Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Uma legião sem representação partidária

Resposta para Raphael Tsavkko:

O que eu vejo é surgir uma legião de brasileiros sem representação partidária. Nós nacionalistas nunca tivemos representação, pois os partidos da extrema direita à extrema-esquerda sempre foram chegados ao internacionalismo, seja o neoliberal estadunidense ou o exercido a partir de países socialistas (China, Venezuela, a antiga URSS, etc). Até o pessoal da ultradireita (olavetes incluídos) se diz não representado por DEM, PSDB nem mesmo pelo PiG (batem até na Folha, no Estadão e nas Organizações Globo), muito menos pela direita lulo-dilmista (PMDB, PP, PSC, PR, PRB, etc). Vejo o amigo Raphael batendo no governo petista, na extrema esquerda (dos stalinistas a partidos tipo PSTU) e também em figuras do PSOL (aqueles que fizeram campanha pelo voto nulo no 2º turno de 2010). O amigo Alexandre Figueiredo tem o mérito de bater no PiG há pelo menos 11 anos, e agora está virando as baterias contra parte da esquerda. Se esse quadro partidário não for revertido, veremos os antidemocratas dominando o cenário político pelo voto. Como na Alemanha pré-2ª Guerra. Como na lamentável situação do Equador, onde os dois pólos extremistas disputam o 2º turno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário