Política, cultura e generalidades

domingo, 22 de maio de 2011

Fernando Haddad, ministro da deseducação brasileira

Resposta para Tribuna da Imprensa:

Num país sério, o ministro da Educação e seu gabinete de apaziguados teriam caído. Mas como estamos do País de Tolos, nada acontecerá. Enquanto isso, os esquerdistas governistas transformam o episódio numa espécie de luta de classes linguística, defendendo com unhas e dentes a famigerada cartilha ONGuística aprovada pelo MEC. Falam que a defesa da língua formal é uma forma de reprimir a massa de iletrados. E ainda vem um monte de autointitulados "bacharéis em linguística" se engajando na defesa da cartilha da ignorância. Bando de inocentes úteis. Ou não?

P.S: Fernando Haddad merece concorrer ao Troféu Tolo do Ano 2011.

"A degeneração de um povo, de uma nação ou raça, começa pelo desvirtuamento da própria língua" (Ruy Barbosa).

Um comentário:

  1. Sem comentários essa tolerância aos erros de português.

    Agora, na Matemática, uma disciplina que semptre tive e tenho intimidade, houve uma tolerânica nos livros e nas escolas deixando de dar o cálculo de fazer na mão de raízes inexatas como a quadrada de 2 coisa que eu SUPONHO que era dado nos anos 60 através de alguns livros que consultei e eram dos anos 60 e era um método aproximado. Vi e não entendi o método.

    Os engenheiros e economistas mais antigos, obviamente, sabem calcular na mão e não dependem de calculadora.

    ResponderExcluir