Política, cultura e generalidades

domingo, 10 de junho de 2012

Jus Esperneandis

Eu já disse não lembro onde que não confio plenamente nos ministros do Supremo Tribunal Federal. São doutores da lei indicados por presidentes incompetentes ou presidentas incompetentas, e aprovados por estrupícios do Senado.

Mas vez ou outra um dos doutores da lei diz uma frase sensacional, daquelas colecionáveis. Como esta:

"É chegada a hora de pararmos de pensar sistematicamente que o povo deve ser tutelado pelo estado, ou que o povo não tem capacidade de discernimento, ou que o povo brasileiro, em razão de condições sociais, não teria a dignidade como ser humano de saber fazer as suas opções pessoais, individuais".
(Dias Toffoli)

Outra foi dita nesta semana pelo ministro Marco Aurélio Mello, depois que o deputado petista André Vargas tentou desacreditar o STF por ter marcado o início do julgamento do Mensalão para 1º de agosto:

"Essa reação é muito conhecida no Direito: é o ‘jus esperneandis’".

Desde já, uma das grandes frases do ano.

Se o cumpanhêro petista André Vargas diz que os ministros do STF são manipuláveis, que ponha a culpa no cumpanhêro Lula e na cumpanhêra Dilma. Foram eles que indicaram a maioria dos atuais ocupantes das cadeiras do STF. Uma minoria ainda não aposentada foi indicada pelos estrupícios presidentes anteriores (Sarney, Collor, Itamar e FHC). Ironicamente, o próprio Marco Aurélio foi indicado pelo primo Collor de Mello, um dos atuais senadores lulo-dilmistas.

Frase de Marco Aurélio Mello coletada no blogue Coturno Noturno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário