Política, cultura e generalidades

sábado, 28 de janeiro de 2012

Cisne Negro: o grande filme de Natalie Portman


O Oscar 2012 já está chegando e somente agora o filme com a vencedora do Oscar 2011 de melhor atriz está chegando na programação normal da TV brasileira. Cisne Negro estreará hoje no canal Telecine Premium. Só que este filme eu tinha que conferir no cinema, quando foi lançado há cerca de um ano atrás. Foi o que fiz. Ao meu ver, este é o grande filme de 2011. O que este filme tem de tão especial?

Cisne Negro é, por enquanto, o ponto alto da carreira de uma das atrizes preferidas de muita gente da minha geração. Natalie Portman merece o título de nossa musa por todos os motivos possíveis. Destaco aqui sua inteligência mostrada em todas as entrevistas e declarações que dá, sua técnica apurada, as doses certas de emoção colocadas em cada personagem e sua digníssima postura pessoal e profissional. Natalie começou sua carreira cedo. Com 13 anos, já estreava nas telas com um papel nada convencional: o da Matilda de O Profissinal, menina que tem toda a família assassinada e aceita se tornar aprendiz de um matador profissional a fim de se vingar daqueles que mataram sua família. Logo depois fez diversos papéis adolescentes, dentre os quais chama atenção o da menina Taffy Dale, a filha do presidente dos Estados Unidos interpretado por ninguém menos que Jack Nicholson no filme Marte Ataca!.

Foi com 17 anos que Natalie Portman ficou mundialmente conhecida ao ingressar no elenco da maior saga da história do cinema: a saga Star Wars. Fez o papel da rainha Amidala no filme A Ameaça Fantasma. Repetiria o mesmo papel (Padme Amidala, que deixou de ser rainha e virou senadora) em Ataque dos Clones e A Vingança dos Sith. Natalie só pôde desenvolver uma atuação mais solta no segundo filme, enfrentando os roteiros falhos escritos pelo autor, roteirista e diretor George Lucas. Dizem que Natalie contestou frontalmente o diretor, por não concordar com os rumos que Lucas estava dando ao terceiro filme, ainda durante as filmagens. A ponto de Lucas ter pensado em substituir a atriz. O dono da Lucasfilm optou por manter Natalie, porém reduzindo o papel no terceiro filme ao mínimo necessário para manter a importância da personagem que vinha a ser ninguém menos que esposa do Cavaleiro Jedi Anakin Skywalker (o mitológico Darth Vader ao final do terceiro filme) e mãe dos gêmeos Luke e Leia. A atriz sequer aparece em cenas de ação em A Vingança dos Sith, ao contrário do que acontece nos dois filmes anteriores. Aqui só apareceu em cenas dramáticas e românticas.

Só que a carreira de Natalie teria decolado de qualquer maneira, com ou sem a saga Star Wars no currículo. No mesmo ano de 1999 de A Ameaça Fantasma, ela contracenava com Susan Sarandon em Em Qualquer Outro Lugar, ambas fazendo papéis de filha e mãe, respectivamente. Já em 2004 apareceu em seu provável primeiro papel efetivamente adulto: a da stripper Alice Ayres de Closer, papel que lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar, na categoria melhor atriz coadjuvante. Neste filme ela contracena com três ícones do cinema: Julia Roberts, Jude Law e Clive Owen.

A extensa carreira de Natalie Portman se tornou uma galeria de filmes e personagens variados. Tem o papel de Evey Hammond, parceira de V, personagem de Hugo "Mr. Smith" Weaving em V de Vingança, tem a personagem Molly Mahoney, na qual contracena com Dustin Hoffman em A Loja Mágica de Brinquedos, tem Emma Kurtzman, mais um papel adulto na carreira (papel do filme Sexo Sem Compromisso) e aquele que é por enquanto seu mais recente papel: o de Jane Foster, par romântico de Thor no filme homônimo. Emma e Jane são papéis posteriores ao de Cisne Negro.

Foi o papel da bailarina Nina Sayers que consagrou a carreira de Natalie Portman. Com ele, a atriz faturou o Oscar, o Globo de Ouro de melhor atriz dramática e os prêmios de melhor atriz do Sindicato dos Atores (SAG), do BAFTA (a academia britânica de cinema e TV) e até do Independent Spirit Awards, apesar de Cisne Negro ser uma produção de propriedade da Fox, uma das titãs do cinema hollywoodiano. Nada independente, portanto. Antes de Cisne Negro, Natalie tinha sido indicada para outros prêmios pelos filmes Em Qualquer Outro Lugar e Closer, tendo sido contemplada apenas com o de melhor atriz coadjuvante no Globo de Ouro, por Closer.

Pra não estragar a surpresa do filme (se é que algum leitor não viu), basta dizer que a bailarina Nina Sayers trabalha numa companhia de balé de Nova Iorque que está na etapa de pré-produção de sua versão do espetáculo O Lago dos Cisnes. O papel da principal bailarina da peça (que teria que interpretar tanto o gracioso e inocente Cisne Branco como o malicioso e sensual Cisne Negro) está sendo disputado ferozmente por Nina e uma bailarina mais jovem, Lily (papel da atriz Mila Kunis, também em atuação arrebatadora). Nina faz de quase tudo para conseguir a vaga para interpretar o Cisne Negro, mas não sem antes se envolver num drama psicológico, despertar as características mais sombrias de sua personalidade e ameaçar sua sanidade.

Depois de Cisne Negro, Natalie Portman se casou com seu coreógrafo no filme, Benjamin Millepied, e no ano passado deu à luz ao primeiro filho, Aleph Hershlag-Millepied. Natalie permanece sendo a garota-propaganda da grife Dior. Natalie Portman é dessas atrizes que vale a pena acompanhar todos os filmes em que ela trabalha. Tomara que ela não demore muito a voltar às telas de cinema.

Um comentário:

  1. Vale lembrar que ela também deu um show como uma personagem brejeira no filme "Garden State" ("A Hora de Voltar"), filme dirigido, escrito, produzido e estrelado pelo ator de "Scrubs", Zack Braff. Ótimo filme, aliás. E, como sempre, Natalie faz nossos olhos relaxarem.

    ResponderExcluir