Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 14 de maio de 2012

A participação dos insetos e dos robôs patriotas (e dos nacionalistas) no tuitaço contra a Veja #VejaComMedo #VejaTemMedo

Uma coisa deve ser dita. Os lulo-dilmistas não tem direito de reivindicar para si a exclusividade da participação no tuitaço de anteontem contra a revista Veja, descrito lá no blogue do Miro. Esse pessoal gosta muito de posar de únicas vítimas, embora eles estejam desgovernando este país há mais de nove anos e embora neste caso obscuro da Veja eles sejam, mesmo, vítimas da revista, sem serem os únicos.

Há de se anotar que a Veja é, pelo menos desde a década de 1980, uma revista internacionalista e neoliberal. Esses caras mereceriam respeito se fossem só internacionalistas e neoliberais mas reconhecessem seus erros ou de suas empresas, como fez uma vez o Correio Braziliense (conforme conta o Brasil 247) e até o coiote neoliberal Rupert Murdoch, sobre a bandalheira em seus jornais britânicos. A revista da Abril nutre simpatia pelo demo-tucanato, mas quando estes se desviam um pouquinho do ideário neoliberal da Veja, a revista dá suas tamancadas em específicos políticos dos dois partidos da oposição de direita. No entanto, o alvo frequente da Veja não é o demo-tucanato. Alvos frequentes são: movimentos sociais, movimentos nacionalistas (não necessariamente de esquerda), servidores públicos e qualquer um que defenda a soberania nacional e direitos para a população brasileira. Além dos lulo-dilmistas. A Sujíssima Veja (© Hélio Fernandes) merece essa movimentação contrária, inclusive dos que não confiam nem em Lula nem em Dilma. Provavelmente houve a participação de antipetistas no tuitaço.

Esse tuitaço de anteontem foi marcado para 18h, quando eu estaria numa sessão de cinema com ingresso comprado antes de saber do tuitaço. De modo que só contribuí com uns tuítes horas antes do tuitaço, e com alguns mais de uma hora depois, o primeiro deles de uma hora e dois minutos depois do início.

Ontem fiquei sabendo que os tags #VejaComMedo e #VejaTemMedo ficaram quase dez horas entre os dez mais do Twitter no Brasil. Horas antes, a nova edição semanal da Veja foi pras bancas classificando os tuiteiros como “insetos”, “robôs” e “petralhas amestrados”. Pois então saibam que estou vendo gente gostando de ser classificado como “inseto” ou “robô”. Alguns substituíram as próprias fotos no Twitter por fotos de insetos ou de robôs. Como na cadeia alimentar, insetos maiores comem insetos menores. E nós comemos esses insetos da Veja. Entre nós deve haver uma praga de gafanhotos pronta para devastar aquela sujíssima revista da Marginal Pinheiros. No que diz respeito aos robôs, esse pessoal da Veja deve ter algum trauma de robôs, desde que lançaram as sagas Exterminador do Futuro e Matrix. Eles tem que aprender a levar a ficção menos a sério.

Nenhum comentário:

Postar um comentário