Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Escrevendo sobre o apagão da coerência política


É muito engraçado ver os militantes lulo-dilmistas dizendo que os tucanos estão sucateando a Light através da estatal mineira Cemig, pra atingir o Governo Federal e, quem sabe, provocar uma reprivatização da Light.

Ué, há anos o Governo Federal faz o mesmo com os aeroportos! E não são só os do Rio de Janeiro!

Melhor eu parar por aqui, antes que provoquem um apagão aqui, também. Nem pensar em apagão no calorão!

Troféu Tolo do Ano 2012

Como nos anos anteriores, não faltaram candidatos ao troféu virtual que criei ainda no meu primeiro blogue. Até o início deste mês, o único candidato lançado para o concurso era Fabiano Baltasso. Mas as reações diante do julgamento do mensalão colocaram três novos candidatos, emparelhados cabeça a cabeça: Palmério Dória, a estrela global José de Abreu e seu xará José Dirceu. Os trapalhões Ricardo Lewandowski (A gente vai Lewando, a gente vai Lewando...) e Roberto Gurgel não ficaram muito longe dos mensaleiros. Nas hostes tucanas, o multiderrotado candidato José Serra também foi cogitado para o troféu, como seus xarás Dirceu e de Abreu. A última candidata a entrar na corrida foi a modelo brasileira Nana Gouvêa, que posou para fotos em meio aos destroços provocados pelo furacão Sandy, na costa leste americana, há alguns meses atrás.

Apesar da concorrência acirrada, o Troféu Tolo do Ano 2012 tem que ir mesmo para o mensaleiro-mor José Dirceu. O homem que acreditava que haveria pizza para ele, como houve para tantos outros politiqueiros na história do Brasil, desde a direita à esquerda. O homem que consagrou o termo jus sperniandi no Direito brasileiro, apesar de a condenação dele ter sido justa. O homem que motivou a melhor charge do ano, que ilustra esta postagem aqui.

O que mais valeu o Troféu para o próceres do PT foi a sua sugestão a Lula e a outros dirigentes do PT para que fizessem uma manifestação em fevereiro, colocando 200 mil pessoas na rua. Até agora, só conseguiram encher alguns auditórios em sindicatos e outros locais, em eventos do PT ou de organizações simpáticas ao partido. E sempre com bem menos de 200 mil pessoas. José Dirceu deve se imaginar o Vladimir Palmeira da parada. Os militantes lulo-dilmistas podem acreditar nas ilusões petistas, mas não são totalmente otários. Eles sabem que tem coisa mais importante para fazer.

No fundo, devo agradecer a José Dirceu, pois atitudes como as dele são o que me motivam a escrever sobre a decadente política nacional, com esses 30 e tantos partidos políticos registrados pelo TSE. Que faça bom proveito do troféu, que é virtual, portanto não existe no mundo real. Assim como a honestidade dos políticos no poder também é virtual, não real.

Aproveito para agradecer aos leitores por terem me acompanhado neste ano. Faço um convite para continuarem lendo aqui os nossos assuntos abordados: política, cultura e generalidades. Já que as cavalgaduras do Apocalipse erraram e o mundo não acabou no último dia 21, que todos tenham um proveitoso e feliz ano de 2013. Continuarei escrevendo aqui no blogue. Enquanto deixarem.

domingo, 30 de dezembro de 2012

'Os Vingadores' foi o grande arrasa-quarteirão de 2012


Se considerarmos apenas os filmes do gênero arrasa-quarteirão, o grande destaque cinematográfico de 2012 acabou sendo mesmo Os Vingadores, o filme que reuniu pela primeira vez seis heróis das histórias em quadrinhos. No caso, Homem de Ferro, Hulk, Thor, Capitão América, Viúva Negra e Gavião Arqueiro. O filme acabou sendo o recordista mundial de bilheteria, com uma arrecadação mundial superior a 1 bilhão de dólares. Nada mais justo, para um filme que apresentou dignamente os personagens e a franquia Vingadores, com os heróis, a S.H.I.E.L.D e o vilão Loki, irmão de Thor.

Se considerarmos todos os gêneros de filme, meu maior destaque de 2012 fica mesmo com On The Road, que já resenhei aqui.

sábado, 29 de dezembro de 2012

Coisa difícil! Notícias de um time carioca no canal ESPN


O canal ESPN mostrou hoje no programa SportsCenter uma notícia que "abalará o planeta": o Vasco da Gama apresentando um novo reforço para seu time de futebol profissional. Um jogador com nome de pagodeiro: Thiaguinho. Futebol e pagode: tudo a ver.

Só mesmo a irrelevância de uma notícia pinçada na entressafra do jornalismo futebolístico brazuca (com os principais times do país de férias) é capaz de fazer essa paulistada da ESPN destacar um time carioca no seu noticiário sem que algum deles seja campeão, como o Fluminense no Brasileirão. Esses caras criticam bastante a bandalheira nesses megaeventos esportivos tipo Copa e Olim Piada, com desperdício de dinheiro público e outras coisas. Embora tenham razão nas críticas, não o fazem com a propriedade com que blogueiros do bem fazem. Talvez façam por puro ranço de alguns paulistanos contra o Rio de Janeiro, já que a final da Copa 2014 será aqui e a Olim Piada 2016 também (por mim, nem seriam feitas no Brasil). Duvido que fizessem essas críticas se a Olim Piada fosse em São Paulo e se a final da Copa fosse no Itaquerão, no Morumbi, no Pacaembu ou na Arena Palestra Itália. Estariam, talvez, exaltando esses megaeventos.

Tem mais: queria ver os amigos da ESPN dando nomes aos bois. Na hora de criticar os caras que estão trazendo esses megaeventos pro Brasil, só criticam o Marin da CBF. Pouco falam de Lula, Dilma, Aécio, Anastasia, Kassab, Alckmin, Cabral Filho, Cid Gomes, Tarso, Agnelo, os dois Eduardos (Campos e Paes)...

Não é um texto sobre o deslumbramento com Lula, mas parece

Resposta para O Kylocyclo no Facebook:

Este texto me lembra o país de gente que não conheceu figuras como Getúlio Vargas (o homem que criou a Petrobrás, a CLT, etc) e por isso acha que Lula é um gênio. Alguns e algumas acham que Lula é Deus. Se é, prefiro ser ateu.

"O pior estigma do brasileiro é se contentar com pouco. Pode haver exceções, mas a maioria esmagadora dos brasileiros é se conformar com coisas que nem são tão boas assim, e às vezes trazem prejuízos, desvantagens e limitações muito sérias, só porque não é "algo pior" ou traz alguma "vantagem" relativa, mas muito do agrado do indivíduo em questão.

Da busologia ao feminismo, do radialismo aos esportes, essa onda conformista, esse apreço exagerado ao medíocre preocupa muito os analistas, porque vem muitas vezes de gente que não conheceu as referências mais valiosas. E mostra que, para uma boa parcela da sociedade, na falta do melhor, o mais ou menos vira "genial".

