Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

A Primavera que os lulo-dilmistas temem... Ou podem Temer

Resposta para Mingau de Aço:

A "PRIMAVERA DE 2011": NO BRASIL, QUANDO CHEGARÁ?

É, amigo Alexandre. Não adianta eu responder na área de comentários de seu blogue, porque você bloqueou seu blogue. Nem deu outra alternativa para comentários. Correio eletrônico? Você não fornece no blogue. Twitter? Não adianta, porque seu último tweet foi de 19 de agosto. Se de lá para cá alguém tentou deixar comentários de 140 toques pelo Twitter, os leitores do Twitter do Mingau não ficaram sabendo.

Então responderei somente no meu blogue, mesmo.

Eu estou há meses resistindo a colocar comentários ríspidos a respeito do Mingau. Mas essa pergunta não me deixa alternativas. Eu seria muito omisso se continuasse guardando só para mim o que poderia ter escrito antes. Essa pergunta é a grande oportunidade.

Concordo contigo quando você afirma que o procedimento da grande mídia (gorda ou fofa, como você costuma descrever) deveria ser diferente. Deveriam dar espaço para os leitores/ouvintes/telespectadores/internautas. Não virar monólogo das grandes famiglias e de seus jornalistas e colonistas amestrados. Só que sua visão é de esquerda. A minha é nacionalista. Colocar os interesses da Nação e de sua população acima de tudo no campo político e econômico. Seu sonho e de todos os blogueiros progressistas (particularmente os do malfadado Barão de Itararé) é que, pra cada órgão do tão falado PiG, haja um interventor, que substitua o trabalho centralizador sujo do dirigente famigliar da empresa por outro trabalho sujo. Seu sonho é que, para cada Globo, haja um Paulo Henrique Amorim. Para cada Folha, haja um Luís Nassif. Para cada Abril, haja um Mino Carta. Para cada RBS, haja um Zé Carlos (e que seja também colorado, pra ser vermelho total). E assim por diante.

Você torce para que a população brasileira saia do comodismo regado a Música de Cabresto, TV aberta e futebol, e vá para as ruas protestar. Eu torço, também. Mas, pense bem. Não é arriscado demais um esquerdista querer que os brasileiros façam protestos como os feitos por outras populações? Porque, se for protesto de verdade, não terá como alvo somente o tão falado PiG governista tido como golpista. O alvo primordial será o Governo Lula-Dilma, principalmente essas duas figuras traidoras da confiança. Minha e de milhões de pessoas. A Dilma nem tanto, porque jamais votei nela. Só o Filho Bastardo do Brasil tem contas a prestar a mim e a quem votou nele apenas em 2002, alguns nos dois turnos, como eu.

Em quem muito se confia, desse se deve cobrar mais. Não dá para esperar nada de quem não se confia.

Lá na Europa e no mundo árabe, os protestos tem como alvo tiranos, traidores neoliberais como Berlusconi e traidores de esquerda como Zapatero. Não são protestos com viés ideológico de esquerda, como os blogueiros progressistas querem. São protestos plurais da população como um todo. Não se descarte que haja nesses protestos gente de tudo quanto é viés ideológico: direitistas, (neo)liberais, esquerdistas, socialistas, comunistas, reacionários, conservadores, progressistas, nacionalistas, internacionalistas e toda sorte de -istas. Se o regime for democrático MESMO, que ninguém seja impedido de se manifestar nem humilhado moralmente, pois isso não deixa de ser uma repressão e um assédio.

Com raras exceções (como aqueles que escrevem bons blogues colocados na lista do meu), os blogueiros progressistas são do tipo de gente que acha que o povo deve ficar em casa, dócil, grato a Lula e Dilma, sem se manifestar, achando o ápice da dignidade humana ficar na frente da TV de alta definição vendo novela e futebol, ou na frente do computador procurando notícias sobre as celebridades da TV e batendo boca com os falecidos demo-tucanos. Reclamar da TV? Só quando mostrarem matérias tendenciosas sobre a esquerda.

Digo e repito: muitas coisas melhoraram no País nos últimos dez anos. APESAR DO GOVERNO, NUNCA POR CAUSA DELE. Mas se algum dia houver uma Primavera antigovernista no Brasil, virão as dondocas com aqueles gritos primatas de "Golpista! Golpista! Golpista! Golpista! Golpista! Golpista! Golpista! Golpista! Golpista! Golpista! PiG! PiG! PiG! PiG! PiG! PiG! PiG! PiG! PiG! PiG!", parecendo torcidas organizadas fanáticas por futebol. Poderão ser quantas pessoas forem. Até dez milhões de pessoas em cada manifestação (se for possível), coisa de fazer as Diretas Já parecerem reunião de condomínio. Mas logo logo as dondocas dirão que é uma reprise da Marcha da Família com Deus pela Liberdade, do Cansei, da Marcha para Jesus ou alguma outra manifestação reacionária tipo essas aí.

Culturalmente falando, eu francamente estou indignado com essa tentativa torpe do blogue relacionar a cultura popularesca como algo exclusivo da direita e/ou mera herança do regime militar ou das eras Sarney, Collor e FHC. Isso acontece desde a fundação do blogue, que devia ser honesto quando trata de cultura. Tem que dizer que a esquerda se lambuza com essa música de cabresto, também. Tem que dizer que os movimentos sociais também prestigiam a Música de Cabresto. Eu mesmo soube de um protesto no Rio contra o então presidente FHC regado a músicas da Banda Eva, ainda com aquela distinta senhora sem graça nos vocais.

Tem que dizer que há bons artistas direitistas. Bons não por causa de suas crenças ideológicas, mas por não esconderem seus dons do seu público e não guardarem apenas para alguma rodinha de meia dúzia de "iluminados".

O saudoso radialista Beto Saloys perguntaria algo assim:

O deputado fanqueiro Marcelo Freixo é de direita ou é de esquerda? O próprio fânqui, apoiado pelo PSOL, é de direita ou é de esquerda?

Elvis Presley, que apoiou Richard Nixon, era de esquerda ou era de direita?

Neil Young, responsável pela melhor apresentação do Rock in Rio III e que exalta Ronald Reagan até hoje, é de esquerda ou de direita?

Johnny Ramone, estampado em camisetas de milhões de esquerdistas pelo mundo e que apoiou Reagan e George W. Bush, era de esquerda ou de direita?

E o Megadeth, que lançou o CD United Abominations acusando a ONU de "terrorismo" e apoiando as intervenções militares americanas no Oriente Médio, é de esquerda ou de direita?

Espero que não entenda estes comentários como um rompimento total. Rompimento ideológico pode até ser, mas jamais rompimento com as demais afinidades nossas. Eu tenho autocrítica suficiente para mudar alguns procedimentos. Tive que extinguir um blogue com 140 leitores declarados, por julga-lo deslocado para nossa época política e inadequado diante do avanço de ideias que eu mesmo tive. Espero que o Mingau possa mudar, também. Ou então o Mingau vai azedar de vez. E estragar que nem paçoca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário