Política, cultura e generalidades

terça-feira, 19 de junho de 2012

Desprezo pela pintura padronizada faz reaparecer pintura original de empresa de ônibus municipal carioca



Depois que a politicagem carioca impôs a padronização visual dos ônibus municipais para esconder as piores empresas do ramo sob os consórcios paraestatais Intersul, Internorte, Transcarioca e Santa Cruz, várias empresas (mesmo as melhores) repintaram seus ônibus de qualquer maneira e desleixaram da manutenção. E a Prefeitura aumentou a passagem, para fazer o usuário otário pagar pelo serviço de funilaria que fizeram. Serviço porco, como se vê por aí.

Já perdi várias oportunidades de sacar meu celular e fotografar ônibus sujos, arranhados e com pinturas danificadas. Até mesmo com o brasão da cidade parcialmente apagado e inscrições parcialmente apagadas, como as dos nomes do consórcio, da empresa, a expressão "Cidade do Rio de Janeiro" e mesmo os números dos ônibus.

Mas ontem de noite não perdi a chance. Um ônibus da Verdun (do consórcio Internorte) passava, e de cima da passarela percebi que a pintura branca do padrão Paes/Sansão estava descascando no teto. E já deixando aparecer parcialmente a pintura original azul da Viação Verdun.

2 comentários:

  1. Os erros estão ficando cada vez mais claros. E, além do mais, descobri que a medida da padronização visual contraria a Lei de Licitações. Dificultar a identificação de uma empresa ao público e usar a renovação de frotas para convencer que essa dificuldade vale a pena é um verdadeiro desrespeito das autoridades ao povo.

    E as próprias empresas já estão desleixando, com muitos ônibus enguiçados e até acidentes, inclusive trágicos. Sem falar das bandeiras digitais com defeito nas dianteiras e simplesmente apagadas no lado e atrás, dificultando ainda mais a identificação de cada linha de ônibus.

    Infelizmente certos busólogos não gostam que se fale a verdade. Eles reagem com ofensas, calúnias e até palavrões. Pior: ainda usam o estado civil de certas pessoas para humilhar. Se é solteiro, chamam de "encalhado". Se é divorciado, xingam de "corno". Depois quando a gente critica, eles é que nos acusam de "promover a má imagem" da busologia.

    ResponderExcluir
  2. Marcelo. Você pode ter perdido a chance de fotografar, mas eu não. Te marquei em umas fotos que tirei de ônibus que costumo usar. Siva-se a vontade e em breve terá mais.

    ResponderExcluir