É a aplicação do ditado "Em terra de cego, quem tem um olho é rei". E neste caso os súditos são dotados de cegueira pior ainda, porque pensam terem visto a luz quando apenas viram uma lanterninha fraca se acender nas trevas."

Marcos Vinicius Mesquita disse...

Povo brasileiro ainda vive dentro da caverna de Platão.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

É possível que lulo-dilmistas ou ex-lulo-dilmistas tirem Lula, Dilma e PT do poder

Resposta para Hélio Fernandes:

Acrescentando algo ao texto de Hélio Fernandes, afirmo que é possível que saia do próprio lulo-dilmismo a oposição que tirará Lula, Dilma e o PT do poder, seja em 2014, 2018 ou depois. Poderá ser tanto alguém de fora do dito “campo progressista” (tomara que não seja algum desses fisiológicos da atual base lulo-dilmista) ou mesmo alguém que já está hoje na oposição, mas que votou em Lula para presidente ao menos uma vez na vida e que portanto também já não pertencia ao demo-tucanato. Cada era tem algo inevitável. O inevitável da era atual é o lulo-dilmismo. O Brasil teria que passar por isso, com suas vantagens e suas desvantagens. Mas, como toda era, esta era lulo-dilmista terá também seu fim. Não porque os brasileiros quererão apagar o lulo-dilmismo do passado (isso é impossível), mas apenas pela inevitabilidade da passagem do tempo e da consequente sucessão das eras. Tomara que quem ponha fim nesta era seja alguém que defenda os valores da nação brasileira, coisa que nenhum Presidente da República (noves fora Vargas) fez até hoje.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Para JN, 'A Privataria Tucana' é objeto para ser devolvido?


Ontem o Jornal Nacional exibiu mais uma daquelas matérias pós-natalinas que exibem em todo fim de ano para encher linguiça, sobre os consumidores que retornam às lojas para trocar produtos que por algum motivo não serviram para as pessoas para quem esses presentes foram oferecidos no Natal. São roupas que não serviram nas pessoas presenteadas, são livros comprados para quem já tinha exemplares deles, livros para pessoas que não gostariam de ter esses títulos específicos, etc. Pois eis que um dos livros que apareceram na reportagem e que supostamente estaria sendo levado pelo comprador de volta à livraria para devolução era nada mais nada menos que A Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro Jr.

Conhecendo o jornalismo global, dá para supor que os responsáveis pela matéria acreditavam que o consumidor estava tentando devolver o livro por falta de interesse dele ou da pessoa para quem tentou dar o livro. Os próceres do jornalismo global consideram o livro muito controverso, pra não dizer subversivo. Objeto, portanto, passível de não ser lido e sumariamente devolvido para as livrarias. Os caras não deixariam A Privataria Tucana aparecer no JN, assim, à toa. Devem lamentar que até hoje dezenas de milhares de exemplares do livro NÃO tenham sido devolvidos nem ficado nas livrarias. Muito pelo contrário: foram comprados, presenteados, lidos, comentados, elogiados, etc. Criticados? Só pela corja incomodada.

Mal sabem eles (ou talvez já saibam) que A Privataria Tucana 2 já está sendo escrito. Aguardem.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Titãs - Cabeça Dinossauro 2012


Os Titãs gravaram em 1986 o clássico disco Cabeça Dinossauro, pilar fundamental do rock brasileiro oitentista. Hoje, depois de vários discos medianos ou ruins gravados desde 1995 e da saída de vários talentosos integrantes por motivos diversos, os Titãs resolveram dar um gás na carreira regravando ao vivo no Circo Voador o fenomenal disco de 1986. O resultado pode ser conferido agora em CD, DVD e Blu-ray. Mas conferi o resultado outro dia na versão HD do Multishow. Vale a pena conferir o resultado, em qualquer um desses formatos.

Até que a banda conseguiu reproduzir no palco a mesma energia do disco original de estúdio. Apesar de ter perdido de lá para cá quatro dos oito integrantes de 1986. Nem baterista fixo a banda tem mais. Mário Fabre é baterista contratado para a cadeira que antes pertencia ao hoje pesquisador e apresentador Charles Gavin. Branco Mello, Paulo Miklos e Sérgio Britto tiveram que fazer os vocais solo que pertenciam a Arnaldo Antunes e Nando Reis na primeira versão de Cabeça Dinossauro. No fim, fique a dica para a banda assumir de vez seu público mais roqueiro e parar de flertar com o público pop que nunca lhe foi fiel. Vide a baixa repercussão que tiveram com seus discos mais pop. Mesmo o malfadado Sacos Plásticos, gravado com o "midas" pop Rick Bonadio.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada


Há alguns meses foi reaberto o tradicional cinema Imperator, agora um centro cultural da Prefeitura com três salas de cinema, teatro, espaço para exposições e terraço ao ar livre no alto do prédio onde ficava o antigo telhado. Só conheci o novo Imperator na última terça-feira, ao escolher o local para ver o novo filme O Hobbit: Uma Jornada Inesperada. Vi na sala 1, com direito a imagem 3D. E som original e legendas na tela, porque rejeito filme dublado com todas as minhas forças, sempre que possível. Deixei de ver outros filmes perto de casa e fui pra Botafogo e pra Barra da Tijuca só pra ver aqueles outros filmes com som original e legendas.

Sobre este filme em questão, trata-se do primeiro dos três filmes que o diretor Peter Jackson lançará baseados no livro O Hobbit de J. R. R. Tolkien. Jackson está fatiando (© 2012 - Joaquim Barbosa) o livro em três partes, ou seja, em três filmes. Para delírio do enorme fã-clube de Tolkien espalhado em dezenas de países. E, a julgar por esse primeiro filme da trilogia O Hobbit, o fatiamento está saindo bem feito e consistente.

Acredito que estão exagerando um pouco com alguns elogios a esse primeiro filme da trilogia. Já houve gente dizendo que o filme é melhor do que os da trilogia O Senhor dos Anéis, outra trilogia de Jackson, esta baseada nos três livros da trilogia homônima de Tolkien. Mas também não é um filme inferior. É um filme sensacional com outra abordagem. Enquanto aqueles filmes da saga O Senhor dos Anéis tinham uma abordagem mais clássica, este de O Hobbit tende mais para o atual cinema arrasa-quarteirão, com humor e as acachapantes cenas de ação, que se agravam a cada avanço do protagonista Bilbo Baggins e de seus amigos anões na jornada empreendida por eles. O filme, no entanto, mantêm algo da aura classicona dos da outra trilogia de Jackson, sem se tornar um filme arrasa-quarteirão fútil como tantos que tem por aí. Não entregarei nada da história deste texto. O que apenas faço questão de anotar (e isso não é revelação da história em si) é que fica a impressão de que o protagonista Bilbo Baggins era, de fato, o mais ativo herói hobbit de ação da franquia O Hobbit-O Senhor dos Anéis de Tolkien. Embora o maior herói da franquia seja seu sobrinho Frodo, que mesmo sendo mais contido, foi o único com desprendimento suficiente para levar o lendário Um Anel para ser destruído na mesma montanha vulcânica em Mordor onde o vilão Sauron o havia forjado. Mas essa história da destruição do Um Anel começa apenas na trilogia O Senhor dos Anéis.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Pela primeira vez, concordo com José Dirceu

