Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Esquerda e conservadores unidos contra manipulação e baixaria da Rede Globo e da Big Bosta Brasil

Nesta semana, esquerdistas e conservadores esqueceram as diferenças e combateram ao mesmo tempo a Rede Globo e seu famigerado programa Big Brother Brasil.

Um dos participantes do programa é suspeito de ter abusado sexualmente de uma participante, aproveitando que ela estava inconsciente, após ter tomado muita bebida durante uma festa na noite de sábado. O suposto abuso sexual aconteceu na madrugada de sábado para domingo. A própria plateia da Big Bosta se indignou com o sujeito. A Polícia Civil foi lá no Projac investigar. Chegou a tomar depoimento da suposta vítima. Os diretores do programa estavam minimizando o episódio (Pedro "Millenium" Biau chegou a brincar sobre o episódio, na segunda: "É o amor!"). Mas vendo a merda que tinha dado, na segunda feira a direção do programa decidiu pela expulsão sumária do sujeito. Laconicamente, Pedro Bial anunciou a expulsão ao vivo na noite de segunda, dizendo que o cara tinha infringido as regras do programa.

No Twitter, o povo respondeu: "Não, idiota! Ele cometeu um crime, ô Biau!"

Na verdade, a direção do programa expulsou o sujeito para jogar a culpa toda sobre ele. Como se a Globo não tivesse responsabilidade sobre o acontecido. Haja manipulação para escapar das acusações! Há 12 anos a Globo mantém essa Big Bosta no ar, na maior libertinagem. Um dia a casa cairá. Mas antes teremos o desprazer de saber de coisas que ainda acontecerão lá dentro com transmissão ao vivo pela TV, como estupros (de verdade) e assassinatos. Não é muito difícil para um big brother ou big sister matar um concorrente lá dentro, apesar da suposta ausência de armas de fogo.

Por coincidência ou não, o famoso deputado federal Jean Wyllys (professor de História que virou cobra criada no BBB e foi para a Câmara na aba do deputado Chico Alencar, colega do PSOL) leu uma tradução errada da agência de notícias Reuters de um discurso de Bento XVI para diplomatas, e tascou apelidos "elegantes" pra cima do Papa, da linha de homofóbico e genocida, baseado nas supostas palavras papais. Duvido que tenha lido o texto original completo em latim ou italiano.

Jean tem direito de não concordar com o Papa, assim como Leonardo Boff, Silas Malafaia e Edir Macedo também têm direito á discordância (receber críticas dessa gente é uma honra). Só não tem direito de fazer grosserias baseado na mesma imprensa golpista que distorce os fatos ao seu bel prazer, sabe-se lá com que interesses, debaixo de protestos dessa mesma esquerda que se dá muito bem com potentados da direita (cultural ou não), como parlamentares do PSOL aliados dos barões do fânqui. Ontem Jean foi catapultado à segunda posição dos TTs (Trending Topics) do Twitter no Brasil, como a tag #RetrateseDepJeanWyllys, divulgado por católicos e por não católicos fartos de tanta manipulação golpista da imprensa nacional e internacional e tanta picaretagem de centenas de parlamentares brasileiros. Até a oposição ao Papa ajudou a divulgar a tag #RetrateseDepJeanWyllys, fazendo esta chegar ao segundo lugar ontem a partir de 18h, por cerca de duas horas. Perdeu apenas para a tag #Megaupload, sobre o serviço americano de hospedagem de arquivos fechado ontem pelo FBI.

A defesa do deputado BBB chegou a citar pseudocatólicos da Igreja Vermelha, como Chico Alencar, o correligionário que levou Jean para o Congresso. E lembraram que o próprio Jean Wyllys foi militante da Pastoral da Juventude. É lembrando deles e de tantos outros (vários que saíram da Igreja e os que ficaram) que costumo lembrar que os maiores inimigos da Igreja não são do lado de fora. Estes de fora estão no papel e no direito deles de não gostarem da Igreja, não gostarem de bispo, não gostarem de Cristo, não dizerem amém. Os maiores inimigos da Igreja estão dentro dela mesma. Ou já estiveram dentro. E entre os que estão dentro ou saíram, os maiores inimigos foram formados em escolas, colégios, universidades, seminários e pastorais da própria Igreja. Vão desde os padres violadores dos votos de obediência e castidade (pedófilos, inclusive) a políticos cretinos que acham que podem ser católicos e socialistas ou católicos e liberais ao mesmo tempo. Esses, sim, podem demolir a Igreja de dentro para fora, e já estão bem adiantados nesse serviço. As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja. Os traidores de dentro ou de fora, sim, podem prevalecer.

P.S: Depois do twitaço de ontem, deve ter gente por aí resmungando "Maldita inclusão digital!" e querendo que a polícia feche o Twitter. Como fizeram com o Megaupload.

P.S 2: Partido e deputado que dão pití quando são criticados não merecem nenhum voto. Não querem críticas dos eleitores? Então saiam da política, ora bolas. Voltem para suas vidinhas privadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário