Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O que a traição lulo-dilmo-petista provoca

Resposta para Raphael Tsavkko:

Texto magistral, Tsavkko. Assinaria embaixo, se não fosse por este trecho: "Oras, porque NÃO são de esquerda! Ou ao menos não agem como". Porque minha indignação e a traição aos meus votos a Lula em 2002 (1º e 2º turno) não me permitiriam escrever algo assim. Essa cambada é de esquerda, SIM. E agem como tal. Há muito tempo a esquerda e a direita brasileira convergem no pensamento, no discurso e no modo operacional. O que não me impede de achar gente de esquerda do bem, apesar das discordâncias. Como o próprio Tsavkko, os irmãos Figueiredo Pereira (Alexandre e Marcelo) e mesmo governistas como Zé Carlos e Alessandro Molon. No entanto, mesmo esses são minorias, exceções na seara esquerdista.

2 comentários:

  1. Quando falo Esquerda, me refiro a algo que vai além do conceito deturpado do Stalinismo, mas que perpassa pelo humanismo, respeito aos DH e políticas sociais consistentes...

    ResponderExcluir
  2. O nobre leitor Raphael não tem noção da rejeição que tenho pela esquerda (exceto uma minoria ainda digna de confiança) após esses anos todos de traições. Pra mim a coisa acabou desde que o tal do Lula disse que jogaria a população contra os servidores públicos, para fazer a sua própria Deforma da Previdência, que complementaria a de FHC. Declaração ultradireitista da parte dele. Fiquei sabendo da declaração lulista na revista Caros Amigos, acima de qualquer suspeita, quando se fala em espaços abertos para os pensamentos de esquerda.

    ResponderExcluir