Resposta para Coturno Noturno:

A classe média está "vivendo num paraíso, e isso graças ao Lula". Mas, ao mesmo tempo, está sendo "cooptada" por valores conservadores. Já disse a Lula que "o jogo pode virar fácil. Nós [PT] não temos a maioria, a esquerda ganha eleição no Brasil com 54% dos votos".
José Dirceu, ex-Ministro-Chefe da Casa Civil

Pela primeira vez, concordo com José Dirceu (tirando aquele ponto sobre o suposto "paraíso" da classe média. Só se for o da nova classe média dos índices manipulados pelos dirigentes do IBGE). O que é dessa corja lulo-dilmista está guardado. A virada virá. Pode demorar um pouco ou bastante. Não tenho pressa. Tenho só 37 anos. Posso esperar.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Novos políticos ex-tucanos e hoje lulo-dilmistas são a velharia de sempre

Comentários de Horácio Melo na Tribuna da Imprensa:

Carlos Newton:
É lamentável que tudo isso seja verdade, realmente não temos novos políticos sérios. Caro Newton, esta “safra” de novos políticos, que se diz “esquerdista”, e tem como referência Lula da Silva, é horrorosa. Todos eles desejam ter apartamentos na Vieira Souto, mordomias de todos os tipos, se dizendo socialistas, salvadores da pátria. São safados, pulhas.
Quando aparece uma voz discordante, com propostas de direita, aí, coitados, são esmagados.
Não nos resta esperança, os comunistas são corruptos, os direitistas são aniquilados, no nascedouro, nos resta a “demagogia”, o estelionato, a fraude.
Triste Brasil, caminhamos para o horror, pior do que o horror de Joseph Conrad.
Horácio.

Aos missivistas Carlos Newton e Horácio Melo digo que hoje em dia respeito muito mais os tucanos que, com sinceridade ou cara de pau (dependendo do ponto de vista) assumem com mórbido prazer o legado da privataria e outros males da Era FHC, tomam porrada nas urnas e caminham para a extinção sem direito à defesa do Ibama. Fico puto mesmo é com esses lulo-dilmistas que procuram fazer as mesmas merdas que faziam no PSDB e fazem agora no PMDB e outros partidos lulo-dilmistas, só que sem o risco de extinção da espécie deles (a tucana), porque agora contam com as bênçãos e a proteção de Sua Suprema Divindade o Filho Bastardo do Brasil.

Se o PSDB não se assumir, outros assumirão


Resposta para Mingau de Aço no Facebook:

Se o PSDB não se assumir como partido de direita ou liberal, outros partidos o farão. Só que eles estão ainda nos subterrâneos da política brasileira. Sem registro no TSE.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Tucanos, águias, elefantes e outros bichos


Resposta para Mingau de Aço no Facebook:

Por mim, partidos daqui ou de qualquer país podem adotar o mascote que quiserem. Isso não diz nada sobre a natureza dos partidos. Seria como se estivéssemos debatendo times de basquete, beisebol ou futebol americanos conforme os seus mascotes: touros, ursos, tigres... A tão falada águia americana não é símbolo nem do Partido Democrata (cabrito) nem do Partido Republicano (elefante). Já o PSDB não mudaria sua natureza periférica se adotasse como mascote um animal da fauna brasileira que não fosse ave, como mico-leão, tamanduá, peixe-boi... Se bem que lobo guará pegaria muito mal por ser lobo, e tatu-bola pegaria mal por causa da subordinação aos interesses futebolísticos transnacionais.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Ainda sobre o massacre midiático do Corinthians


Resposta para Mingau de Aço no Facebook:

A grande mídia só faz esse circo quando o campeão mundial ou da Libertadores é o Flamengo ou algum grande clube paulista. Não faz isso com clubes mineiros, clubes gaúchos...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Lulo-dilmistas deveriam partir para o finalmente


Resposta para Coturno Noturno:

Se os lulo-dilmistas ainda pretendem fazer um bem para o país, podem parar de chamar esses tucanalhas de golpistas e partir finalmente para a extirpação do PSDB, como deseja Sua Suprema Divindade O Filho Bastardo do Brasil. Depois deverá surgir na oposição que não vota em Lula e Dilma algo melhor que o tucanato e melhor do que os demos.

Veja e o pré-sal

Me disseram ontem que a Veja está criticando essa guerra de estados produtores e de estados não produtores pelos róialtis do petróleo e do gás. Quer que esse imbróglio se resolva o mais rápido possível.

Eu sei o que a Veja quer. Quer que o imbróglio acabe para que se inicie imediatamente a privatização das reservas do pré-sal, a ser promovida pelo Governo Lula-Dilma. Essa gente não dá ponto sem nó. Não haverá leilão de bacias de petróleo com essa guerra envolvendo o Poder Executivo dos estados e dos municípios e os poderes Legislativo e Judiciário federais.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Trocar a bosta pela merda? Não, obrigado

Resposta para Coturno Noturno:

Apoio incondicionalmente o eleitorado brasileiro, que aos poucos está aniquilando essa oposição de merda representada pelo PSDB e pelo DEM. Se é pra trocar a bosta do lulo-dilmismo pela volta da merda demo-tucana, que fique a bosta, mesmo. A aniquilação final do demo-tucanato virá em 2014. Vai dar Lula e Dilma no segundo turno, ou um dos dois no primeiro turno. Anotem aí.

Mas como não existe espaço vazio em política, o espaço vazio nascido do fim do demo-tucanato será preenchido por novas agremiações oposicionistas de fora do campo da ultraesquerda (PSOL e assemelhados). Outro dia mesmo a Carta Capital se borrou toda fazendo uma reportagem sobre essas novas agremiações. Sabem que a petralhada não terá como apontar em alguns desses partidos os desmandos do demo-tucanato.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Direita não se resume aos viúvos da Era FHC

Resposta para Mingau de Aço publicada no Facebook:

O amigo Alexandre Figueiredo gastou seu texto inteiro analisando apenas os viúvos da Era FHC: o demo-tucanato, a mídia neoliberal, o Millenium e os defensores da cultura de cabresto. Ou seja: a banda oposicionista da direita não assumida. Nada sobre a direita assumida. Só um verbete no final do texto. O que é compreensível. Alexandre não pesquisa sobre o assunto. Deixe que eu mesmo faço isso.

Não digo que todos os direitistas assumidos são de oposição. Há os governistas. Já vi alguns que são declaradamente eleitores de Lula em 2002 e 2006 e de Dilma em 2010. E ainda por cima são saudosos do regime militar e eleitores declarados de Aécio Neves, se este for o presidenciável tucano de 2014. São lulo-dilmo-aecistas. Alguns estão por aí, inclusive escrevendo nos jornais. Talvez Alexandre já tenha se deparado com textos deles.

Pelo menos a maior parte da direita assumida que vejo por aí é diferente dos lulo-dilmo-aecistas. São oposição total a tudo que está aí. Tudo mesmo. Mas esse assunto deixo para meu blogue.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Caetano Veloso - Cajuína

Fonte: Facebook:

Rafael Domes

Toda música (boa música) tem uma história!!! Salve o Programa Livre!!! Será que Caetano diria que não lê a veja e que certas colunas de O Globo são chatas no Altas Horas?!?!? Responda essa, Marcelo Delfino!!!



Se até o Olavo de Carvalho diz que não lê a Veja e a considera uma revista de esquerda, imagine o Caetano! Só se o Caetano for eleitor roxo do PSDB, como dizem.

A vida é feita de escolhas. Se o Caetano achava O Globo um jornal chato e hoje acha bacana escrever uma coluna nele, que vá e seja feliz. Eu que não leio a coluna dele.

sábado, 15 de dezembro de 2012

Revista Veja come poeira pelo menos desde 1977

Houve um tempo em que a Veja metia medo no poder, sofria censura e teve até duas edições embargadas pelo regime militar, porque colocou na capa denúncias contra políticos aliados do regime. Hoje o máximo que a revista faz é chilique, arranca-rabo com a esgotosfera progressista e tabelinha com a oposição de direita. A população normal, ou seja, todo o restante da população simplesmente ignora essa revista. Vide a sua cada vez menor vendagem.

Mas não é de hoje que Veja come poeira. Nem a partir da década de 1980, década em que a revista fez capas cretinas sobre a morte de Elis Regina e sobre aquela entrevista com Cazuza.

Há alguns anos fiz uma pesquisa sobre a repercussão da estreia do filme Guerra nas Estrelas original, em 1977, nos Estados Unidos. Como sabemos, Guerra nas Estrelas foi um divisor da história do cinema pop. Tudo o mais se divide entre o antes e o depois. O filme traçou novos rumos para o cinema de ação e de fantasia, apresentou técnicas e tecnologias inovadoras de filmagem (os caras tiveram que se virar com os hoje irrisórios 11 milhões de dólares que tinham de orçamento) e bateu recordes de arrecadação e de venda de ingressos. As pessoas iam ao cinema para ver o filme inúmeras vezes, até mesmo várias vezes consecutivas e, não raramente, enfrentando longas filas. Fui na biblioteca da ABI e conferi revistas antigas daquele ano. Inclusive procurei matérias em todas as edições da Veja de maio (mês de estreia do filme nos EUA) a dezembro de 1977. O que encontrei foi decepcionante, levando-se em conta o prestígio da Veja na época. Essa revista, tão pródiga em repercutir grandes acontecimentos dos Estados Unidos e qualquer coisa do cinema pop americano que fatalmente acabaria repercutindo por aqui (algo que acontece até hoje), simplesmente publicou uma matéria de apenas uma página com apenas uma foto (uma versão em preto e branco da foto que ilustra este texto). E nem era uma matéria especialmente sobre Guerra nas Estrelas. Era sobre o cinema de ficção científica em geral. Guerra nas Estrelas só aparece pela foto e pela citação nominal do nome original do filme (Star Wars). Nada sobre o enredo do filme, nada sobre o personagem da foto (Luke Skywalker) ou sobre outros personagens, nada sobre o elenco, nada sobre o diretor e produtor George Lucas, nada sobre os primeiros números da bilheteria do filme nos EUA. E olha que a revista saiu depois da estreia. Se não me engano, a matéria da Veja foi publicada em junho de 1977. A revista não publicou mais nada a respeito do filme ao longo de 1977. Nem o fato de o filme ter estreado no Brasil só em 1978 (nosso mercado de cinema era bem atrasado, na época) justifica tanta lerdeza da revista.

Portanto, amigos, a Veja come poeira pelo menos desde 1977. Quem quiser, procure a matéria original que citei aqui.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Sarney volta a assumir a Presidência do Brasil

Antigos espíritos do Maranhão
Transformem esta forma decadente em SAAAR-NEEEY!!!
O presidente eteeernooo!!! Hahahahahahahahahaha...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

O surto moderado no grupo Fox

Resposta para Tribuna da Imprensa:

Por quê estão aparecendo radialistas e apresentadores moderados no grupo Fox? Não sei. Pode ser que o grupo esteja desgostoso de antigos companheiros de trincheira neoliberal. No Brasil, por exemplo, os caras tiveram que enfrentar a velha aliada Globo para colocar nas operadoras de TV paga seu canal de TV Fox Sports. Lá mesmo na Fox da Gringolândia o seriado de maior sucesso é o dos Simpsons, pródigo em críticas pesadas aos republicanos e ao “american way of life”. Teve até um episódio em que o médico do hospital de Springfield algemou Bart Simpson na cama do hospital quando os pais levaram o garoto pra emergência de lá com um cartão de plano de saúde que eles descobriram estar vencido. Além disso, o maior vilão do seriado (Sr. Burns) é republicano, e Lisa Simpson é democrata.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

E havia gente aliviada com o fim do Brasileirão...

Meu amigo Marcelo Pereira comemorou o fim do Brasileirão. Mas coisa pior veio hoje. Pauliceia desvairada ocupando o noticiário o dia todo, jogo de manhã, jogo de noite... Bambis e bando de loucos com a corda toda!

Carta Capital de volta para o futuro


Essa capa da Carta Capital é um achado. Dá pra encontrar mensagens subliminares nela. Mensagens que depõem contra a revista, por exemplo. Lá embaixo, temos o subtítulo: Do Instituto Millenium aos jovens reacionários, o Brasil volta ao passado. Vai ver, a revista considera que o presente e o futuro é ter Delfim Neto como colunista! Ele mesmo, o ex-ministro da Fazenda do regime militar.

E ainda temos na história da revista uma escabrosa homenagem a Romeu Tuma, conforme relata uma ex-presa política no portal Aldeia Nagô.

Alguém deveria comprar um DeLorean do tempo para o responsável por essa capa adjeta. Pra aprender o que é presente, passado e futuro de verdade.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

NX Zero e Sambô estarão na nova edição do Som Brasil em "homenagem" ao rock brasileiro oitentista


Resposta para TV Magazine:

Lá vem o NX Zero estragando mais clássicos do rock nacional. Não contentes em vilipendiarem Um Certo Alguém na trilha sonora de Malhação, farão o mesmo com Nós Vamos Invadir Sua Praia, Perdidos na selva, Olhar 43 e Pro dia nascer feliz. E ainda vão botar o Sambô pra tocar Toda forma de poder, Será e Pintura íntima.

É... O rock nacional vai sambar nesse programa.

Carta Capital é o primeiro reduto lulo-dilmista a detectar conservadores assumidos e direitistas assumidos do lado de fora do demo-tucanato


A Carta Capital desta semana está, no mínimo, surpreendente. Li duas matérias citadas na capa. A matéria sobre o Millenium é mais do mesmo que eu venho conversando com os amigos há tempos. Mas gostei mesmo de ver publicada a matéria sobre os conservadores e a direita pós-demo-tucanismo.

