando nos ouvidos e falando merda.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Medalhas de lata


Na boa... 200 e tantos atletas brasileiros em Londres. Muitos com patrocínio estatal. A maioria pra fazer turismo. Não para ganhar medalhas.

E nem estou falando da gastança com a Olim Piada 2016.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Ver e ouvir Celso Blues Boy ao vivo era uma experiência única

Nas últimas horas, surgiram internautas dizendo que quem nunca viu uma apresentação ao vivo do saudoso Celso Blues Boy perdeu muito. Não estavam falando de mim, poque tive a oportunidade de estar em uma apresentação ao vivo do grande mestre de blues nacional. Foi na época do lançamento do CD Indiana Blues (1996), aquele em que ele conta numa das faixas com a participação de seu ídolo e amigo B.B. King. Celso fez sua apresentação ao vivo no terraço do shopping Rio Sul. Aquela apresentação foi o suficiente para constatar que cada apresentação dele era uma experiência única. Não poderia haver um show de Celso Blues Boy igual a outro show dele. Além de ter sido um dos melhores músicos da história deste país (daqueles que não erram uma nota sequer), ele era um mestre do improviso. Consta que até mesmo algumas notas de seus discos de estúdio foram criadas na hora, no próprio estúdio.

Além do disco Indiana Blues, outro disco do Celso que tive a oportunidade de adquirir foi o disco cuja capa ilustra este texto. O disco Vivo de 1991 foi gravado ao vivo no lendário Circo Voador, palco fundamental na carreira dele. Ainda lançado durante a transição do vinil para o CD, a versão em compact disc possui faixas-bônus ausentes no LP. Este disco ao vivo pode ser a melhor pedida para quem quiser começar a conferir a discografia do grande blues man que acabou de partir, deixando uma multidão de fãs e amigos pelo país afora.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Olimpíada providencial para as redes Globo e Record

A exclusividade da Rede Record na Olimpíada 2012 está sendo providencial para a própria Record e mesmo para a rival Rede Globo. Nestas últimas duas semanas, a TV dos bispos encheu o Jornal da Record com tudo quanto é matéria sobre o evento olímpico. Dão espaço até para matérias fúteis para um jornal pretensiosamente sisudo, como uma sobre as pinturas das unhas das atletas. Enquanto isso, o julgamento dos réus do mensalão é sumariamente jogado para segunda, terceira, quarta ou grandezas inferiores. Na Globo, acontece o contrário. Na falta de imagens olímpicas para mostrar, massacram a audiência com notícias do julgamento no STF.

Se estivéssemos vendo o julgamento do mensalão tucano ou do mensalão do DEM, provavelmente os dirigentes do jornalismo da Record estariam quebrando cabeça para enfiar notícias dos dois mensalões e da Olimpíada no jornal. E os da Globo estariam arrumando uma bobagem manipuladora qualquer pra preencher o espaço que não poderiam preencher com imagens olímpicas.

Eis o próximo slogan ufanista do Governo Lula-Dilma!

Do jeito que os fanáticos andam, só falta isso.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Enquanto isso, na pizzaria do STF... (1)

Resposta para Com Texto Livre:

Se este fosse um país sério, pessoas como Gilmar Mendes e Roberto Gurgel jamais sairiam do cargo original para o qual fizeram concurso público. Jamais chegariam a tribunais superiores ou procuradorias gerais. E o senhor Toffoli estaria ainda advogando para o PT ou para governos petistas. Os três estariam em seus direitos.

Nem as provas físicas serão suficientes para condenar quem quer que seja nessa Ação Penal 470 do STF. Se é que há alguma... Se depender de muita gente boa e de muita gente nem tão boa assim, só haverá condenação de alguém nesse processo se estiver nos autos do processo a ata do mensalão, com registro em cartório, descrição detalhada dos compromissos de cada um, as quantias recebidas ou pagas e a assinatura dos corruptos e dos corruptores.

4 de agosto de 2012 10:04

Zé Carlos disse...

Impossível condenar sem provas.

4 de agosto de 2012 10:09

Sim, exatamente. Não dá para condenar sem provas. Mas nem provas testemunhais adiantarão neste caso.

4 de agosto de 2012 10:13


Zé Carlos disse...

Os GGs (Gurgel e Gilmar) pelo jeito são chegados em se banharem em cachoeiras.

4 de agosto de 2012 10:16

domingo, 5 de agosto de 2012

E se o golpe de 1964 tivesse fracassado?

