Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Dilma, Cabral e Paes vendendo a soberania nacional para a FIFA, o COI e o Vaticano

O blogueiro Raphael Tsavkko é alguém cujas causas eu discordo de algumas. No entanto, o admiro por algumas posturas adotadas por ele. Uma delas foi o rompimento com os blogueiros progressistas, grupo de blogueiros lulo-dilmistas abrigados ou não no famigerado Centro de Estudos de Mídia Alternativa (???) Barão de Itararé.

Outro dia, Raphael publicou postagens sobre a Marcha pelo Estado Laico, evento que reuniu entre 200 e 300 manifestantes no domingo passado, na Avenida Paulista. Um debate interessante, levantado nesta e em outras postagens do Raphael. Aliás, discordo apenas de alguns posicionamentos daquela manifestação, mas não do principal: a defesa do Estado Laico.

Eu também dei meus pitacos, fazendo comentários publicados pelo Raphael.

Respostas para Raphael Tsavkko:

No Brasil, laico é só o masculino de Laika, aquela cadela que, se não me engano, foi o primeiro espécime terráqueo a viajar para fora do planeta, lá nos anos 50, a bordo de uma espaçonave russa.

Raphael Tsavkko


Cantaram uma musiquinha pra Laika durante a marcha,a glo como "Se até a cachorra é Laika, porque o Estado não"=)

Tem mais: lá em Madrid fizeram protesto simultaneamente contra Zapatero e contra Bento XVI (durante a Jornada Mundial da Juventude). E no Rio 2013? Duvido que as dondocas progressistas façam protestos contra o trio Dilma, Cabral e Paes. As dondocas ficam com medinho da volta do demo-tucanato... Aí só farão protestos contra Bento XVI, porque é cult.

Raphael Tsavkko


E olhe lá! Só protestarão se ele ñ tiver do lado da dilma, do Paes, do Cabral... Esse povo é asqueroso!

Lamento informar que o arcebispo Dom Orani (se ele não virar cardeal até 2013, nunca mais!) já está andando pra cima e pra baixo com o governador e o prefeito do Rio de Janeiro. Evidente que as 'otoridades' brasileiras estarão sorridentes ao lado de Bento XVI. Aliás, as 'otoridades' brasileiras já andam pra cima e pra baixo com os dirigentes da FIFA e do COI (e suas filiais CBF e COB), outras entidades pras quais as 'otoridades' brasileiras vendem a soberania nacional para terem esses eventos no Rio e no Brasil. E olha que conheço católicos favoráveis à separação de Igreja e Estado, pois só assim fica legitimada a recomendação do Concílio Vaticano II para que nenhuma autoridade nacional interfira na escolha dos bispos, uma decisão evidentemente interna da Igreja.

3 comentários:

  1. O estado TEM que ser laico, claro e, sinceramente, não vejo grandes problemas no país quanto a isso. Entretando, o Brasil é país de maioria católica, entendo que o chefe da igreja mais citada pelos entrevistados pelo IGBE (nem que seja por citar, pois sei que muitos não praticam e seguem de verdade o catolicismo) deve ter respeito e apoio dos governantes em eventos, como qualquer chefe de estado que gere multidões à sua volta, o mesmo para seus bispos. E se um evento de qualquer outro culto for grande o suficiente para necessitar de apoio até federal, tem que receber. O que eles, governantes, não podem, é se aproveitar de situações nem mentirem fé que não tenham embora, eu creio que isto eles prestarão contas a Deus, porque o povo tem memória curta e, infelizmente, pouca cultura e consciência política para observar certas sutilezas.

    ResponderExcluir
  2. O aproveitamento político que alguns políticos fazem desses eventos é que me mete medo. Sem contar a bandalheira, a roubalheira e a gastança de dinheiro público por conta da Copa e da Olimpíada, que eu mui propriamente chamo de Olim Piada. A JMJ 2013 nem é o maior problema, já que a infraestrutura a ser aproveitada nela já está sendo feita por conta da Copa e da Olim Piada. Pode ser que uma ou outra coisa seja antecipada, porque a JMJ será em 2013, antes da Copa 2014. A própria Cidade do Rock (que será a praça de convivência dos atletas olímpicos) está cotada para abrigar eventos da JMJ. Agora, é claro que, ao longo da história, tem muito político cretino que posou ou posa ao lado do Papa e até vai pra fila da Comunhão. Eu mesmo vi alguns deles na TV dando entrevistas sobre a JMJ 2013 durante a JMJ 2011. Eu via escrito na testa deles: "Oba! Eu vou me dar bem!". Enquanto isso, pessoas morrem nos hospitais públicos mal aparelhados e sem material.

    ResponderExcluir
  3. Não vou esconder aqui: eu também pretendo aparecer na JMJ, que é algo positivo, tendo ou não multidões enormes como aquelas de JMJs anteriores. Só gostaria que aqueles que ajudarem (políticos e não-políticos, o que inclui a nós mesmos) se comportem e ajam de acordo com os valores pregados ali. E, por favor, chega de padres saltitantes com pregações ralas. Aliás, eles nem tiveram vez na visita de Bento XVI a São Paulo, há pouco tempo atrás.

    ResponderExcluir