A matéria em si é risível. Tem todos aqueles clichês e informações mal apuradas por lulo-dilmistas que intencionalmente não querem que apareça nada além do lulo-dilmismo, do demo-tucanismo ou de qualquer coisa associada a esse infame Fla-Flu político. Se os caras se esforçaram à beça para traçar um perfil perfeito do jocosamente combatido Millenium, o mesmo esforço não foi feito com relação a movimentos políticos conservadores e/ou de direita assumida como os partidos Federalista (que prega a descentralização administrativa), Novo (que usa o lema "gestão eficiente da centro-direita europeia"), Libertários (de tendência libertária com integrantes mais próximos do anarcocapitalismo) e Arena (que diz pretender resgatar a linha ideológica de direita da Arena original num contexto de Brasil democrático), a UCC (União Conservadora Cristã), o Cons (de Conservadores, com várias tendências, todas assumidamente conservadoras) e pelo menos um movimento assumidamente de extrema direita nacionalista: a Resistência Nacionalista. É evidente que a Carta Capital encheria a matéria sobre esses grupos com clichês, informações mal apuradas e ideias preconcebidas, sem considerar as diferenças flagrantes ou sutis entre esses grupos. Pedir que fizessem um retrato fiel desses grupos seria como pedir pra Veja publicar um perfil fiel do PCB e de outras tendências da esquerda mais tradicional.

A Coordenação Nacional do Cons chegou a emitir uma nota oficial de resposta à Carta Capital. Resposta reproduzida aqui:

:: Esclarecimento ::

A revista Carta Capital, um dos redutos “jornalísticos” da esquerda radical brasileira, em sua edição semanal atual, que traz como principal matéria intitulada “A semente reacionária”, com a chamada de capa “A velha cara da nova direita”, onde os mesmos pretenderam abordar o tema "o reaparecimento da direita no Brasil e um perfil dos nossos jovens conservadores", ao citar o CONS e nos fazerem consideráveis menções, cometeram um equívoco que vale uma correção de nossa parte.

Ao citar nosso Estatuto e nossa Carta de Princípios, os jornalistas responsáveis pela matéria, abordam os requisitos para os interessados ingressarem em nossa agremiação com a seguinte inverdade: Para se associar, é preciso... Defender... O Cristianismo; qualquer pessoa que saiba ler, mesmo que com alguma limitação por nem ao menos ter completado o Ensino Fundamental, consultará nosso Estatuto e confirmará que em NENHUM MOMENTO exigimos tal condição. Nenhuma das cláusulas de nosso Estatuto prevê tal requisito.

O que em verdade é ressaltado em nosso documento é Defender o Cristianismo por convicção de fé ou assumir a postura de tolerância religiosa (Artigo 3º, alínea f). Ou seja, nós admitimos e ratificamos nosso fundamento religioso na moral e princípios cristãos, porém, ao ressaltarmos “... ou assumir a postura de tolerância religiosa”, esta claramente referenciado àqueles que não confessam porventura a fé Cristã - mesmo que nenhuma fé confessem - mas que possuam ao menos uma posição passiva e neutra com relação ao Cristianismo ou às religiões de maneira geral.

Lamentamos que os jornalistas responsáveis por tal matéria, além de haverem propositada e claramente se utilizados de jargões desonestos, estereótipos equivocados e comparações descabidas e insinuadas para se referirem aos “embriões partidários” de Direita no Brasil citados no artigo, ainda tenham a desonestidade e caráter questionável de mentirem descaradamente distorcendo a interpretação correta de nossa cláusula como exporto acima.

Grato pela atenção!

Coordenação Nacional
CONS Brasil

O blogue de Luciano Ayan fez uma análise mais precisa da matéria da Carta Capital. Entre erros e acertos, o maior acerto é constatar que a esquerda teme os movimentos que eles classificam como "nova direita", embora haja inúmeras divergências entre esses novos movimentos, que eu mesmo estou constatando. Eu vou mais longe. Embora classifique a matéria como risível, afirmo que a matéria prestou um grande serviço ao futuro pós-Lula, pós-Dilma, pós-PT, pós-esquerda e pós-tudo isso que está aí. Os caras da revista mostraram que existe política fora da ultraesquerda e do Fla-Flu lulo-dilmo-demo-tucanista. Só que não podem atacar um por um todos esses grupos de direita ou conservadores assumidos com os mesmos argumentos que usam contra os demo-tucanos de privatarias mil. Daí o temor. Então partem pra vergorragia desembestada. Esses caras estão com o rabo entre as pernas. E isso é maravilhoso.

Obviamente a Carta Capital ignora a existência de movimentos nacionalistas democráticos distintos de grupos extremistas como o citado Resistência Nacionalista. Seria como abrir a Caixa de Pandora para o lulo-dilmismo. Mas os caras mostraram que estão incomodados com os novos movimentos citados.

P.S: Não digo que todos os direitistas assumidos são de oposição. Já vi alguns que são declaradamente eleitores de Lula em 2002 e 2006 e de Dilma em 2010. E ainda por cima são saudosos do regime militar e eleitores declarados de Aécio Neves, se este for o presidenciável tucano de 2014. São lulo-dilmo-aecistas.

Pelo menos a maior parte da direita assumida que vejo por aí é diferente dos lulo-dilmo-aecistas. São oposição total a tudo que está aí. Tudo mesmo.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Por quê não dá mais pra marca MTV ficar no Grupo Abril

Resposta para TV Magazine:

O grupo Abril está numa crise que vocês nem imaginam. Comenta-se que os caras pensam em investir menos em revistas e investir cada vez mais no ramo de livros didáticos, que é o ramo que mais cresce no mercado editorial, muito por causa dos investimentos maciços do governo federal que eles combatem até com deslealdade. O grupo Abril não é um grupo recomendável para administrar uma marca pujante como a da MTV. O carro-chefe Veja vende cada vez menos e é o baluarte da direita raivosa, falida e sem caráter. Tanto que, enquanto tudo quanto é jornal gringo e mesmo os jornalões nacionais (O Globo, Estadão, Folha, etc) fizeram nesta semana manchetes elegantes sobre Oscar Niemeyer, o blogueiro vejista Reinaldo Azevedo apareceu com um texto dilapidar com frases como "o arquiteto que pensava e escrevia coisas detestáveis. Metade gênio, metade idiota!".

Além do mais, tudo quanto é teleapóstolo, telebispo e telepastor deve estar com os olhinhos vidrando por esses canais abertos do grupo Abril.

Autor: rodrigoricardo
Data: 08/12/2012 13:50

Não sei como vai a situação deles atualmente, mas o Grupo Abril entrou em parafuso com o estouro da bolha cambial em 1999, venderam a parte deles na Directv e começaram a centrar foco na editora. Agora estão migrando para a parte mais rentável. Compraram até o Anglo para ter uma marca consolidada para a venda de material escolar: http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/abril-educacao-anuncia-compra-do-grupo-anglo

Interessante esse paradoxo que vc cita: crítica ao governo federal, mas por trás investindo exatamente onde ele está investindo (educação).

Um amigo me informou que a Abril está comprando colégios particulares. Um deles o colégio PH, do Rio de Janeiro. Em São Paulo são várias escolas. Segundo matéria da Veja, os Civita compraram até a Siga, empresa especializada na preparação para concursos públicos. A Abril não joga para perder. Prega a privataria ao mesmo tempo em que prepara concurseiros.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Atestado de ignorância no SporTV


Às vezes esse SporTV é uma piada. Hoje eles transmitiram o GreNal da final do Campeonato Brasileiro de Futebol Sub-17. O Internacional venceu a partida por 3 a 1 e se sagrou campeão. Quando a partida acabou, os caras do SporTV jogaram no ar os acordes iniciais do hino do GRÊMIO!

A metade colorada do Rio Grande do Sul que assistia a emissora deve ter falado um sonoro palavrão, na hora. E com razão. Esses caras do SporTV estão mexendo com o que não conhecem: a rivalidade entre colorados e gremistas no Rio Grande do Sul. Confundir os hinos do Internacional e do Grêmio é atestado de ignorância. O hino do Grêmio tem acordes iniciais mais extensos que os do Internacional. Sorte dos operadores do SporTV, porque deu tempo pra tirarem o hino do ar antes de virem os versos "Até a pé nós iremos..." da letra de Lupicínio Rodrigues. Até eu devo saber mais dessa rivalidade do que esses caras do SporTV, só de ter conversado com alguns desses torcedores em eventos da colônia gaúcha no Rio de Janeiro. Fora os diálogos com gaúchos via Internet, seja sobre futebol ou outros assuntos.

O SporTV não tinha direito de ter dado esse vexame de hoje, depois da boa transmissão de ontem da inauguração da Arena do Grêmio e da partida Grêmio 2 x 1 Hamburgo. Se bem que erraram ao deixarem de usar uma faixa HD no canal + Globosat. Aliás, quando teremos o SporTV HD?

Dilma no 'Esquenta!'


Meu amigo Alexandre Figueiredo tem escrito bastante nos blogues parceiros Mingau de Aço e O Kylocyclo sobre o domínio da cultura brega-popularesca no cenário nacional. Eis que flagrei hoje numa banca de jornal uma TV transmitindo o Esquenta! com dona Dilma sendo entrevistada por Regina Casé!

Querem uma política mais popularesca que Dilma Rousseff? Tudo a ver com o programa.

Resgate - 'Atirei o pau no gato' e 'Galhos secos'

Semana passada houve a apresentação ao vivo do Resgate em São Paulo lançando o CD Este lado para cima. Não é que os caras conseguiram, de improviso, a inserção da letra de Atirei um pau no gato na música Another Brick in the Wall, do Pink Floyd?

Nunca espere uma apresentação ao vivo sisuda do Resgate.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Corrida acirrada pelo Troféu Tolo do Ano 2012

Até o início deste mês, o único candidato nomeado para o concurso informal promovido por este blogueiro desde seu primeiro blogue era Fabiano Baltasso. Mas as reações diante do julgamento do mensalão colocaram três novos candidatos, emparelhados cabeça a cabeça: Palmério Dória, a estrela global José de Abreu e seu xará José Dirceu.

Alguém quer apoiar um desses candidatos ou indicar outro? Fiquem à vontade. Se deixarem, o resultado será divulgado no próximo dia 31.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Joelmir e Niemeyer: dois pensamentos, dois talentos

Pouca gente ousará escrever um texto como este aqui, ao mesmo tempo sobre Joelmir Beting (falecido no último dia 29) e Oscar Niemeyer (falecido ontem). Normalmente, colunistas e blogueiros só escrevem de maneira neutra sobre duas personalidades tão diferentes quando discordam de ambas em algo. É o meu caso. O distanciamento nos faz enxergar as pessoas sem paixões.

Joelmir Beting era um dos melhores no seu ofício de jornalista. Foi o responsável pela popularização do noticiário econômico. Ninguém lhe tira esse mérito. Antes dele, economia era algo apenas para executivos, banqueiros e bancários, profissionais da administração ou da contabilidade, algumas autoridades do serviço público e da política e para endinheirados em geral. A partir de Joelmir, qualquer pessoa podia aprender noções de economia, desde a macro economia à economia doméstica. Sem a popularização da economia, coisas como o Plano Real não teriam sido possíveis. Nem mesmo haveria coisas insólitas como os "fiscais do Sarney" do Plano Cruzado. Joelmir perdeu bastante da influência sobre a população em geral quando passou a defender políticas neoliberais, notadamente a partir da década de 1990.

Oscar Niemeyer não era só um dos melhores arquitetos do país. Era o melhor de todos. Influência certa para quase todos os colegas de profissão. Era o homem que quebrou a velha lei matemática de que "o caminho mais curto entre dois pontos é uma linha reta". Na maioria de suas obras, as curvas é que resolveriam muitas questões de funcionalidade e de harmonia arquitetônica. Suas obras arquitetônicas ficaram pelo país e pelo mundo afora. Nem todo o sucesso e dinheiro merecidamente ganhos fizeram Niemeyer deixar de se preocupar com um país cheio de injustiça e que tão pouca educação dá aos seus cidadãos, para que surjam outros vencedores como ele. Niemeyer tinha generosidade. Chegou a comprar casas para um ou dois empregados, uma delas projetada pelo próprio arquiteto e construída no Morro do Vidigal. Também ajudou substancialmente amigos em dificuldade, como Luís Carlos Prestes. O problema é que Niemeyer tinha soluções capciosas em mente para o país, e as expunha quando tinha oportunidade. Como era de se esperar, ele jamais convenceu todo mundo com suas ideias comunistas. E não me venham me dizer que nunca houve governo autenticamente comunista e desastroso em parte alguma do planeta.

O ano de 2012 está levando rapidamente grandes talentos do nosso país. Tomara que 2013 traga longevidade para os que ficam e que a partir do ano que vem a educação seja levada a sério neste país, para que as crianças de hoje sejam bem sucedidas no ofício que quiserem exercer.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

José de Abreu é o mais destacado global simpatizante do PT


Por muito tempo, o ator Paulo Betti ficou conhecido como o mais destacado ator global simpatizante do PT. Chegou a produzir o videoclipe da música Lula Lá para a campanha presidencial de Lula em 1989. Só que recentemente o grande ator rafardense perdeu o posto para um dos candidatos ao Troféu Tolo do Ano 2012: José de Abreu.

Eu já disse várias vezes aqui que é importante que os militantes políticos assumam suas posições. Coisa que a direita do quadro partidário brasileiro não faz. Só que o Zé de Abreu chegou em 2012 às raias do ridículo. Defender os feitos do Governo Lula-Dilma é uma coisa. Criticar a oposição demo-tucana também. Outra coisa é fazer o papelão que Zé de Abreu faz no Twitter, onde defende indistintamente toda a corja petista. Mesmo a gangue mensaleira.

