Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 1 de março de 2012

Dilma nomeia seu próprio Papa

Talvez o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) entenda alguma coisa de pesca e exerça um trabalho profícuo (profícuo para quem?), nesse cargo que exercerá agora: o de Ministro da Pesca. Ele tem estudado sobre o tema, ao longo dos anos. Não é um ignorante total no assunto.

Oficialmente, a nomeação do novo ministro tem como objetivo fazer com que o PRB volte a ser representado no ministério e se alie ao PT nas eleições municipais deste ano, notadamente em São Paulo.

Só que essa nomeação ministerial do bispo-senador e agora bispo-ministro não deixa de ser uma tentativa da presidenta Dilma de cooptar e acalmar a bancada evangélica no Congresso Nacional, colocando um de seus integrantes no ministério. A bancada evangélica tem ameaçado Dilma com derrotas nas votações do Congresso Nacional, se o Governo não atender suas demandas.

Além disso, pode-se dizer que a presidenta Dilma nomeou seu próprio Papa para o Governo. Pra quem não sabe, o Papa de verdade é reconhecido pela Igreja Católica como o sucessor do apóstolo Pedro, que era um pescador. Os evangelhos afirmam que Jesus disse a Pedro que este passaria a ser "pescador de homens", deixando sua ocupação original de pescador de peixes.

Como os pastores da Igreja Universal admiram tanto os títulos católicos (o de bispo, principalmente), é bem capaz do agora bispo-ministro começar a se considerar papa, também. Já que também será pescador... Mas não pescador de homens, como o apóstolo Pedro. Pescador de peixes, mesmo. Se aquele tio do senador souber que o sobrinho virou "papa", imagino só que títulos o líder máximo da IURD poderá adotar para si.

O próprio Ministério da Pesca só foi criado para atender a sanha do Governo em criar mais cargos de ministro. A estrutura desse ministério poderia muito bem ter sido mantida dentro do Ministério da Agricultura. Durante a gestão de Marcelo Crivella no Ministério da Pesca, quantas histórias de pescador ainda ouviremos do bispo-ministro?

P.S: Meu amigo Alexandre Figueiredo escreveu num blogue dele que Crivella já disse que não entende do ramo. Sendo assim, o bispo-ministro será um desastre. Não será pescador de homens nem de peixes. Talvez Crivella pesque outras coisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário