Política, cultura e generalidades

sábado, 26 de novembro de 2011

Dá para conversar com um conservador e direitista assumido. Com os outros, é outra história


A pessoa a quem me refiro é o jornalista Aristóteles Drummond. É um dos poucos direitistas assumidos que restaram nesta nação de dissimulados. Dá para conversar com ele numa boa.

E olha que discordo dele em várias coisas. Vez ou outra ele defende coisas indefensáveis como o Golpe de 1964 e passa panos quentes sobre figuras notoriamente direitistas (só que do mal), como Augusto Pinochet e Paulo Maluf, alegando supostos benefícios do governo do general para o Chile e a inocência (?) de Maluf.

Escrevi resposta num blogue que também dedicou uma postagem inteira para o Aristóteles: o Observatório da Política:

Marcelo Delfino disse...


Pelo menos o Aristoteles se assume como direitista e conservador. Dá para debater com ele nesses termos. Piores são os dissimulados dos partidos políticos da direita lulo-dilmo-cabralista (incluindo o PP ao qual Aristóteles é filiado) e também da direita oposicionista, que não se assumem como direitistas. Esses são realmente perigosos.


25 de novembro de 2011 11:35

Outros leitores daquele blogue também responderam:

Daniel Homem de Carvalho disse...


Aristóteles é um jornalista corajoso e sai dessa mesmice desse jornalismo boboca e politicamente correto. Culto, preparado ele honra seus amigos. Só nesse país dementalidade caipira ser chamado de conservador é ofensa. Precisamos de mais jornalistas como Aristóteles!


25 de novembro de 2011 17:43


Resistência Cultural disse...


Como era de se esperar, muito superficial e gratuito o texto. Uma prosa ginasiana a serviço de insinuações pueris. Indigno de se comentar, mesmo porque nada há para ser comentado. O Aristóteles tem mais o que fazer, como, por exemplo, escrever mais um de seus preciosos artigos (em que pesem eventuais pontos discutíveis)e continuar trabalhando em seu novo livro, o qual estou tendo a honra de organizar e editar. Quanto a assuntos relacionados a conservadorismo e direitismo, o imprudente articulista deveria saber que democracia se constrói com direita, centro e esquerda se revesando no Poder, ao sabor das aspirações populares. A propósito, nunca demais lembrar, a nossa independência política e posterior consolidação e unidade nacionais, devemo-las a espíritos fundamentalmente conservadores, como Cairu, Evaristo da Veiga, Pimenta Bueno e o próprio Patriarca, José Bonifácio.


25 de novembro de 2011 17:58

Aristóteles ficou sabendo do texto sobre o Observatório e de meus comentários, e respondeu no seu mural do Facebook:

Caro Marcelo De Jesus Delfino - Achei o blog (Observatório da Política) interessante e honesto ao ser textual nos meus textos escolhidos . Esclareço que não sou filiado ao PP mas sim membro de seus diretorios Nacional e Regional, em seguida a militância que vem desde a ARENA. Quanto as simpatias pelo Prefeito e Governador, estas não são politicas, mas de carioca e fluminense pelo que estão fazendo. E o fato de ser conservador não me impede de apludir- e até ter dado meu voto- a Presidente Dilma. Respeito quem pensa de maneira diferente, mas nunca votaria no sr José Serra como candidato contra a esquerda de vez que o considero mais a esquerda do que esta turma que está no Poder. Mas ele gosta de pescar votos é no centro-conservador e adora um milionario paulista.....

Mais leitores escreveram no mural do Aristóteles no Facebook:

Daniel Homem de Carvalho


Já deixei me comentário no blog


José Loredo


Também já deixei o meu, Aristóteles. Pensei que o texto fosse mais substancial... Dá até desgosto discutir com uns "cabra desse"... O Brasil merece mais. Abraço!

Marcelo Cid Heráclito Queiroz


Apoiado Dr. Aristoteles. O blogueiro defende o Freixo que se auto-exilou por uma semana na Europa. Só aí já perdeu a razão.


Claudio Da Rocha Miranda


Caro Aristoteles concordo plenamente com suas ponderaçöes. Faço minhas suas palavras, especialmente quando falas do Serra. Um abraço, Claudio da Rocha Miranda

Marcelo De Jesus Delfino


Valeu pelo comentário, Aristoteles Drummond. Aquele blogue não é meu, como pode ser observado. Apenas deixei um comentário. Quando eu disse que dá para debater com conservadores e direitistas assumidos, eu disse a mais pura verdade. Vc mesmo Aristóteles talvez lembre do dia em que eu mandei recado pro programa Vox Populi dizendo que falta um partido de direita assumida no Brasil. Até me mandou o livro Um Conservador Integral, livro que gostei de ler e com o qual concordo parcialmente, discordando em uma coisa ou outra.


Eu também prefiria mil vezes a Dilma que o Serra, que não é digno de confiança pra ninguém, nem à direita nem à esquerda. Mas não votei em ninguém no 2º turno de 2010. Quanto ao apoio a Cabral e Paes, não tenho essa visão adesista e ufanista que alguns amigos tem. Mas respeito. Abraços.


Aristoteles Drummond


Está na cara que o blog, embora feito com educação e moderação , é da oposição de esquerda ao governo federal e aos estaduais. Qual o problema de um conservador como eu, fiel aos ideais e a obra de 64, apoiar A ou B? Será que estão "patrulhando" em pelo século XXI ? PREFIRO ACHAR QUE ELES DEFENDEM IDEAIS EM QUE ACREDITAM. Mas o que realmente lamento são as pessoas mal educadas, embora eu entenda o que´seja" ter ou não berço", e por isso sou muito tolerante e até solidario com quem não teve uma familia e uma educação, como o sr Marco Aurélio que diz " ficar de estomAgo embrulhado com meu artigo" e que vai boicotar o jornal no dia de meu artigo. Que pena que ele não acredite em democracia. Eu acredito e defendo o direito dele de ser um equivocado, recalcado e totalitario. Fizemos 64 e depois vencemos os lacaios do radicalismo para isso. Dar o direito de cada um ter sua opinião. Lamento que o meu lado seja mais timido. Mas já não é problema meu.


Marcelo De Jesus Delfino


Eu continuarei lendo os textos do Aristoteles Drummond. Vale a pena. Assim como vale a pena o livro que citei antes.


Tem gente que faz um patrulhamento ideológico, mesmo. Só fazem críticas por serem radicais do lado oposto, nunca por terem alternativas ou por ponderação. Eu lembro agora do Dom Eugenio, que disse uma vez que era conservador em algumas coisas (desconfio do católico que diz não ser conservador em nada) e era progressista em outras. Aí caíam em cima do Dom Eugenio. Hoje nem tanto, porque preferem cair em cima de personalidades católicas mais novas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário