Política, cultura e generalidades

domingo, 13 de maio de 2012

Bradesco Sports FM 91,1 provoca um tsunami no rádio esportivo carioca

A antiga rádio Musical FM 91,1 de Petrópolis estava há anos arrendada pela Rede Aleluia, nas há poucos meses foi vendida para o Grupo Bandeirantes. Pois eis que o grupo Band promete não só instalar um novo transmissor para a rádio atingir a cidade do Rio de Janeiro (tal como faz a Melodia FM 97,5) como está anunciando (com a locução de Luciano do Valle) na FM 91,1 a instalação de uma nova rádio: a Bradesco Sports FM, que ao que tudo indica, terá transmissões esportivas e música qualificada nos horários sem transmissões esportivas. Ainda não há data prevista para a inauguração da Bradesco Sports 91,1. A expectativa é que ela coincida com as primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro.

O primeiro lance do tsunami foi a investida da Bradesco Sports FM em cima dos quadros da Rádio Globo AM 1220 e FM 89,5. De lá foram retirados de uma vez o locutor José Carlos Araújo, o comentarista Gérson "Canhotinha de Ouro", Gilson Ricardo, Jorge Eduardo e os repórteres Jorge Eduardo, Cláudio Perrout, André Luiz, Bruno Cantarelli e Francisco Aiello. Garotinho e Gilson eram veteranos de décadas de Rádio Globo.

A AM+FM da Rua do Russel não ficou quieta. Foi na rival Tupi AM 1280 e FM 96,5 e tirou de lá o locutor Luiz Penido. A estreia do Garotão da Galera na Rádio Globo será, no mínimo, histórica. Ele se revezará com José Carlos Araújo hoje na transmissão do jogo final do campeonato carioca de futebol entre Fluminense e Botafogo. Se há décadas atrás os locutores Jorge Curi e Waldir Amaral se revezaram na própria Rádio Globo com cada um narrando um tempo de partida, hoje Garotinho narrará apenas o primeiro tempo de Fluminense e Botafogo, se despedindo assim da emissora. Luiz Penido narrará o segundo tempo da partida, marcando assim sua reestreia efetiva na emissora onde já trabalhou em outras épocas.

Comentava-se nos bastidores radiofônicos que uma das rádios do Rio tentou tirar o comentarista Washington Rodrigues da Tupi, mas ele teria recebido uma contraproposta da AM+FM da Rua do Livramento e decidiu ficar.

Escorada pelos grupos Bandeirantes e Bradesco, a Bradesco Sports FM provocou uma movimentação no dial carioca, mas não se sabe efetivamente qual será o futuro dessa emissora. As tentativas anteriores de implantar uma rádio com transmissões esportivas apenas em FM fracassaram com o tempo. A Tropical FM 104,5 foi arrendada pela IURD. A então popular FM 94 da Era dos Garotinhos (os de Campos dos Goytacazes, não o José Carlos Araújo) virou a educativa Roquette Pinto FM 94,1 da Era Sérgio Cabral Filho. E a Transamérica FM 101,3 deixou de fazer transmissões esportivas no ano passado. Como quase todas as FMs com antenas instaladas em Petrópolis, a Bradesco Sports FM deverá enfrentar problemas sérios para ser sintonizada na Zona Sul carioca, o filé do mercado radiofônico. Já enfrenta hoje para chegar nas zonas norte e oeste da capital, onde pouca gente afirma ter sintonizado o novo sinal da Bradesco Sports ainda em teste. Pode ser que o apartheid tecnológico contra as rádios AM e a presença de José Carlos Araújo façam com que a Bradesco Sports tenha audiência e faturamento suficientes ao menos no nível esperado pelos três grupos que estão criando a rede: Band, Bradesco e Bel, sendo que este último não está envolvido na criação da filial fluminense, que é do Grupo Bandeirantes. Não é rádio alugada nem arrendada. A participação do grupo Bel na empreitada é entrar com a emissora própria de Belo Horizonte e as arrendadas que compuseram a extinta rede Oi FM, que também era uma rádio customizada bancada por um patrocinador master. A Bradesco Sports FM entra com outra proposta em quase todas as emissoras da extinta Rede Oi, exceto a antiga filial carioca, que é a Rádio Cidade FM 102,9 hoje afiliada da rede Jovem Pan FM.

Texto original publicado em TVs do RJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário