Política, cultura e generalidades

terça-feira, 14 de junho de 2011

Até Cid Gomes diz: faltam um partido nacionalista e um partido assumidamente de direita no Brasil

Na última madrugada de domingo para segunda-feira, um amigo me enviou duas mensagens SMS por celular, informando que a Rede TV! estava transmitindo uma entrevista com Cid Gomes (PSB), governador do Ceará. Meu amigo informou pelo SMS que o tradicional aliado do irmão Ciro Gomes (ex-prefeito e ex-governador pelo PSDB e também ex-ministro e ex-deputado) disse na entrevista, com todas as letras e com todos os termos, o que eu já vinha escrevendo desde o meu primeiro blogue: que faltam um partido assumidamente de direita (não esses partidos de direita envergonhados da base lulo-dilmista ou esses partidos envergonhados e mortos da oposição, como PSDB e DEM) e um partido nacionalista no Brasil.

Liguei a TV para ver a entrevista, mas só peguei a parte final, quando Cid Gomes já tinha encerrado esse assunto de direita e de nacionalismo.

Eu posso ter algumas divergências políticas e ideológicas com relação ao neossocialista Cid Gomes. Mas fico agradavelmente surpreso em saber que começam a aparecer até em partidos tradicionais os primeiros políticos que enxergam uma legião de brasileiros que não tem representação político-eleitoral alguma.

Enquanto não aparecem um partido assumidamente de direita e um partido nacionalista para disputarem as eleições entre si e os demais partidos, ainda teremos que aguentar esse carcomido quadro partidário (do qual faz parte o PSB de Cid Gomes) por algum tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário