Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Catedral FM também criou seu blá blá blá esportivo

Não satisfeitos com o blá blá blá esportivo já presente em diversas emissoras FM (só em FM ou repetidoras de AM) como CBN, Globo, Tupi, Transamérica e Oi FM, a Catedral FM 106,7 também tem agora seu programa de debates e notícias esportivas. É o programa semanal Esporte Catedral, que estreou ontem (quarta-feira, 31 de agosto de 2011) às 20:45. Eis o texto do portal oficial da rádio, que mostra até a logomarca oficial do programa:

ESPORTE E RELIGIÃO: UMA MISTURA CAMPEÃ

Preparem-se para uma grande surpresa! Dia 31/08 o ESPORTE CATEDRAL fará sua estreia na Rádio Catedral. Toda 4ª feira, a partir das 20h45, o programa deixará você por dentro de tudo o que acontece no mundo dos esportes (como se as demais rádios não fizessem isso...). Com os comentários de Sergio Ricardo, Leandro Sauerbronn e Pe. Lino (capelão do Vasco da Gama), as noites de 4ª feira nunca mais serão as mesmas.

Se o surfista Pe. Zeca não tivesse deixado o ministério sacerdotal, provavelmente teria sido convidado para a equipe do programa.

Já escrevi em outros lugares e outras oportunidades que eu fui voluntário da minha paróquia junto à Catedral FM, nos anos de 1993 e 1994. Minhas tarefas eram divulgar a rádio na paróquia e levar para a rádio fichas de inscrição de novos Amigos da Rádio (ouvintes dispostos a fazerem uma doação mensal fixa para a rádio). Deixei o serviço porque estava atrapalhando minha vida profissional e porque percebi que não teria a menor condição de emplacar sugestões de mudanças (minha ou dos outros paroquianos) para a programação da emissora. Eu também discordava dos rumos que a direção da casa dava à emissora. A rádio estava tomada na época por uma grade de sucessos populares (até trilha do seriado Cavaleiros do Zodíaco os caras tocavam) e por programas AM em FM. Numa das últimas reuniões de representantes paroquiais em que eu estive, o então diretor geral Cônego Aroldo Ribeiro disse, com todas as letras, que a Catedral FM era uma "rádio AM no FM".

Já naquela época, a rádio loteava a grade não-musical para toda sorte de pastorais e movimentos ligados à Arquidiocese do Rio de Janeiro. Em meados dos anos 90, os sucessos populares foram substituídos por músicas católicas. Mas o loteamento da grade continua até hoje.

Tem outra questão: a rádio jamais teve uma grade linear, uma "cara". Cada programa é produzido por equipes diferentes e cada um tem um nível de qualidade diferente. Há programas bem produzidos, mas a maioria é tecnicamente uma lástima. Um verdadeiro desperdício das doações feitas à rádio.

Uma rádio FM deveria ser uma plataforma para cultura, música, jornalismo discreto e, eventualmente, prestação de serviço nos intervalos. Sem fazer concorrência desleal com as AMs. A Catedral FM não se contenta nem mesmo com um hipotético papel de divulgadora da cultura e da música católica. Nada indica que essa situação mudará um dia.

Com mais esse programa de blá blá blá esportivo, o dial FM carioca afunda cada vez mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário