Política, cultura e generalidades

sábado, 31 de dezembro de 2011

Troféu Tolo do Ano 2011


Quando decidi encerrar meu antigo blogue Brasil, um País de Tolos com dois anos de atividade e iniciar um blogue pessoal pra escrever o que quisesse sem restrições (inclusive boas notícias), resolvi que o blogue herdaria do Brasil, um País de Tolos o Troféu Tolo do Ano, concedido à figura mais grotesca de cada ano.

Neste ano, a disputa foi acirrada. Os concorrentes foram variados. Foram do deputado Jean BBB, digo, Jean Wyllys (PSOL-RJ) a um antigo leitor do outro blogue que nem merece citação, agora. No entanto, ministros de Estado são sempre candidatíssimos ao troféu, pelas lambanças que fazem e asneiras que falam. Hélio Costa (das Comunicações) foi o primeiro ministro a faturar o seu troféu, em 2010. Neste ano, vários ministros de Dilma Rousseff concorreram, como Ana de Hollanda (Cultura) e Fernando Haddad (Educação).

Só que quem chegou na disputa no segundo semestre e atropelou a concorrência com requintes de crueldade (e com muita cara de pau) foi o presidente do PDT e ex-Ministro do Trabalho, Carlos Lupi. É pra ele que vai o Troféu Tolo do Ano 2011.

O homem merece. Além de dar pití durante mais de um mês negando as denúncias de malfeitos em sua pasta, o cara desrespeitou a chefe, ninguém menos que a presidenta Dilma. Presidenta, aliás, que por ser a primeira presidenta da história do País, deveria ter honrado o gênero e ter mandado embora Carlos Lupi quando ele se desculpou nesses termos: "Presidente, desculpe se fui agressivo. Não era a minha intenção. Eu te amo". Só que com um "eu te amo" que mais parecia entonação de cantada de amante latinoamericano que outra coisa. Cantando a chefe, ministro?

Isso depois de Lupi ter sido autor de algumas das mais célebres frases de 2011:

“Sou osso duro de roer. Quero ver até aonde vai esta onda de denuncismo.”
“Morro, mas não jogo a toalha.”
“Duvido que a Dilma me tire.”
“Não há nenhuma possibilidade de sair.”
“Pela relação que tenho com a Dilma, não saio nem na reforma. Ela me conhece bem.”
“Alguns acharam que era melhor que eu tivesse saído. Para me tirar, só abatido à bala. Tem de ser uma bala pesada, porque sou pesadão.”

Dilma Rousseff ainda demoraria alguns dias para exonerar o ministro da pesada.

Carlos Lupi merece o troféu. E nossos votos de feliz 2012, mas bem longe do Governo. Valeu pelas frases divertidas ditas ao longo de 2011.

E para os leitores que me acompanham desde o antigo blogue e os novos que só conheceram este blogue, faço votos de um feliz e abençoado 2012. Continuaremos juntos, debatendo a política, a cultura e as generalidades que acompanhamos há mais de dois anos.

Um comentário:

  1. E o troféu de maior babaca vai para. . . ele. Isso mesmo!! Ele!! Carlos Lupi, presidente nacional do PDT!!! Vivaaahhh, ministro!!!! Que vc continue sendo o tolo mais irracional da política brazuca!! #ASSHOLE!

    ResponderExcluir