Pra ganhar o Troféu Tolo do Ano 2012, Zé de Abreu tem concorrentes da pesada. Inclusive o mensaleiro-mor.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A aposentadoria do picolé de chuchu em 2014

Resposta para comentarista anônimo do blogue Coturno Noturno:

Anônimo disse...

Por isso que eu gosto deste blog!

O negócio aqui é CRITICAR, doa a quem doê-la.

Tchau, Xuxu! Boa aposentadoria em Pinda, depois das eleições de 2014.

30 DE NOVEMBRO DE 2012 22:55

Que é isso, anônimo. O picolé de chuchu não voltará para Pinda. Vai é pra Cachoeira Paulista, passar o resto de seus dias rezando na comunidade Canção Nova. E terá que rezar muito, e pedir perdão pelos inúmeros pecados cometidos no PSDB e em suas gestões à frente do governo paulista.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Mais uma vez, Zé Dirceu escrevendo sobre a 'zelite'

Resposta para Coturno Noturno:

Zé Dirceu escrevendo sobre FHC é o sujo escrevendo sobre o mal lavado.

Zé Dirceu já deveria estar cumprindo sua pena. Mas, do jeito que são frouxas nossas prisões para algumas classes de presos, é provável que ele leve para lá um laptop com banda larga para continuar escrevendo merda naquele blogue que ele faz para a esgotosfera progressista.

A violência mal reprimida pelo desgovernador de chuchu é amplamente divulgada pela mídia criticada pelo mensaleiro-mor. Inclusive titãs da mídia como Rede Globo, o Brasil Urgente do Datena e, como não poderia deixar de ser, o Cidade Alerta dos cumpanhêros da Record-IURD.

Por fim, falar de "conservadorismo" da UDN, dos neoudenistas e de "certa elite" (Qual seria a elite certa? A lulo-dilmista da qual Dirceu faz parte ou a elite oposicionista?) é prova de ignorância política do mensaleiro-mor. A UDN, os neoudenistas e esses outros que Dirceu critica sempre foram e são (neo)liberais. Não conservadores. No dia em que houver um autêntico levante conservador neste país, esses (neo)liberais lulo-dilmistas ou viúvos das eras Collor e FHC poderão, enfim, estar juntos. Fora do poder.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Um voo panorâmico sobre Porto Alegre do Olímpico para a Arena Grêmio e a última avalanche do Olímpico



No mínimo, este foi um momento interessante de uma transmissão esportiva na TV brasileira. E foi uma transmissão muito melhor que a da Band.

Governistas e oposicionistas bonzinhos

Este texto é puramente sarcástico, como vocês verão.

Resposta para Altamiro Gorges:

Só desta vez, dona Eliane tem razão. Essa oposição demo-tucana é muito boazinha. O PiG também é muito bonzinho, pra não dizer conivente. Se fossem oposição de verdade, teriam que ser ainda mais radicais. Radicalmente radicais. Mas não livro a cara dos progressistas governistas. A blogosfera progressista também é muito boazinha. Deviam bater mais forte nos demo-tucanos e no PiG. O que fazem hoje é muito pouco. Deviam bater mais, até tirar sangue. Ser radicalmente radicais, também. Eu quero ver o circo pegar fogo! Quando não houver mais demo-tucanato, golpistas e governistas amestrados, quem sabe surja algo novo no horizonte. Algo nacionalista, de preferência.

sábado, 1 de dezembro de 2012

TV IMPD saiu do ar em vários canais


Aconteceu agora há pouco. A TV IMPD saiu do ar em vários canais. No canal 32 UHF do Rio de Janeiro (TV Passaponte), no canal 5 da NET Rio e em dois canais analógicos do satélite Starone C2. Agora há pouco voltaram no canal 5 da NET, no canal analógico da Rede 21 no satélite Starone C2 e na TV Passaponte.

Podia voltar nunca mais!

Chorões que queriam saquear roialtes de contratos em vigor prometem vetar Dilma em 2014


Resposta para Shogunidades:

Já tem chorão de 24 unidades federadas prometendo vetar a Dilma em 2014. Um aviso pra eles: Aécio Neves também está ao lado da causa fluminense-capixaba. Porque teme que, depois de saquearem os recursos dos contratos de exploração de petróleo já em vigor, saqueassem também os recursos dos minérios. De Minas Gerais, do Pará...

Na República, este país só teve governos (neo)liberais, exceto os de Vargas e Jango

Resposta para Mingau de Aço:

Uma coisa o amigo Alexandre Figueiredo precisa aprender: conservadorismo e (neo)liberalismo são coisas diferentes e opostas. Portanto, não tem essa de "Os barões da grande mídia e seus "calunistas" estão torcendo por isso, para recolocar um conservador no Palácio do Planalto, depois de toda a farra fisiológica e esportiva de 2014". Os barões da mídia e seus 'colonistas' querem é colocar de novo um (neo)liberal, que é o único tipo de governo que este país teve na história da República, tirando os governos Vargas e Jango, o primeiro nacionalista, o outro progressista, embora muito vacilante por si mesmo, mesmo sem levar em conta os golpistas que o ejetaram.

Este país nunca teve um governo de fato conservador, ou seja: que conservasse os bons valores da nacionalidade e do povo brasileiro. Se tivesse, seria uma boa.

Tem mais: eu não torço pela permanência do PT no poder nem dou dicas para que permaneçam. Se eles forem ejetados em 2014, danem-se. Eles estão danando este país há dez anos, então deveríamos dana-los também. Depois deles, que venha algo melhor! Mesmo que demore um pouco mais.

Apesar das popices, anos 80 também tinha música pop boa

Resposta para Whiplash:

A década de 1980 tinha muitas coisas legais. Inclusive fora do rock visceral. Algumas bandas de rock mais acessíveis também eram boas. Como essa aí: Tears For Fears. Mesmo alguns grupos pop que obviamente não faziam rock também eram bons. Me refiro a grupos como o A-ha. Dava para ouvir de vez em quando. Não direto, obviamente. Tanto que as rádios pop eram (e ainda são) um saco, porque tocavam A-ha e outros nomes pop repetidas vezes 24 horas por dia.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A nova cara da TV paga no Brasil

Respostas para TV Magazine:

Em 26/11/2012, luiz_goulart escreveu:

O governo atual se orgulha tanto de ter lutado contra a ditadura, mas segue a mesma cartilha intervencionista dos militares.

É isso mesmo. O regime militar instituiu cotas obrigatórias de filmes nacionais nos cinemas. O que se viu foi a proliferação de pornochanchadas. Cada uma pior que a outra.

Hoje o governo lulo-dilmo-petista reza na cartilha dos militares de direita. E olha que o governo é comandado por uma ex-torturada.

Em 27/11/2012, andercampos escreveu:

Novos canais como o Woohoo e Curta (Na Net) que não vi nada de bom!! E ainda deve entrar o Fish TV que é só pra encher linguiça!!

Não é assim. O canal Woohoo tem uma excelente programação. E não tem apenas cobertura de esportes de ação. Também tem agenda cultural. O programa Moovie é muito bom.

O canal Curta! exibe bons filmes, como O Chamado de Deus, documentário que opõe seminaristas carismáticos de Petrópolis e seminaristas da Teologia da Libertação do sertão da Bahia. Também foi curioso ver no filme imagens de um evento no Maracanã em 1999 com a participação do Pe. Zeca, que deixou o sacerdócio.

Acho engraçado as otoridades se preocuparem com a TV paga somente agora que ela atinge as classes A, B e C. Vai ver os caras achavam que a TV paga não era digna de nota, quando atingia apenas as classes A e B.

Problemas a TV paga sempre teve. Inclusive reprises de filmes gringos. Hoje temos a lei de reprise de filmes brasileiros! Boa parte deles da Globo Filmes.

P.S:

luiz_goulart
Data: 30/11/2012 10:41

mas esse é modelo desenvolvimentista de grande intervenção baseado em carteis protecionistas aos grupos próximos ao poder, que foi usado pelo militares, e que está sendo usado agora, o problema é que a conta chega depois como chegou nos anos 80

Chegamos então à conclusão que o modelo autoritário de regulação de qualquer setor que seja não quer dizer que seja, necessariamente, só estatal. Pode ser só estatal (caso típico dos países comunistas), pode ser só privado (num regime plutocrático, como a Delta City privatizada dos filmes de RoboCop) ou estatal e privado ao mesmo tempo, como acontece na China e no Brasil, onde qualquer regulação e qualquer mercado só funciona para os agentes privados próximos da classe política no poder.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Peregrinos da JMJ aprovarão o BRTrem?

Já abordei este assunto em outra postagem, que agora precisa de novos comentários, porque o local da vigília e da missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude de 2013 não será mais na Base Aérea de Santa Cruz, mas em Guaratiba, também na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A notícia saiu em veículos da imprensa comum (como o G1) e também nos portais oficiais da Arquidiocese e da Prefeitura, já que foi o prefeito Eduardo Paes quem anunciou o local da vigília e da missa, junto com organizadores da JMJ.

As observações que fiz na postagem anterior continuam servindo agora. Mas como o local da vigília e da missa de encerramento da JMJ será em Guaratiba, temos mais um agravante: a ausência de transporte por trens, presentes no grande bairro de Santa Cruz. Comentam no portal G1 que o prefeito conta com o BRT para transportar parte dos peregrinos para Guaratiba. Só pode ser uma piada. O próprio povo daqui do Rio de Janeiro deu um apelido para o BRT, corredor exclusivo de ônibus articulados: BRTrem. Uma alusão à superlotação dos trens da SuperVia.

Vale lembrar que a JMJ em si será bancada exclusivamente pelos patrocinadores privados. Menos mal. As autoridades públicas prometem providenciar apenas os ajustes no transporte coletivo, já que os peregrinos viriam de qualquer maneira. Essas autoridades só tomam iniciativa diante de grandes eventos. É a velha queda deles por mirabolâncias.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

No 'Veta, Dilma', sobrou para governador e prefeito

Sobrará muito mais protestos contra eles se dona Dilma sancionar na íntegra o projeto que redistribui os royalties do petróleo para todo o país.

Por enquanto, fiquemos com algumas fotos do manifesto ocorrido ontem no centro do Rio de Janeiro: o Veta, Dilma, convocado pelo governador Cabral Filho. Que fingia que não haveria protestos contra ele...

Na Cinelândia, o clima era de oba oba, à tarde.


Mais uma vez, os amigos petroleiros compareceram reivindicando fiscalização dos recursos dos royalties, uso dos recursos para a saúde, a educação e a habitação, e o fim dos leilões das bacias de petróleo e gás do país.


A Fecomercio marcou presença.


Mais fotos da manifestação:



O que não estava no roteiro bonitinho do Veta, Dilma foi a manifestação contra ações e projetos das atuais gestões estadual e municipal. Sobraram faixas, cartazes e palavras de ordem contra o governador Cabral Filho, contra o prefeito Eduardo Paes, contra o despejo da Aldeia Maracanã e a demolição do antigo prédio do Museu do Índio, contra a baixa remuneração de guardas municipais, professores e bombeiros, e reclamações sobre a situação da educação pública.















Mais tarde, houve uma confusão entre esses manifestantes e seguranças do governador Cabral Filho. Mas nada que atrapalhasse esses protestos ou o Veta, Dilma.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Dilma Rousseff, Aécio Neves, os governistas fluminenses e os royalties

Resposta para Tribuna da Imprensa

Se dona Dilma sancionar tudo, quero ver se essa corja lulo-dilmista carioca e fluminense partirá para a oposição. Falando em oposição, parece que o senador Aécio Neves anda um pouco “solidário” com a causa fluminense. Mas não porque tenha pena da população do estado do Rio. É porque já prevê, para o futuro, os 20 e tantos estados da federação levando os royalties dos minérios de Minas Gerais, do Pará...

domingo, 25 de novembro de 2012

O Brasil e os eternos tambores de guerra no Oriente Médio

Resposta para Tribuna da Imprensa

Acredito que o Brasil tem muito a ensinar aos demais países do mundo, inclusive nessa questão da convivência entre árabes e judeus, ambos descendentes do povo de Abraão. O Brasil tem muito a aprender, também. Falo da nação brasileira como um todo. Não de um governo ou político específico. Já dizia a letra que encerra aquele CD póstumo de Cazuza: O Brasil vai ensinar o mundo (letra aqui).

sábado, 24 de novembro de 2012

Luiz Fux canta Sullivan & Massadas e imprensa bóia

Anteontem tomou posse na presidência do STF o ministro Joaquim Barbosa. Na festa da posse, à noite, tocaram ao vivo sucessos da década de 1980. Segundo parte da imprensa, seriam tocados na festa até sucessos do rock nacional oitentista. Apareceu uma banda ao vivo, e lá pelas tantas, o ministro Luiz Fux subiu ao palco com guitarra e microfone, e cantou Um Dia de Domingo, música atribuída por parte da grande imprensa brasileira a Tim Maia.

A grande imprensa brasileira está cheia de ignorantes que não averiguam o que dizem ou escrevem. Neste caso, os caras erraram duas vezes. Primeiro: a música não é de Tim Maia. É da dupla Sullivan & Massadas, que nos anos 80 tiveram várias músicas do seu cancioneiro popularesco gravadas por inúmeros nomes das grandes gravadoras. Notadamente a RCA (mais tarde BMG-Ariola, esta adquirida posteriormente pela Sony Music), que mandou vários integrantes de seu elenco gravarem Sullivan & Massadas. Mesmo nomes de fora do universo popularesco, como Fagner, Sandra de Sá (egressa da black music), Gal Costa e Tim Maia. Segundo: se fôssemos atribuir a música apenas ao intérprete (não aos compositores, que seria o certo), deveríamos atribui-la não a Tim Maia (como fez o portal Letras), e sim a Gal Costa, que foi quem lançou a música em seu LP Bem Bom. A música não consta nos LPs de Tim Maia da época. Tim apenas fez uma participação nesta música, em dueto com Gal, no disco dela.