Resposta para Emir Sader, da Carta Maior:

Quando eu lembro que Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva integraram (talvez ainda integrem) o famigerado Consenso de Washington, isso me dá o direito de rechaçar essa retórica demo-tucana e lulo-dilmista. Prefiro pensar em dias melhores. Seja pro futuro ou pra hipóteses do passado que não se realizaram. Acredito que teríamos algum avanço neste país se a quartelada de 1964 tivesse fracassado como as ocorridas durante os anos anteriores.

sábado, 4 de agosto de 2012

Os erros de Lula são os erros do neoliberalismo e do socialismo

O Governo Lula-Dilma reúne o que há de pior nos sistemas socialista e neoliberal. Essa de dizer que os erros do Governo Lula-Dilma foram apenas neoliberais, capitalistas ou esquerdistas e omitir os outros erros é no mínimo desonestidade ideológica. E eu nem me refiro à ultraesquerda petista e à blogosfera progressista que ainda apoiam o Governo Lula-Dilma.

Pronto, falei.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Cadê o "espírito olímpico" de Galvão Bueno?



Galvão Bueno é um corpo estranho no SporTV. Mesmo no programa Bem, Amigos!. O lugar dele é na Rede Globo. Mas a Globo está fora das transmissões olímpicas. Aí tentam empurrar o Galvão para aqueles que assinam o SporTV.

Melhor ver o SporTV somente nas transmissões ao vivo. Nelas o Galvão está fora. Menos mal.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Terceiro filme da trilogia de Nolan esculhamba movimento Ocupa


Esse filme Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge é uma bobagem medonha, mesmo sendo tecnicamente bem feito. Christopher Nolan foi profético ao dizer que temia não encontrar uma boa história para suceder a do sensacional filme Batman - O Cavaleiro das Trevas, este por sua vez sucessor de Batman Begins.

Pra começar, esse filme reproduz com os piores estereótipos possíveis os fatores que geram a paranóia do americano médio. E os tais demônios são exorcizados da pior maneira: com um filme com tantos tiros e bombas quanto qualquer filme de Stallone, Schwarzenegger ou qualquer outro ícone do cinema brutamonte oitentista. Se o Cavaleiro das Trevas tinha um vilão genial e atemporal como o Coringa, este tem o Bane, outro egresso da Liga das Sombras, tal como Ra's Al Ghul no primeiro filme. Só que este Bane é o arquétipo dos preconceitos do americano médio contra os movimentos sociais, notadamente o movimento Ocupa (Ocupa Wall Street, Ocupa Nova York, etc). Qual a melhor maneira de vilanizar um movimento social em filme? Criar uma milícia criminosa que lembre um movimento social com milhares de pessoas, no caso o Ocupa. A milícia de Bane chega a fazer um assalto à Bolsa de Valores de Gotham (clara referência a Wall Street), despoja os ricos de Gotham (quer pecado maior para o americano médio eleitor do Partido Republicano?) e destrói o campo de um estádio de futebol americano lotado (outro símbolo americano). Pra não esquecermos que Bane é um vilão, ele faz um discurso demagógico de que o poder da elite de Gotham deve ser entregue para o povo comum, mas ele mesmo passa meses da história como o déspota de Gotham, agora transformada em "sua" cidade-estado, separada do resto do mundo. Ele só não controla o tribunal da milícia, presidido pelo Espantalho.

Christopher Nolan devia ter deixado a franquia do Batman descansar em paz, e respeitar a memória do ator Heath Ledger, ganhador do Oscar póstumo de melhor ator coadjuvante com o papel de Coringa do filme anterior. Não podia encerrar sua trilogia de filmes do Batman com essa bobajada. E, se for pra falar de milícia, o pessoal do Tropa de Elite 2 fez isso bem melhor. Mesmo não sendo o Tropa 2 nenhuma obra de arte cult.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Thanos vem aí!



Não podia deixar de mostrar este vídeo aqui. É a cena pós-créditos colocada em todas as cópias do filme Os Vingadores já exibidas ou em exibição pelo mundo afora, e que estará nos futuros DVDs e Blu-Rays do filme.

Pra quem achou que Loki foi um grande vilão para o filme Os Vingadores (e foi mesmo), tem que lembrar que seu mentor era o Outro, líder dos Chitauri. E o mentor do Outro era esse sujeito de cara vermelha que aparece neste vídeo: Thanos, maior vilão do universo Marvel. Thanos deverá aparecer nos próximos filmes da Marvel Studios. Entre eles, provavelmente, Os Vingadores 2.