Política, cultura e generalidades

sábado, 28 de maio de 2011

Vídeo de soldados dançando (a)versão fânqui do Hino Nacional motiva retomada de valores cívicos em Dom Pedrito


Pra vocês verem até onde foi parar esse lixo de fânqui carioca: no Rio Grande do Sul! Tá tudo dominado!

Fonte: Diário Catarinense.

Vídeo de soldados dançando funk motiva retomada de valores cívicos em Dom Pedrito

Carlos Etchichury, de Dom Pedrito


O vídeo dos soldados dançando funk ao som do Hino Nacional, que levou Dom Pedrito ao noticiário do centro do país, vai motivar uma retomada pelos valores cívicos nas escolas do município.


Natural de Carazinho, mas pedritense de coração, Vera Maria Pires Maia, secretária de Educação, estava chocada ontem com a repercussão do episódio.


— Temos receio de que os pequenos resolvam seguir o exemplo dos mais velhos. A partir de segunda-feira, vamos realizar um trabalho que valorize o Hino Nacional e respeite os valores pátrios — diz Vera Maria.


O projeto visa a envolver todos os 3.750 alunos da rede, espalhados em 36 escolas de Ensino Fundamental (urbanas e rurais) e seis de Ensino Infantil. Para Vera Maria, preocupa o fato de os recrutas envolvidos na coreografia serem moradores da cidade.


— Eles provavelmente passaram pelas nossas escolas. É triste. Se continuarem assim, como serão os futuros administradores do país?


Dom Pedrito é conhecida pela tradição na pecuária de ponta, pela alta performance na lavoura de arroz e, mais recentemente, pela qualidade de seus vinhos e espumantes. A partir de agora, moradores temem ficar marcados como a cidade dos "soldados dançarinos".

Fonte: Diário Catarinense.

Vídeo polêmico: soldados criam versão funk do Hino Nacional


Imagens de quartel de Dom Pedrito pararam na internet e renderam inquérito militar a grupo

Marina Lopes

Um minuto e 25 segundos de vídeo foram capazes de colocar o único quartel de Dom Pedrito, na região da Campanha do Rio Grande do Sul, no alvo dos principais comentários da cidade de 40 mil habitantes. As imagens mostram seis soldados — a maioria de 18 anos — da 3ª Companhia de Engenharia de Combate Mecanizada cantando e dançando o Hino Nacional no ritmo do funk. As imagens teriam sido gravadas dentro da unidade.


A gravação, que teria sido feita no início da semana, ficou postada na internet por 15 horas. Um inquérito policial militar foi aberto para investigar o caso. Na cidade, também teriam circulado boatos de que o grupo estaria preso no quartel. A informação da prisão foi negada.


O comandante da unidade, major Vasques Robinson Diorgenes Vasques, garante que a única providência tomada pelo Exército foi abrir o inquérito policial militar para apurar quem foi o autor do vídeo e as circunstâncias em que ele foi feito.


O que diz a lei:


Constituição Federal


É vedada a execução de quaisquer arranjos vocais do Hino Nacional, a não ser o de Alberto Nepomuceno.


Não será permitida a execução de arranjos artísticos instrumentais do Hino Nacional que não sejam autorizados pelo presidente da República, ouvido o Ministério da Educação e Cultura.


É obrigatória a tonalidade de si bemol para a execução instrumental simples do Hino Nacional. O canto dever ser sempre uníssono (a mesma altura).


Código Penal Militar


Praticar o militar, diante da tropa ou em lugar sujeito à administração militar, ato que se traduza em ultraje a símbolo nacional.


Pena: detenção de um a dois anos.

Um comentário:

  1. O autor do texto mostra total ignorância da Constituição brasileira. Quais artigos são mencionados:
    É vedada a execução de quaisquer arranjos vocais do Hino Nacional, a não ser o de Alberto Nepomuceno.
    Não será permitida a execução de arranjos artísticos instrumentais do Hino Nacional que não sejam autorizados pelo presidente da República, ouvido o Ministério da Educação e Cultura.
    É obrigatória a tonalidade de si bemol para a execução instrumental simples do Hino Nacional. O canto dever ser sempre uníssono (a mesma altura).
    Essas normas são antigas e foram alteradas após a Constituição de 88.
    Abs!

    ResponderExcluir